A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

A primeira perua da Porsche foi feita 30 anos antes do Panamera Sport Turismo

O Panamera foi o primeiro sedã de quatro portas produzido em série pela Porsche, mas não foi o primeiro sedã de quatro portas feito pela Porsche. Nós já contamos essa história aqui: antes do Panamera houve o 989, e antes dele um 911 original esticado por um carrozziere italiano para oferecer mais espaço e versatilidade aos ocupantes do banco de trás.

Agora, a Porsche lançou o Panamera Sport Turismo, que é a primeira perua produzida em série pela Porsche. Mas, da mesma forma que seu irmão sedã, ela também não foi a primeira perua feita pela Porsche. Eles já fizeram duas. Só que, como o 989, nenhuma delas chegou à linha de produção.

A primeira delas foi a 928-4, ou 942. Ela foi fabricada em 1984 como presente de aniversário de 75 anos para Ferry Porsche. Sendo o carro do chefe, os engenheiros não pouparam esforços para entregar a ele o que havia de melhor nas prateleiras da Porsche na época.

942Ferry

O 942 começou com o alongamento de 25 cm no entre-eixos do 928 para proporcionar mais espaço no banco traseiro (originalmente o 928 é um 2+2). Depois eles foram ao departamento de design e descolaram um conjunto de para-choques e lanternas que estavam sendo desenvolvidos para o facelift do modelo (chamado S4, que só chegaria dois anos mais tarde). Os faróis passaram a ser fixos e já usavam projetores superelipsoidais como os carros modernos com farol de xenônio. Por isso eles também são mais salientes. Para dar um visual mais harmônico ao 928 esticado, eles simplesmente alongaram o teto e o transformaram em uma shooting brake.

[vimeo id=”208100127″ width=”620″ height=”350″]

Com um visual exclusivo, o 928 também precisava de um motor condizente. O escolhido foi o V8 de cinco litros, 32 válvulas e 310 cv que chegaria ao mercado somente no ano seguinte. Como o objetivo era o conforto para rodar nas autobahnen, o motor foi combinado a um câmbio automático de quatro marchas fornecido pelos vizinhos da Mercedes, e permitia velocidades de até 260 km/h. Por dentro o carro tinha alguns mimos da época, como telefone, ar-condicionado e sistema de áudio hi-fi.

1984-942-2-copyright-porsche

O carro foi usado diariamente por Ferry Porsche ao longo dos anos 1980, e depois foi levado de volta à fábrica, onde foi restaurado para ser integrado ao acervo histórico da marca. Nesta restauração ele recebeu a inscrição em baixo relevo no para-choques traseiro, entre as lanternas. Hoje ele está exposto permanentemente no Porsche Museum, em Stuttgart.

 

O Porsche 942 aparentemente inspirou os engenheiros da marca a trabalhar em uma shooting brake conceitual anos mais tarde. Em 1987 a fabricante desenvolveu o 928 H50, que era ainda mais longo que o 942.

PORSCHE_H50_CONCEPT_05pop

O carro era um protótipo de estudo de viabilidade para um modelo mais espaçoso e prático para quatro ocupantes. As portas traseiras, que facilitavam o acesso aos bancos de trás, eram mais curtas e se abriam no sentido contrário (eram mini-portas-suicidas). Ele usava o mesmo motor 5.0 V8 dos 928 S4, porém com 330 cv.

porsche_h50

O protótipo foi testado por pouco mais de 8.000 km antes de os engenheiros perceberem que o alongamento tornou a estrutura flexível demais e o projeto acabou engavetado. Ele foi guardado em algum depósito da fábrica e só voltou a aparecer em 2009, quando a Porsche inaugurou seu museu com o protótipo no acervo permanente.

Matérias relacionadas

Para onde vai o dinheiro do IPVA?

Leonardo Contesini

Este Porsche 935 de rua tem 750 cv e é um dos dois únicos que existem no mundo

Dalmo Hernandes

Smokey and the Bandit: como Burt Reynolds transformou o Pontiac Trans Am em um ícone do cinema

Dalmo Hernandes