FlatOut!
Image default
Car Culture Cinema Projetos Gringos Zero a 300

2.400 km, impecável e todo original: conheça o Mazda RX-7 de Cody Walker, o irmão de Paul Walker

Paul Walker morreu em novembro de 2013, em um acidente com um Porsche Carrera GT, enquanto as gravações de Velozes e Furiosos 7 (Furious 7, 2015) ainda estavam rolando. Apesar do trauma, a produção do filme seguiu e o enredo foi adaptado para incluir a saída de Brian O’Conner do time. Algumas das cenas que Paul já havia gravado foram aproveitadas, outras usaram efeitos especiais computadorizados para incluí-lo, e houve até algumas tomadas gravadas com Cody Walker, irmão de Paul, que é 15 anos mais novo e assustadoramente parecido com ele.

Tão parecido que, assim como Paul, Cody Walker também é entusiasta. E ele também é fã dos esportivos JDM – tanto que sua mais recente compra foi o carro que aparece nestas imagens: um Mazda RX-7 1988 com apenas 1.500 milhas (cerca de 2.414 km) marcadas no hodômetro. E o carro tem uma bela história.

Trata-se de um Mazda RX-7 10th Anniversary Edition, lançado em 1988 para comemorar os dez anos de lançamento do primeiro RX-7 – cuja história contamos neste post. O RX-7 de segunda geração, FC, foi lançado em 1985 e foi o primeiro a usar uma versão turbinada do motor Wankel 13B, de dois rotores e 1,3 litro. Seu visual era bastante parecido com o do Porsche 924, em uma inspiração assumida pela Mazda, visto que o carro foi feito pensando no mercado norte-americano. Por esta razão, aliás, o RX-7 FC é um carro relativamente comum nos EUA – para um esportivo japonês, ao menos.

cody8

Incomuns foram as condições nas quais Cody comprou o RX-7. No vídeo acima, feito pelo GTChannel (os caras que às vezes legendam vídeos antigos da Best Motoring), ele conta que o Mazda pertencia a seus sogros, que o compraram zero-quilômetro. Não era a intenção: o pai de sua esposa foi à concessionária para comprar uma caminhonete nova. “Eles deviam ter um baita vendedor trabalhando naquele dia”, Cody brinca, “porque no fim das contas o meu sogro saiu de lá dirigindo isto aqui”, apontando para o carro.

cody14

Ele diz também que seus sogros continuaram usando a caminhonete antiga na maior parte do tempo, enquanto o RX-7 rodava muito pouco e passava a maioria do tempo na garagem, sob uma capa. Por isso está novo e totalmente original, com baixíssima quilometragem e funcionando perfeitamente. “Ele só não tem marcha lenta”, Diz Cody, brincando.

cody12

Isto tem a ver com a natureza do motor Wankel. Como você pode até já saber (especialmente se leu o post no qual explicamos o funcionamento do motor rotativo da Mazda), em vez de pistões o motor Wankel tem rotores dentro de uma câmara de combustão. Não há válvulas, e sim janelas de admissão e escape, e estas ficam nas laterais da câmara. Por conta do formato da câmara de combustão, há quase sempre um pouco de combustível depositado em sua base. Em marcha lenta, com o motor frio, este combustível extra acaba deixando a mistura “rica” e tornando a queima mais irregular, o que provoca alguns pipocos e rotações oscilantes até que a temperatura ideal de funcionamento seja atingida.

cody cody17 cody16

O Mazda RX-7 de Cody pertence à primeira fase da segunda geração, conhecida como S4, que foi fabricada entre 1985 e 1988 – mais do que isto, é um exemplar do último ano de fabricação. O motor é o Wankel 13B com turbo e 185 cv, acoplado a uma caixa manual de cinco marchas. O conjunto mecânico é suficiente para ir de zero a 100 km/h em 6,7 segundos, com máxima de 209 km/h. E como estamos falando de um carro voltado ao público norte-americano, a Mazda também divulgou o tempo no quarto-de-milha: 15,2 segundos.

A Mazda também fazia questão de enfatizar o emprego de buchas especiais na suspensão traseira que ajudavam as rodas a “esterçar” automaticamente nas curvas. Na verdade elas só causavam pequenas variações nos ângulos de cáster e convergência das rodas de trás para, de fato, dar mais agilidade nas curvas.

21

O que a edição especial de 10 anos tinha de diferente? Limitada em 1.500 unidades, a série tinha acabamento externo monocomático, com carroceria, rodas, frisos e até emblemas pintados de branco Crystal White. As rodas eram da Momo e tinham 16 polegadas. O carro também tinha um spoiler e uma asa traseira exclusivos, além de emblemas dourados alusivos à versão.

cody19

O interior era sempre revestido de couro preto e tinha uma lista generosa de equipamentos, incluindo teto solar, ar-condiconado, toca-fitas com equalizador, vilante e alavanca de câmbio Momo, alarme e chave codificada (que também tinha um emblema dourado comemorativo, e hoje é item de colecionador por si só). Cody fica satisfeito em afirmar que todos os recursos do carro funcionam perfeitamente.

cody13 cody15 cody11 cody10

O RX- 7 é a mais recente adição de Cody Walker a seu acerto – sua garagem também abriga um Porsche 911 modificado pela RAUH-Welt Begriff e um Honda S2000, ambos devidamente registrados no Instagram.

Cody faz parte de uma organização chamada Reaching Out World Wide, fundada por Paul Walker, que presta assistência a vítimas de desastres naturais no mundo todo. Além de arrecadar matimentos, roupas e brinquedos eles também ajudam as comunidades atingidas por catástrofes a se reerguer, por exemplo, limpando estradas e construindo casas. Eles também organizam encontros automotivos em memória a Paul, geralmente com a presença de outros membros do elenco da franquia “Velozes e Furiosos” e alguns carros usados nos filmes. Reconhece o Eclipse aí embaixo?

O RX-7 certamente será usado neste tipo de ação, também. Só esperamos que Cody Walker coloque mais algumas centenas de milhas neste hodômetro!

Matérias relacionadas

Novo Porsche 911 flagrado quase sem disfarces, Corvette Shooting Brake aparece pela primeira vez, os carros mais vendidos de janeiro e mais!

Leonardo Contesini

BMW Série 8 é revelado, Rubens Barrichello irá dublar “Carros 3”, Hyundai i30 N nas 24 Horas de Nürburgring e mais!

Leonardo Contesini

Civic Nation 7: saiba tudo o que rolou no maior encontro de Honda do Brasil!

Juliano Barata