A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

A morte de Niki Lauda, autódromo do Rio tem construtor definido, Fiat Weekend chega à linha 2020 e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Morreu Niki Lauda aos 70 anos de idade

Morreu nesta segunda-feira (20) Andreas Nikolaus Lauda, o austríaco que entrou na fórmula 1 como piloto pagante, venceu três campeonatos e entrou para a história como símbolo de perseverança após um dos acidentes mais terríveis da história do automobilismo. 

Lauda tinha 70 anos, e vinha enfrentando problemas de saúde desde agosto do ano passado, quando foi internado para um transplante de pulmão. Segundo declarações do próprio Lauda na época, a recuperação foi mais lenta e dolorosa que a de seu acidente infernal em Nürburgring, em 1976. Logo após a recuperação, em janeiro deste ano, ele voltou a ser internado devido a uma forte gripe, mas logo teve alta.

Recuperado, Lauda desenvolveu problemas renais que debilitaram seu estado de saúde. Nesta segunda-feira, ele foi encaminhado ao Hospital Universitário de Zurique para uma hemodiálise, mas sucumbiu à falência dos rins.

Ainda hoje teremos um post contando a excepcional trajetória de Niki Lauda no automobilismo e fora das pistas. (LC)

 

Autódromo do Rio de Janeiro já tem vencedor de licitação, mas ainda não há licença ambiental

Nesta segunda-feira (20) a prefeitura do Rio de Janeiro anunciou o vencedor da licitação para a construção do novo autódromo no bairro de Deodoro na zona norte da cidade. A proposta do consórcio Rio Motorsports foi a única apresentada e, portanto, foi automaticamente aprovada pelo processo. O edital da licitação estipula que os investimentos sejam de iniciativa privada, com gastos previstos de R$ 700 milhões.

O consórcio consórcio foi o mesmo que apresentou a proposta do autódromo em junho de 2018, com traçado desenhado pelo arquiteto alemão Hermann Tilke. A construção será responsabilidade da construtora espanhola Acciona. A previsão é de completar as obras em 14 meses, tempo mais realista que a previsão anterior de sete meses do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Ainda não há data para o início das obras, contudo, ainda que o objetivo seja ter o autódromo pronto para a temporada de 2021 da Fórmula 1.

O Rio Motorsports é formado pela empresa alemã Sporttotal, responsável por operar o autódromo de Nurburgring, e a empresa brasileira de gestão e marketing esportivo Golden Goal. Além de ser usado em competições há planos de usar o autódromo para testes e desenvolvimentos por empresas do ramo automotivo.

Ainda na segunda-feira o Ministério Público Federal (MPF) fez um pedido de liminar para suspender a licitação que permite o inicio das obras, alegando que falta um Estudo de Impacto Ambiental (EIA). O terreno cedido pelo exército para a construção do autódromo, como contrapartida pela demolição de Jacarepaguá, é conhecido como Floresta do Camboatá, que é uma área de preservação ambiental permanente da Mata Atlântica.

O MPF comunicou através de uma nota que a Floresta do Camboatá é “uma das mais ameaçadas dentre as formações florestais que compõem a Mata Atlântica”. A floresta possui 125 espécies diferentes de flora nativa e dezenas de nascentes e pequenas lagoas, onde foram identificados peixes e anfíbios ainda pouco estudados. A prefeitura do Rio de Janeiro disse que não foi notificada, e o consórcio não se pronunciou. (ER)

 

Fiat Weekend 2020 é lançada com ar-condicionado de série e preços a partir de R$ 65.000

Quase anacrônica, a Fiat Weekend abandonou o nome Palio há anos, talvez para não ficar tão associada a um carro da década de 1990 – que, no fim das contas é o que ela é. Em todo caso, para a linha 2020, a perua mais barata do Brasil ganhou um item que já deveria ter há muito tempo: o ar-condicionado de série em todas as versões. Ou melhor, em ambas.

Atualmente a Fiat Weekend é vendida em apenas duas versões: Attractive 1.4 e Adventure 1.8. A primeira custa R$ 64.990 e é movida pelo motor Fire 1.4 de 86 cv a 5.750 rpm e 12,5 kgfm de torque a 3.500 rpm, acoplado a uma caixa manual de cinco marchas. Seus equipamentos de série incluem, além do recém-chegado ar-condicionado, direção hidráulica, banco do motorista e volante com regulagem de altura, som com USB e conexão Bluetooth, travas e vidros dianteiros elétricos, e faróis de neblina. Os opcionais são oferecidos em um pacote fechado, o Kit Creative, que custa R$ 5.290 acrescenta vidros elétricos para as portas traseiras, retrovisores elétricos, banco traseiro bipartido, rodas de liga leve de 14 polegadas e volante multifuncional com revestimento em couro. Completa em equipamentos, a Weekend Attractive 1.4 passa a custar R$ 70.280.

