A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Carros Antigos

A incrível coleção de muscle cars de Bill Goldberg

Recentemente, a Dodge deu início a uma campanha genial nas redes sociais estrelando o ex-lutador Bill Goldberg. O vídeo explica o primeiro de vários desafios que o público deverá responder para ter a chance de ganhar um Dodge Challenger SRT Hellcat Redeye, a versão mais potente que se pode comprar no momento – são nada menos que 807 cv no motor V8 Hemi supercharged de 6,2 litros.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

O desafio envolve cálculos matemáticos: considerando que o tempo mais rápido na subida de montanha de Pikes Peak atualmente é de 7min27s, quanto tempo um Challenge Redeye levaria para subir do pé ao topo em uma linha reta?

Há uma boa razão para que a Dodge tenha chamado Goldberg para estrelar o vídeo: fortão e com uma postura ameaçadora, ele combina bastante com a personalidade dos muscle cars da Dodge. Mas não é só isto – o fato é que Goldberg possui uma belíssima coleção de muscle cars, algo que um ex-astro da WCW (a liga rival da WWE que existiu entre 1988 e 2001) e ocasional ator de filmes de ação certamente tem bala na agulha para bancar.

Um de seus carros mais famosos era uma réplica do Hemi Dart que ele mesmo encomendou. Como você deve saber, o Hemi Dart original era um carro de arrancada de fábrica do qual só foram feitos 80 exemplares.

Seu grande atrativo era o fato de ser um modelo da plataforma A-body, reconhecidamente compacta para os padrões norte-americanos, equipado com um V8 Hemi, o famoso The Elephant – o que exigiu uma série de adaptações no cofre para acomodar o grandalhão. Ele também tinha um enorme scoop funcional no capô, tão cavernoso que se podia ver o topo do motor por ele, e nenhuma garantia de fábrica. Ele era legalizado para as ruas, sim, mas a Dodge só havia feito isto para que os compradores o colocassem na dragstrip e vencessem as arrancadas, aumentando a popularidade do modelo. O bom e velho win on Sunday, sell on Monday.

Por mais que seja uma réplica, o carro que era de Goldberg era matador. Ele tinha um V8 Hemi feito sob medida pela Ray Barton, com deslocamento de 7,7 litros e 722 cv, acoplado a uma caixa manual A833 de quatro marchas com overdrive. O eixo traseiro é um Strange S60, com relação final 3,73:1. A suspensão recebeu molas helicoidais Mopar Performance Super Stock, enquanto a dianteira ganhou um novo sistema de direção por pinhão e cremalheira, com freios a disco Baer nas rodas da frente. O visual maléfico natural do Hemi Dart é acentuado pela pintura preta e pelas rodas traseiras de aço estampado.

Este carro está aqui porque é o mais famoso que Goldberg já teve, mas já não pertence mais à sua coleção há algum tempo – em 2011, a Barrett-Jackson leiloou o “Hemi Dart” por US$ 104.500 (cerca de R$ 428.000 em conversão direta).

Por outro lado, sobraram outros automóveis bem interessantes na garagem de Goldberg. Olha só:

Este é um dos dois “Lawman Mustang” que a Ford construiu em 1970 para seu evento itinerante Ford Performance Tour – um carro que, para muitos fãs, está entre os Mustang mais importantes do planeta. O intuito era entreter os militares norte-americanos que estava alocados em bases na Ásia. O responsável pela montagem dos carros era um piloto de arrancada chamado Al Eckert, que foi um dos maiores vencedores dos campeonatos da NHRA (National Hot Rod Association) na década de 1960. Ele era conhecido como “The Lawman” porque, antes de ser piloto, preparador e dono de equipe em tempo integral, trabalhava como advogado.

