A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

A morte de Charles Whiting da F1, Ferrari diz que irá manter V12 aspirado sem eletrificação, Nissan Kicks ganha versão boleira no Brasil e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

 

Morreu aos 66 anos Charlie Whiting, diretor de provas da Fórmula 1

Faltando três dias para a primeira corrida de Fórmula 1 da temporada 2019, o mundo do automobilismo recebeu uma notícia triste: Charlie Whiting, diretor de provas da categoria, morreu nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (14).

Whiting foi encontrado sem vida em no quarto do hotel onde estava hospedado, em Melbourne, na Austrália. Mais tarde, foi comunicado que Whiting sofreu uma embolia pulmonar – o bloqueio de uma das artérias dos pulmões. Ele tinha 66 anos de idade.

Whiting estreou na Fórmula 1 em 1977, como mecânico da Hesketh, antes de migrar para a Brabham na década de 1980, a convite de Bernie Ecclestone. Whiting participou dos melhores anos da Brabham, sendo o mecânico-chefe da equipe quando Nelson Piquet conquistou os títulos de 1981 e 1983.

Em 1988, Whiting assumiu o cargo de delegado técnico da Fórmula 1 junto à FIA, e em 1997 passou a diretor técnico. Como tal, Whiting era responsável pelos itens de segurança das pistas e dos carros, além de supervisionar o regulamento e todos os procedimentos técnicos das corridas. (DH)

 

Nissan Kicks ganha versão especial UEFA Champions League por R$ 95.290

A Nissan apresentou oficialmente o Kicks UEFA Champions League no Brasil. O modelo, inspirado na Liga dos Campeões da Europa, já era oferecido na Argentina, e agora está disponível em nosso mercado por R$ 95.290.

A versão é baseada no Kicks SV Pack Plus, que custa R$ 93.490 e vem de série com airbags frontais, laterais e de cortina; direção elétrica; assistente de partida em rampa; e ar-condicionado; e central multimídia com tela sensíve ao toque. Na edição UEFA Champions League, as diferenças são a pintura em vermelho “Malbec”, os emblemas do campeonato europeu de futebol e o revestimento interno em couro preto, com detalhes vermelhos no painel. Além disso, o SUV compacto recebe novos spoilers frontal e traseiro e novas saias laterais.

O motor é o mesmo 1.6 16v de 114 cv das outras versões, acoplado a um câmbio CVT com simulação de marchas. O Kicks UEFA Champions League será numerado, e a Nissan pretende fabricar entre 500 e 600 unidades – o número vai depender da demanda pelo modelo. (DH)

 

Ferrari diz que não pretende usar um V12 híbrido ou turbo

Enquanto a Lamborghini já antecipou com naturalidade que a condição para manter seus V12 aspirados é a adoção de motores elétricos complementares, a Ferrari decidiu criar polêmica e deixou claro que não pretende usar motores V12 híbridos, turbo ou downsized em seus futuros carros e que irá “lutar para manter o V12 como ele é hoje porque ele é a essência da Ferrari”.

A declaração foi dada pelo diretor técnico da Ferrari, Michael Leiters, em uma entrevista à revista Road & Track. Na entrevista, ele disse que as Ferrari V12 permanecerão aspiradas, com deslocamento alto e que os V6 e V8 serão destinados a melhorar as emissões da marca para adequação à legislação vigente.

“Vamos lutar pelo V12, para mantê-lo como é hoje, porque ele é a essência da Ferrari. É importante diferenciar qual carro eu quero com um sistema híbrido. Se estamos fazendo um V12, não estou falando de hibridização. É uma contradição. Talvez seja possível conseguir uma redução no consumo de combustível, mas não faz sentido. Para obter o máximo potencial de um híbrido precisamos fazer downsizing. Com um V12 aspirado não precisamos do downsizing”, disse à revista.

