A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

0 a 100 km/h em 5 segundos: este Ford Modelo A 1929 com motor de Escort de rali é o sleeper definitivo

Olhando para este Ford A 1929, provavelmente você deve ter pensado que se trata de uma belíssima restauração — daquelas que refazem parafuso por parafuso e deixam o carro como ele era quando saiu da fábrica — ou até melhor. Pois bem, este carro está muito melhor do que era quando saiu da planta da Ford em Dearborn, Michigan: trata-se de um restomod totalmente inesperado que resultou no carro que, para nós, é a mais perfeita definição de sleeper, em todos os aspectos.

Trata-se de um projeto antigo e relativamente famoso que, por algum mistério do universo, ainda não apareceu nas páginas do FlatOut — mas chegou a hora de mudar isso.

Tudo começou quando, em 1993, um famoso piloto de rali que jamais quis ser identificado comprou dois Ford do início do século 20, um Modelo T 1924 e um Modelo A 1929, durante uma competição de rali na Argentina. O Modelo T foi restaurado nos padrões originais, e este seria o destino do Modelo A se não fosse uma conversa casual com o dono da oficina de restauração contratada para fazer o serviço.

A Maekelae Auto Tuning (MAT) fica na Finlândia (o que já nos entrega a nacionalidade do sujeito) e especializou-se em recuperar a antiga forma de esportivos e carros de corrida clássicos — há alguns Jaguar E-Type, Lancia Delta Integrale, Ferrari 308 e outros modelos históricos restaurados ou em processo de restauração em seu portifólio, que já é interessante por si só. Contudo, foi o Ford Modelo A que os deixou mundialmente conhecidos.

molde-a (21)

Durante a conversa, o piloto misterioso deixou escapar que seu motor favorito de todos os tempos era o Cosworth BDA projetado para o Ford Escort de rali do Grupo 4 na década de 1980 — um monstrinho de dois litros capaz de entregar 250 cv a 8.400 rpm e 27,6 mkgf de torque a 7.200 rpm — girador, não? Foi aí que surgiu a ideia: em vez de restaurar o carro todo e seu rudimentar motor de 3,3 litros e 40 cv, por que não conseguir o motor Cosworth de um Escort de rali e criar um sleeper totalmente inacreditável?

Soa como uma boa ideia e, pelo jeito, eles também acharam isso.

Obviamente não foi só uma questão de restaurar o carro e trocar o motor — nunca é, ainda mais quando falamos de um carro de noventa anos de idade (ele tinha 70 naquela época, mas você entendeu). Sendo assim, o Fordinho precisou ser restaurado e modificado (restomod, afinal) com reforços estruturais e outros componentes para se tornar capaz de suportar um motor de competição muito mais moderno e quase sete vezes mais potente.

molde-a (1)

 

Carroceria, detalhes de acabamento externos e internos e o aspecto geral do carro foram trazidos de volta à originalidade — processo usual de restauração, com recuperação dos componentes de metal, novos revestimentos e recuperação do que fosse recuperável. Só que o foco aqui é o que mudou radicalmente, a começar pelo que não se vê: a estrutura, um primitivo chassi do tipo escada, recebeu reforços por toda a sua extensão, mas incorporados de forma a parecerem instalados na fábrica há nove décadas. Este foi o foco de todo o carro — manter o visual e a estrutura o mais próximos possível de um Modelo A original, com desempenho comparável ao de um esportivo moderno.

molde-a (23)

A suspensão, por exemplo, manteve o feixe de molas semielípticas na dianteira, mas ganhou uma barra Panhard para melhorar a estabilidade. Atrás, a opção foi trocar o eixo rígido com diferencial original (que não suportaria a nova cavalaria) pelo eixo de uma van da Toyota, completo com uma nova suspensão do tipo four-link. O conjunto todo foi rebaixado em cerca de 5 cm — o bastante para melhorar consideravelmente a estabilidade sem comprometer demais o visual. De fato, é difícil para quem não costuma ver carros como este com frequência notar a diferença.

O motor Cosworth foi acoplado a uma transmissão manual de cinco velocidades da ZF (que também veio de um Escort de rali do Grupo  4). O conjunto é capaz de levar o carro de 0 a 100 km/h em cerca de cinco segundos (!) e ronca como um verdadeiro bólido de rali. Na verdade, vê-lo acelerando meio que confunde os sentidos:

O nível de comprometimento com o visual original chega ao cofre do motor, que teve o coletor modificado para ficar com uma cara mais vintage. Não se parece muito com um motor flathead dos anos 20, mas casa perfeitamente com o aspecto do carro — ainda mais com esta pintura verde.

molde-a (27)

Os pneus são Dunlop Racing especiais de 19 polegadas, que calçam as rodas de alumínio feitas pela própria MAT e pintadas à mão para imitar madeira (e convencem!), enquanto os freios são a tambor, de origem Toyota, nas quatro rodas — não a solução mais moderna, mas certamente muito mais eficientes do que os originais (com direito a um freio-de-mão hidráulico que, imagine, JAMAIS é usado para fazer powerslides…).

Talvez a única coisa que entregue que há algo muito estranho neste Ford Modelo A sejam os cintos de competição — afinal, caso alguém faça alguma besteira, não dá para contar com zonas de deformação programada ou airbags. Mas isto é só um detalhe, que contrasta perfeitamente com as almofadas no banco traseiro. E a gente certamente esqueceria de tudo isto caso passássemos alguns minutos ao volante deste sleeper improvável — e simplesmente espetacular.

molde-a (33)

[ Fotos: Maekelae Auto Tuning / Sugestão de Matheus Utzig ]

 

Matérias relacionadas

WTF? Uma viatura da polícia de Nova York nas ruas de São Paulo?

Renato Bellote

Por que você precisa de um laptop Compaq velho para ter este McLaren F1 sinistro na garagem?

Dalmo Hernandes

Novo Volvo S60 ganha até 415 cv para encarar Mercedes Classe C, BMW Série 3 e Audi A4

Leonardo Contesini