A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

A história da menina de 12 anos que decidiu construir seu próprio carro

Muitos garotos começam a sonhar com carros logo cedo, geralmente na infância ou adolescência, mas não é sempre que você encontra histórias de meninas sonhando com um carro. Ou então comprando um carro para restaurá-lo.

É por isso que a história de Kathryn DiMaria chamou nossa atenção. Ela é uma garota tem só 16 anos, e desde os 12 trabalha na restauração de seu próprio carro, um Pontiac Fiero. Sim, Kathryn tem um carro desde os 12 anos, comprado com seu próprio dinheiro. E quando falamos “seu próprio dinheiro” não se trata de mesadas dos pais, e sim a quantia que ela guardou trabalhando como baby-sitter, algo bem comum nos EUA, onde ela mora.

A iniciativa partiu da própria garota depois de ir a alguns automotivos com seu pai, um fã dos Corvette. Ela não tinha sequer completado 12 anos quando viu um Fiero e teve a ideia de comprar seu carro.

Em uma demonstração impressionante de maturidade, ela chamou seus pais para uma conversa e os convenceu de que se ela comprasse um carro com 12 anos e começasse a restaurá-lo, ele estaria pronto quando ela fizesse 16, a idade mínima para dirigir nos EUA.

Precisava ser um Fiero porque era um GM, marca que seus pais gostam e confiam, e além de achá-lo bonito, ele é um carro esportivo, barato e fácil de manter, e tem lugar para apenas um passageiro, o que evitaria distrações ao dirigir. Além disso, durante a restauração ela poderia aprender os princípios fundamentais do funcionamento de um carro, além de desenvolver habilidades que ela jamais desenvolveria se fosse como as demais meninas de sua idade.

Os pais aprovaram, com a condição de que ela teria que pagar pelo carro e pela restauração sem contar com um centavo do bolso deles. Assim começou a história de Kathryn e seu Fiero.

042x3large

Um Pontiac Fiero GT 1986 original

Ela encontrou o modelo na internet, um Fiero GT preto 1986 com motor V6 2.8 de 142 cv, que estava anunciado por US$ 600. Depois de alguma negociação, Kathryn levou o carro para casa por US$ 450. O modelo não é exatamente um clássico nos EUA, embora tenha sido o primeiro esportivo americano de motor central traseiro.

FlatOut 2014-07-12 às 17.22.44

Kathryn quer seu carro preto com listras amarelas, como nesta projeção

Seu pai estava crente de que ela se empolgaria com o carro por um ou dois meses, e logo depois o deixaria de lado, como é comum nessa idade.

Mas os dois meses viraram dois anos, e depois quatro. Hoje Kathryn tem 17 anos e já restaurou boa parte do carro usando o dinheiro que ela ganha vendendo pequenas esculturas feitas com sobras de componentes automotivos e cuidando das crianças da vizinhança.

weld3_1

8504179971_8805780edb

E não pense que foi um trabalho fácil. O carro foi inteiramente desmontado e restaurado detalhadamente. Da pintura dos paineis plásticos da carroceria aos pontos de reforço estrutural no chassi spaceframe, passando pela reconstrução completa do motor e até o revestimento e corte das espumas dos bancos. Mais impressionante é que apesar de ter ajuda de um tio e de seu pai, Kathryn faz a maior parte do trabalho sozinha.

8_4

Sua história ganhou fama em 2012, depois de ser tema de reportagens na CNN e no Jalopnik US (o Jalopnik Brasil falou sobre Kathryn na mesma época), e chegou ao conhecimento de executivos da GM, que convidaram Kathryn para conhecer as mulheres engenheiras e designers que trabalham na companhia. Agora que Kathryn dirige, eles até emprestaram um Chevrolet Volt para ela usar livremente por uma semana.

IMG_8202_(Medium)_(Small)

Infelizmente, Kathryn ainda não terminou seu projeto e precisou diminuir o ritmo da restauração recentemente pois começou a trabalhar em seu primeiro emprego e está fazendo aulas adicionais na escola durante o verão. O projeto todo está documentado com algumas fotos e posts esporádicos de seu pai e da própria Kathryn em um fórum sobre o Fiero.

De acordo com as mensagens postadas, ela já terminou o chassi, motor, rodas e pneus e começou a trabalhar no interior do carro, que será preto com detalhes em amarelo — combinando com a carroceria preta com faixas de corrida amarelas.

DSCI0314_(Medium)

A atualização mais recente postada pela garota é do dia 25 de junho, e conta que ela voltou a trabalhar com seu pai no envelopamento das portas, e agora só precisam instalar corretamente as peças de acabamento que foram tiradas para pintura. Tudo indica que a conclusão não deve demorar — e nós vamos ficar de olho no andamento.

Matérias relacionadas

Lendas de Le Mans: o surgimento e os primeiros vencedores da maior corrida do planeta

Dalmo Hernandes

Ostentação fora do normal: está rolando o Gumball 3000 2014, de Miami a Ibiza!

Dalmo Hernandes

Acredite: esta aberração um dia foi uma perua Mercedes-Benz 300TD W123 – ou melhor, DUAS

Dalmo Hernandes