Antes de comemorar a permanência dos V12 aspirados nas Ferrari, lembre-se que a marca também disse que nunca faria um SUV e agora está preparando um modelo que tem todas as características de um SUV menos o nome SUV. Além disso, a declaração de Leiters é contraditória com a história da Ferrari e, de certa forma, ingrata com sua própria equipe. Ou ele esqueceu que a La Ferrari usava um V12 híbrido?

O caminho para a hibridização dos V12 é inevitável se a legislação ambiental continuar no ritmo atual. Primeiro porque o V12 se tornou um motor mais passional do que racional — tem muito mais a ver com a experiência aural do que com o desempenho em si. A Mercedes-AMG, por exemplo, já desistiu dos V12 biturbo em favor dos V8 biturbo eletrificados, e a Lamborghini, como dito mais acima, admitiu que os V12 precisarão de hibridização.

Diante disso a Ferrari terá três opções: compensar os V12 com modelos 100% elétricos e mais modelos híbridos (além daquele que está atualmente em desenvolvimento para se encaixar entre a F8 Tributo e a 812 Superfast), deixar de produzir modelos V12 ou simplesmente evoluir o sistema da LaFerrari e seguir em frente como todas as outras marcas. Qual você acha mais provável?

Foi exatamente este o maior objetivo da LaFerrari: tornar aceitável uma Ferrari híbrida. Além disso, a Ferrari é uma marca nascida nas pistas e, se há algo mais tradicional que um motor V12 dianteiro para a marca, é a transferência de tecnologia das pistas para as ruas. Se os carros de F1 usam powertrain híbridos, espera-se que seus carros de rua tenham as mesmas tecnologias. Como a Ferrari pretende fazer a sucessora da LaFerrari sem nenhuma tecnologia moderna? Ela pode até usar um V6 de Fórmula 1 como a AMG, mas nesse caso, onde está “a alma da Ferrari” que é o V12, como disse o próprio Leiters? (LC)

 

Mercedes-AMG terá opção híbrida para todos os seus futuros modelos

A AMG confirmou nesta semana que todos os seus modelos serão oferecidos com powertrain híbrido no futuro. A marca atualmente já oferece os modelos CLS 53, E53, GLE53 e AMG GT E53 com um seis-em-linha biturbo combinado a um motor elétrico de 48 volts — os chamados “híbridos leves” ou “mild hybrids”, mas eles não fazem parte dos planos de longo prazo da divisão esportiva.

Segundo o diretor de controle de emissões da Mercedes, Frank Overmeyer, eles proporcionam uma redução muito pequena nas emissões e, por isso, serão substituídos futuramente por modelos híbridos plug-in, que podem ser recarregados em uma tomada. De acordo com a revista britânica Autocar, os modelos terão a terceira geração do sistema PHEV, baseada em um motor elétrico de 122 cv e 44,8 kgfm. As baterias serão as mesmas já usadas em outros modelos da Mercedes atualmente, porém a AMG decidiu abrir mão da autonomia em favor do desempenho. “Em um SUV elas oferecem 100 km. Em um AMG teremos 60 ou 70 km, mas a experiência será melhor”, disse Overmeyer.

A adoção do sistema híbrido plug-in corrobora a hipótese de que o S65 AMG V12 biturbo será substituído por um S73 AMG híbrido. Com o V8 biturbo da AMG já na casa dos 640 cv (e com potencial para chegar aos 700 cv, segundo o chefe da AMG Tobias Moers) e os 120 cv do sistema híbrido, estamos falando de entre 760 e 820 cv para o sucessor do S65. Infelizmente, Overmeyer não disse quando é esse “futuro” dos modelos AMG híbridos. (LC)

 

FCA convoca seis modelos para recall

A FCA anunciou recall de seis modelos nos EUA, os Dodge Caliber, Avenger e Journey, o Chrysler 200 e os Jeep Patriot e Compass de primeira geração, fabricados entre 2011 e 2016. 862.520 veículos foram envolvidos por não estarem de acordo com as normas da Agencia de Proteção Ambiental (EPA). O excesso de emissões foi descoberto em testes de uso feitos pela FCA e depois informados à agencia.

