A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

15 fatos completamente insanos dos dragsters de arrancada

São criaturas de fins absolutamente diferentes, contudo, vale pelo exercício de curiosidade: muito se fala na Fórmula 1 como o limite máximo do desempenho sobre o asfalto. Mas quando você tem um carro de mais de 8.000 cv que é capaz de chegar aos 100 km/h em sobrenaturais 0,4 s e a 160 km/h em ridículos 0,8 s – um F1 leva quatro segundos para chegar aos 160 km/h -, fica difícil de se contestar a violência absoluta dos dragsters (os famosos Top Fuel) e dos Funny Cars de arrancada da National Hot Rod Association (NHRA). Sim, tudo o que eles fazem é andar em linha reta – e nesse departamento, não tem para ninguém. Neste post, vocês vão descobrir quinze fatos assustadores sobre estes monstros – e de quebra, verão alguns vídeos. Aperte os cintos e reze!

Os fatos foram retirados da página oficial da NHRA e editados e atualizados por nós do FlatOut.

Você sabia que:

…os motores movidos a nitrometano das categorias Top Fuel (os famosos dragsters) e Funny Cars da NHRA produzem por volta de 8.000 cv, o que é 110 vezes a potência de um Uno Vivace 1.0 com etanol no tanque? E que esta potência é estimada pelo tempo da puxada, peso e potência – pois não existe dinamômetro capaz de suportar tanta força?

…que apenas um cilindro do V8 de um dragster produz 1.000 cv, mais de 250 cv acima de toda a potência produzida por um motor da Fórmula 1 ou da Nascar?

…que um dragster acelera de 0 a 160 km/h em menos de 0,8 s, intervalo 8,5 vezes mais rápido que o tempo necessário para um Nissan GTR? Um Fórmula 1 chega a 160 km/h em quatro segundos.

…que um dragster sai da linha de largada com uma força de aceleração de quase 5 G, cinco vezes mais forte que um Bugatti Veyron e a mesma força que uma nave espacial produz ao decolar do Cabo Canaveral?

…que um Funny Car produz uma desaceleração de insanos 7 G quando os dois para-quedas são usados simultaneamente? Isso dá 2 G a mais que um Fórmula 1 produz durante suas frenagens mais fortes.

…que os dragsters consomem entre 15 e 19 litros de combustível em apenas 402 metros, o que é o equivalente a até 47,2 litros por quilômetro ou 0,02 km/l?

…que os dragster Top Fuel passam dos 450 km/h em apenas 201 metros – a metade da pista de arrancada?

…que uma bomba de combustível de um dragster tem fluxo de 246 litros por minuto, o equivalente a oito chuveiros ligados ao máximo ao mesmo tempo?

…que a pressão da linha de combustível de um dragster passa dos 500 psi, mais de 20 vezes superior à média de um sedã de luxo?

…que, dependendo das dimensões e do ângulo, a asa traseira de um dragster produz mais de 3,5 toneladas de downforce?

…que os pneus de 17 polegadas usados nos dragsters duram no máximo seis passagens, ou menos de quatro quilômetros, e custam mais de US$ 1.500 o par?

…que leva apenas 15 centésimos de segundo para que os 8.000 hp de um dragster cheguem às rodas traseiras?

…que a meta dos dragsters é correr com as rodas dianteiras no ar pelos primeiros 60 metros da puxada? Isso garante a transferência de peso ideal para os pneus traseiros, algo essencial para se obter o máximo de tracionamento.

…que o nitrometano usado nos motores dos dragsters custa mais de R$ 25 o litro nos EUA – e no Brasil, o preço fica na casa dos R$ 100 por litro?

 

A onda de choque do motor quase arranca a câmera da mão do cinegrafista…

Os pneus de arrancada são projetados para torcer e acumular energia potencial elástica, quase como uma mola, e usam pressão muito baixa, em torno de 7 psi

Estes dois vídeos acima mostram ainda mais curiosidades técnicas sobre os Top Fuel e Funny Cars, como o derretimento das velas, a perda parasita de 600 hp apenas no compressor e a desmontagem e remontagem completa do motor em apenas 40 minutos. São imperdíveis e mostram que, no mundo da arrancada profissional, a coisa é tão complexa quanto em qualquer categoria de ponta do automobilismo no mundo

Matérias relacionadas

Sistemas de admissão: coletores, CAIs, filtros e roncos!

Rodrigo Passos

Especial simuladores de corrida, pt.1: a chave para conseguir pilotá-los

Juliano Barata

Como funciona a suspensão ativa que vê os buracos da estrada?

Leonardo Contesini