A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos História

A evolução do ícone: a história do BMW M3 E30 Evolution

Nem mesmo os mitos nascem perfeitos. O BMW M3 E30 poderia ser uma exceção se, ao longo de sua vida, não tivesse recebido algumas melhorias e se tornado um carro ainda mais desejável — praticamente perfeito, a gente diria. Uma das versões atualizadas do M3 E30 é a Evolution 2, do qual foram feitas apenas 500 exemplares.

Quando a Mercedes-Benz lançou o 190E 2.3-16 Cosworth como modelo de homologação para competir no Grupo A de turismo, naturalmente a BMW precisava de uma resposta — e ela veio em 1985.

evo2 (13)

A FIA exigia a produção de 5.000 carros de rua para que um modelo de competição fosse homologado. Desta forma, a BMW Motorsport desenvolveu o carro de corrida primeiro e depois aplicou as modificações ao modelo de rua a fim de homologar o carro de corrida — e não foram muitas. Claro, o motor do carro de corrida tinha 330 cv, mas o carro de rua usava uma versão menos potente do mesmo motor, o S14 e os paineis da carroceria eram basicamente os mesmos — os carros de rua precisavam ter as mesmas dimensões do carro de corrida para que o regulamento fosse cumprido.

evo2 (14)

Os primeiros M3 de rua tinham uma versão de 2,3 litros do motor S14. Compacto e girador, ele rendia 195 cv a 6.750 rpm e era alimentado por dois corpos de borboleta — um para cada dois cilindros (o carro de corrida tinha corpos de borboleta individuais para cada cilindro) e fazia o carro chegar aos 100 km/h em 6,9 segundos, com máxima de 235 km/h.

evo2 (1)

É aí que entra nosso papo de carro perfeito: o carro lançado em 1985 poderia muito bem ter permanecido exatamente assim ao longo de toda a sua existência, mas a BMW decidiu modificá-lo algumas vezes ao longo dos anos, o que deu origem a algumas edições especiais.

Uma das mais raras e mais desejáveis é o M3 Evolution 2. Trata-se de uma versão lançada em 1988 que traz algumas modificações importantes. A principal delas é o motor, que ainda tinha 2,3 litros, mas recebia um comando de perfil mais agressivo, taxa de compressão aumentada (de 10,5:1 para 11:1), volante aliviado, cabeçote retrabalhado para melhorar a admissão e módulo eletrônico recalibrado.

bmw_m3_evolution_ii_9

Além disso, o carro tinha rodas maiores, de 16 polegadas de diâmetro e sete polegadas de largura, vidro traseiro mais fino (para reduzir peso), tampa traseira mais leve, entradas de ar no lugar dos faróis de neblina, spoiler dianteiro maior e um novo spoiler traseiro. Foram feitas só 501 unidades, cupês e conversíveis, entre março e junho de 1988.

O M3 Evo2 tem a versão mais potente do motor de 2,3 litros, com 220 cv a 6.750 rpm (com catalisador, a potência cai para 215 cv). Depois dela, a Sport Evolution (ou Evo3) passou a usar uma versão de 2,5 litros e 240 cv. Reconhecer um destes motores é fácil: a tampa de válvulas é pintada de branco e traz faixa tricolor da divisão Motorsport, causando um efeito visual bem legal.

evo2 (15)

Sendo bem raro, este carro não costuma aparecer muito à venda, o que torna esta oportunidade única: um dos 500 exemplares está à venda no Reino Unido. Trata-se de um cupê Macau Blue (que parece mais um cinza escuro) com apenas 90 mil km rodados, anunciado na seção de classificados do Pistonheads. Segundo o dono, é raro encontrar um exemplar nestas condições, ainda mais na úmida Inglaterra.

e30evo2 (1)

O carro, contudo, não está totalmente original — recebeu rodas BBS maiores e um volante M mais moderno. O anunciante diz que os mais exigentes não terão muita dificuldade em achar as peças originais (o que nos parece conversa de vendedor), mas que, na prática, são bons upgrades. O preço é de £ 34.995, o que dá pouco mais de R$ 130 mil. Para se ter uma ideia, um M3 E30 “normal” dificilmente ultrapassa os £ 25 mil (cerca de R$ 90 mil).

16960_bmw

Matérias relacionadas

Ford Indigo: o clássico de Need for Speed II que emprestou seu motor V12 para a Aston Martin

Dalmo Hernandes

Toyota Supra Mk4: relembre a história do modelo mais veloz e furioso da marca

Leonardo Contesini

Hermanos Rodríguez: as promessas do automobilismo que deram seu nome ao Circuito de Fórmula 1 do México

Dalmo Hernandes