O recall será voluntário e feito em fases durante o ano, os carros terão apenas o conversor catalítico trocado. Ele faz parte de um protocolo novo da EPA, que obriga os fabricantes a realizarem teste de emissão fora de laboratórios em carros fabricados nos últimos quatro anos e enviarem os resultados para a agencia. Ainda não foi informado se os Journey e Compass vendidos no Brasil estão envolvidos nesse recall. (ER)

 

Yamaha MT-09 2020 é lançada por R$ 43.690

A Yamaha acaba de apresentar a linha 2020 da MT-09, sua naked de topo. A moto passou por uma reestilização bem abrangente, com novos faróis duplos na dianteira e uma nova rabeta, que não tem mais o suporte da placa – este agora é fixado no cubo da roda traseira.

Também houve algumas melhorias técnicas. A MT-09 agora vem com o sistema quick-shift, que permite trocar marchas sem usar a embreagem com a moto em movimento, e controle eletrônico de tração. A naked também traz freios ABS de série nos freios dianteiro e traseiro – estes, com discos de 298 mm e 245 mm, respectivamente. Outra mudança aconteceu na suspensão dianteira, que adotou amortecedores ajustáveis em carga, compressão e retorno.

Por outro lado, o motor permanece o mesmo: um três-cilindros em linha de 847 cm³ com comando duplo no cabeçote, quatro válvulas por cilindro e 115 cv a 10.000 rpm, além de 8,9 kgfm de torque a 8.500 rpm. Com o câmbio de seis marchas, o conjunto é suficiente para levar a MT-09 de zero a 100 km/h na casa dos três segundos baixos, com velocidade máxima de 210 km/h. Através de um seletor, é possível alternar entre diferentes modos de condução – Standard, A e B – que modificam as respostas do acelerador eletrônico.

As novidades aumentaram o preço da MT-09 de R$ 39.990 para R$ 43.690. (DH)

 

Ducati anuncia recall para Monster 1200 S e Supersport S por problemas no câmbio

Ainda sobre as duas rodas: a Ducati anunciou nesta semana um recall para dois modelos no Brasil: a Monster 1200 S e a SuperSport S. A fabricante comunica que detectou um possível problema no câmbio das duas superesportivas, que pode levar à soltura da alavanca. Caso isto ocorra, os engates das marchas ficam comprometidos, o que pode causar acidentes com danos físicos e materiais, e até mesmo a morte dos ocupantes do veículo.

A Ducati afirma que o recall afeta exemplares da Monster fabricados em 2017 e 2018, e da SuperSport fabricados em 2018. De acordo com a companhia, a verificação das motos leva cerca de dez minutos e, caso o defeito seja encontrado, a troca da alavanca leva por volta de 20 minutos.

Para obter mais informações, os clientes podem entrar em contato com o SAC da Ducati pelo número 0800 738 2284, de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 18:00. A ligação é gratuita. (DH)

 

Carros de Dale Earnhardt e coleção da família serão leiloados nessa semana

A Mecum Auctions vai leiloar entre os dias 14 e 17 de março 20 carros da coleção de Dale Earnhardt, incluindo três carros de Nascar do Dale pai e dois do filho Dale Jr. O carro mais valioso da coleção é um Lumina de corrida que Dale Earnhardt usou quando foi campeão da Winston Cup em 1994, com valor estimado entre US$ 200.000 e US$ 300.000.

Além dos carros de corrida tem seis Corvette pace car, sendo apenas um com câmbio manual; sete Camaro preparados pela concessionária da família Earnhardt na Carolina do Norte, todos com cambio manual exceto um; e dois Hummer H1 Alpha, a edição final do famoso SUV militar, ambos sem alusões ao piloto. (ER)

Matérias relacionadas

Os arcades de corrida mais épicos da Sega

Dalmo Hernandes

Fiat anuncia motores turbo no Brasil, Renault Arkana em versão de produção, BMW fora do WEC e mais!

Prefeitura de SP quer usar dinheiro de multas que ainda não aconteceram. WAT?

Leonardo Contesini