Os Lawman Mustang começavam sua vida como exemplares do Boss 429, e obviamente recebiam uma série de modificações, incluindo a instalação de um supercharger (para chegar perto dos 1.000 cv, segundo relatos da época), alívio de peso no interior e suspensão retrabalhada para aumentar a tração dos pneus traseiros na dragstrip. Os dois carros foram enviados para a Ásia, onde foram vistos em ação por mais de 40.000 soldados que serviam na Coreia do Sul, no Japão, nas Filipinas e no Vietnã. Apenas um dos carros sobreviveu e, atualmente, está aos cuidados de Goldberg.

O ex-lutador também é dono de uma réplica do Shelby Cobra 1965 equipada com um V8 feito sob as especificações da Nascar, e montado por Birdie Elliot, irmão do piloto da Nascar Bill Elliot.

Não se encontra mais especificações a respeito do carro, mas o vídeo abaixo permite que a gente escute um pouco do seu ronco.

Achou o Cobra um carro, digamos, muito pequeno para Goldberg? Ele também deve achar…

… e deve ser por isso que ele também mantém em sua garagem um Dodge Charger 1969 meticulosamente restaurado e equipado com um Hemi 426 – um belo upgrade considerando que este exemplar veio de fábrica com um motor V8 LA 318, igualzinho ao usado pelos Dodge brasileiros.

Outro integrante da garagem de Goldberg que mantém as características originais é este Challenger R/T 1970, equipado com o motor 440 Six Pack (com três carburadores Holley de corpo duplo), câmbio manual de quatro marchas e uma interessante combinação de carroceria Go Mango e interior branco.

Goldberg chegou a vender o Challenger em um leilão da Mecum Auctions em 2012, mas desde então acabou comprando o carro de volta.

Ele também tem outro Challenger fabricado em 1970 – um conversível preto que não denuncia sua verdadeira natureza, excepto pelo scoop do tipo shaker capô.

O motor é um V8 Hemi Ray Barton Racing Engines com 478 pol³ (7,8 litros) de deslocamento, dois carburadores de corpo quádruplo e capacidade para entregar 592 cv – moderados por uma caixa manual de cinco marchas.

Você já deve ter percebido que os Mopar são maioria na garagem de Goldberg, mas não são unanimidade. Ele também tem um Pontiac Trans Am 1970 – um exemplar equipado com o Ram Air IV, sistema de admissão com coletor de alumínio, maior levante nas válvulas de admissão, e câmaras de combustão com formato otimizado para melhorar a eficiência da combustão. Foram feitos apenas 88 exemplares do Trans Am com Ram Air IV em 1970.

Segundo Goldberg, o Trans Am era um de seus carros dos sonhos quando ele tinha 16 anos de idade – e foi o primeiro carro no qual ele fez um test drive depois de tirar a carteira de motorista. No entanto, sua mãe impediu a compra, dizendo que o pony car era rápido demais para um rapaz recém-habilitado. Apenas décadas depois, por pura nostalgia, ele acabou comprando o Pontiac.

 

Outro clássico da GM que habita a garagem de Goldbert é um Yenko Camaro 1968, do qual foram feitos apenas sete exemplares. Para quem não lembra, os Yenko Camaro eram feitos pela concessionária de Don Yenko, na Pensilvânia. Yenko foi quem tomou a iniciativa de instalar o motor big block 427 no Camaro, visto que a própria Chevrolet se recusava a fazê-lo por acreditar que o Corvette deveria ser o único a utilizá-lo. No fim das contas, a Chevrolet acabou aprendendo com Yenko e passou a oferecer um Camaro com motor 427 a partir de 1969.

Como é o caso com muitos colecionadores, porém, Goldberg sempre está vendendo e comprando novos itens para seu acervo. Não duvidamos que este post tenha de ser atualizado em algum momento.

Matérias relacionadas

Top Comments: os comentários mais votados do FlatOut na última semana

Leonardo Contesini

XR3: como a Ford transformou o Escort em um esportivo

Dalmo Hernandes

Yellow Banana: o Galaxie meio torto que levou a Ford de volta à Nascar

Dalmo Hernandes