A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Projetos Gringos

2.500 cv: AMS Performance Alpha G é o Nissan GT-R mais potente do mundo

Entre os carros mais emblemáticos dos últimos anos, o Nissan GT-R tem seu lugar mais do que garantido. Falta até espaço para listar os motivos: além de representar a volta de uma sigla lendária, o famoso Godzilla é um verdadeiro feito de engenharia — graças a um exímio trabalho de suspensão, aerodinâmica, eletrônica e motor, o brutamontes de quase 1,8 tonelada é um dos carros mais velozes do mundo, e um dos mais competentes em circuitos.

O que não impede ninguém de achar outras aplicações para seu potencial. Como bem sabemos, os japoneses costumam projetar motores capazes de trabalhar em um regime muito mais agressivo do que o acerto de fábrica permite. E o V6 biturbo de 3,8 litros chamado VR38DETT, obviamente, não é exceção.

Alpha-G-Nissan-GT-R-2

Atualmente (e aproximando-se de seus últimos momentos de vida antes da chegada de seu sucessor), o Nissan GT-R dispõe de 552 cv em sua versão comum — ou 608 cv a 6.800 rpm na versão Nismo que, com mais 66,5 mkgf de torque, é capaz de chegar aos 100 km/h em impressionantes 2,9 segundos, com máxima de 307 km/h.

Com esta aceleração toda, não surpreende que algumas preparadoras apostem no GT-R não como um monstro dos circuitos, mas como um carro de arrancada. E, sem dúvida, a mais famosa é a AMS Performance. Se o nome não te traz nenhuma lembrança, são os caras por trás do incrível Nissan GT-R Alpha Omega.

Ele já foi tema de post aqui no FlatOut: trata-se de um verdadeiro monstro 2.000 cv capaz de chegar aos 300 km/h em 7,83 segundos no quarto-de-milha — com vídeo para provar:

O GT-R Alpha Omega foi o primeiro a utilizar o kit Alpha 20, com motor de deslocamento ampliado para quatro litros, bloco reforçado, dutos polidos e dois turbos feitos sob medida para extrair 2.000 cv do VR38DETT. O carro havia sido destaque do Texas Invitational, evento de arrancada privado que acontece algumas vezes por ano no Texas, normalmente em pistas de pouso fechadas ou abandonadas, em 2014.

No ano passado, foi a vez de seu sucessor, um carro azul batizado simplesmente como Alpha 20 (os caras da AMS não curtem ficar de frescura com os nomes de seus projetos), brilhar: ele cumpriu o quarto-de-milha em 7,94 segundos a 289 km/h.

Foi em março de 2015. Cinco meses depois, durante uma puxada, uma das mangueiras do sistema de lubrificação arrebentou e, com o tranco, o carro atravessou a pista e foi bater no muro lá do outro lado, danificando toda a dianteira e boa parte da lateral. O Alpha 20 já era.

Por sorte, o conjunto mecânico ainda estava intacto e Gidi Chamdi o dono do carro saiu ileso. E ele ainda tinha um coração em pleno funcionamento para colocar em outro GT-R. O mais bacana é que o acidente foi o que incentivou Gidi a usar o que restou do Alpha 20 como base para um projeto ainda mais ambicioso, feito em conjunto com a AMS Performance.

Alpha-G-Nissan-GT-R-4 Alpha-G-Nissan-GT-R-7

 

O carro se chamará Alpha G (em “homenagem” a Gidi), e as modificações (que já estão sendo realizadas) serão a base para o novo kit da AMS, que eleva a potência do GT-R para praticamente inacreditáveis 2.500 cv. Nas rodas!

Se há um cara que tem cacife para entrar em uma oficina e dizer “caras, façam aí o carro de arrancada mais potente que vocês puderem”, esse cara é Gidi. Não se sabe tanto assim a respeito dele, mas o principal é o seguinte: enquanto a gente fica aqui imaginando como seria nossa garagem perfeita, com um carro para cada ocasião, ele enche a sua com carros de arrancada absurdamente potentes. Além do Alpha 20, Gidi também tem um GT-R Alpha 12 (com uma versão de 1.200 cv do kit AMS) e dois Lamborghini, um Gallardo e um Huracán, ambos preparados pela Underground Racing (aka UGR).

Com mais de 1.700 cv no V10 biturbo de 5,2 litros, o Gallardo UGR biturbo de Gidi foi capaz de chegar a impressionantes 377,97 km/h em meia milha — poucos dias depois de seu acidente com o GT-R Alpha 20 — tornando-se, de acordo com suas contas, o Lamborghini mais veloz do mundo.

Alpha-G-Nissan-GT-R-9

Isto ficou bem claro? Pois então vamos voltar ao GT-R de 2.500 cv que Gidi está fazendo com a AMS. Eles têm certeza de que o carro conseguirá bastante exposição e, por isto, estão usando os upgrades empregados no antigo Nissan de Gidi para desenvolver o novo kit.

Alpha-G-Nissan-GT-R-8

Por agora a AMS ainda não revelou muito das especificações (nem há por que fazer isto), mas já soltou algumas informações bem interessantes. Primeiro, que o motor usará um novo bloco de billet de alumínio Alpha VR38 Version 2. Desenvolvido em conjunto com a Manley, que é famosa por seus componentes para motores V8 americanos, o bloco tem camisas revestidas com Teflon (para reduzir a fricção) e teve o projeto retrabalhado para melhorar a lubrificação.

Eles não revelam, por exemplo, se o bloco teve o diâmetro dos cilindros ampliado como no Alpha 20. Os turbocompressores Garrett também são feitos sob medida — o que não é exatamente difícil, visto que a AMS é uma das distribuidoras oficiais dos caracóis de alto desempenho da Garrett. É bem provável que os cabeçotes também sejam da AMS, bem como os demais periféricos do motor.

Além do motor retrabalhado (que, de acordo com a AMS, só foi encaixado no carro para as fotos e ainda precisa de alguns ajustes), dá para ver outros detalhes bacanas. Primeiro, que o carro não é uma bolha e o monobloco do GT-R, apesar de modificado, ainda está inteiro. Dá para ver a gaiola de proteção integral (que, provavelmente foi crucial para manter Gidi praticamente ileso) e também as saídas de escape que, em uma modificação muito estilosa, saem direto pelos para-choques dianteiros.

Alpha-G-Nissan-GT-R-3 Alpha-G-Nissan-GT-R-11

Nem precisamos dizer que, apesar de admirar (e questionar, por que não?) toda a capacidade da Nissan de transformar um mamute turbinado em uma referência entre os esportivos de pista, estamos para lá de empolgados para ver o Alpha G em ação. Esperamos que ele fique pronto a tempo do Texas Invitational 2016.

 

Matérias relacionadas

Um motor de Porsche 911 era tudo o que faltava para o Karmann Ghia

Dalmo Hernandes

Que tal um quadriciclo com motor V8 de Ferrari? Ou da Jaguar? Conheça as incríveis misturas de carro e moto da Lazareth

Dalmo Hernandes

Bastidores: os dias em que entrevistei Gordon Murray e Stirling Moss

Gustavo Henrique Ruffo