Já a Weekend Adventure parte de R$ 84.290 e é movida pelo motor E.torQ de 1,8 litro com 132 cv a 5.250 rpm e 18,9 kgfm de torque a 4.500 rpm. Além da suspensão elevada e dos apliques plásticos nas caixas de roda e para-choques, a Weekend adventure vem com todos os equipamentos da versão Attractive, mais rodas de 16 polegadas com pneus de uso misto e sensor de estacionamento traseiro. Como opcional, ela oferece o diferencial com blocante Locker por R$ 4.000.

A perua mais acessível do Brasil não é barata, afinal é a única em seu segmento, e por isso deve ser ordenhada pela Fiat por mais alguns anos antes de sair de linha, de forma semelhante ao que ocorreu com a Kombi em seus últimos anos. (DH)

 

Compradores do Nissan Leaf ganharão um ponto de recarga residencial gratuito

Foto: Motor1.com

A Nissan é uma das early adopters dos carros elétricos no Brasil, e quer garantir sua fatia do bolo – especialmente neste momento, quando ainda é incerta a capacidade do nosso País de receber uma infraestrutura de recarga adequada. Por isto, a fabricante decidiu atrelar à compra do Nissan Leaf a instalação de um ponto de recarga residencial, livre de custo para o cliente.

De acordo com a fabricante, todos os clientes – os que já encomendaram o carro e os que vierem a fazê-lo – receberão em casa a visita de um técnico, que avaliará se o local possui capacidade de receber o ponto de recarga. A ação será realizada em parceria com as companhias elétricas, mas a Nissan não informou por quanto tempo.

O Nissan Leaf já está em pré-venda desde que foi apresentado no Brasil, durante o Salão do Automóvel de São Paulo em novembro de 2018. As entregas estão previstas para começar ainda neste ano. (DH)

 

BMW Série 8 Gran Coupe aparece quase sem camuflagem

Era inevitável: depois de ser revelado como cupê normal, de duas portas, o BMW Série 8 vai ganhar a versão Gran Coupe, com quatro portas e teto fastback. Já aconteceu seu antecessor, o Série 6 – obviamente aconteceria com o Série 8, também.

As fotos do carro com pouca camuflagem em um caminhão-cegonha foram postadas no fórum Bimmerpost, e mostram que o carro deverá manter as linhas gerais da versão de duas portas, porém com um perfil ligeiramente mais alongado. A identidade visual da dianteira, ao que tudo indica, será mantida, bem como da face traseira. E, embora não dê para ver nas imagens, a situação deverá se repetir no interior do carro.

Também é dado como certo que o BMW Série 8 Gran Coupe terá exatamente as mesmas versões do modelo de duas portas – ou seja, do 840i, com um seis-em-linha biturbo de três litros e 340 cv, ao M8, com o mesmo V8 biturbo de mais de 600 cv usado no atual M5. A BMW não dá datas, mas é provável que o Série 8 Gran Coupe seja revelado no Salão de Frankfurt, em setembro. (DH)

 

Mercedes apresenta protótipo com tecnologias de segurança futuras

A Mercedes revelou nesta semana seu mais novo Veículo Experimental de Segurança (ESF), baseado na atual geração do GLE. O modelo é um protótipo de demonstração tecnologias inéditas de segurança, e faz parte de uma linhagem de protótipos semelhantes iniciada nos anos 1970 com o Classe S W116.

Os recursos apresentados nesta geração do ESF, começam na grade frontal, que foi substituída por um painel para mensagens e símbolos de alerta, também projetados no para-brisa traseiro, que também pode projetar a imagem do que acontece à frente do carro — de forma semelhante ao caminhão “invisível” da Samsung, exibido há alguns anos. Ainda na dianteira, os faróis usam tecnologia digital para reduzir o ofuscamento e aumentar a qualidade de iluminação.Além disso, o modelo tem sistema de detecção de pedestres e ciclistas com alerta sonoro e frenagem automática.

Por dentro, o carro tem volante retangular e pedaleira que se retraem em situação de direção autônoma (parece que alguém na Mercedes assistiu a “O Demolidor”…) e os ocupantes da frente têm dois airbags laterais. Os ocupantes do banco de trás também têm airbags disparados dos encostos dos bancos dianteiros. (LC)

Matérias relacionadas

Challenger Hellcat agora tem 808 cv, Lamborghini Terzo Millenio está sendo apresentado a clientes como híbrido V12, Mercedes Classe X pode ganhar V8 e mais!

Leonardo Contesini

Nova lei aumenta pena para motoristas embriagados, o fim do Palio Weekend, Loeb de volta ao WRC e mais!

Leonardo Contesini

Um Mazda Miata com um V6 de Jaguar? Conheça o incrível Rocketeer MXV6

Dalmo Hernandes