A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

À venda: um Citroën Xsara VTS com motor 2.0 de 167 cv e 60.000 km rodados

Na década de 1990, a Citröen vendeu alguns dos melhores hot hatches já comercializados em nosso país: o AX GTI, o ZX Dakar e o Xsara VTS. Mas não estamos falando isto por acaso, e sim porque é justamente um destes hot hatches o nosso Achado meio Perdido de hoje – anunciado no GT40, naturalmente. Mais especificamente, um Xsara VTS bem cuidado, relativamente pouco rodado, e com um preço honesto.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

O Citroën Xsara de primeira geração era, na verdade, uma atualização pesada do ZX, de quem herdava a plataforma, a mecânica e as proporções gerais da carroceria – embora o Xsara tivesse formas mais arredondadas e modernas, enquanto o ZX ainda era meio quadradão. E isto, claro, também valia para as versões mais apimentadas de ambos os modelos.

O hot hatch Xsara VTS tinha exatamente o mesmo conjunto mecânico do ZX Dakar: o motor XU10. Com comando duplo no cabeçote, curso e diâmetro de 86 mm, njeção eletrônica, ele entregava seus 167 cv a 6.500 rpm, com 20,1 mkgf de torque. Era o bastante para levar o VTS de zero a 100 km/h em 6,9 segundos, com velocidade máxima de 225 km/h.

O Xsara VTS também herdava do ZX o eixo traseiro autodirecional passivo, com buchas especiais que permitiam um pequeno ângulo de esterçamento às rodas traseiras. O arranjo de suspensão, do tipo MacPherson na dianteira com braços semi-arrastados e barra de torção atrás, também era muito bem acertado. Como resultado, o VTS tinha excelente comportamento dinâmico para um esportivo de tração dianteira.

Nosso Achado meio Perdido de hoje é um Citroën Xsara VTS fabricado em 1998. O exemplar em questão pertence a Henrique Romano, do Rio de Janeiro/RJ. Henrique comprou o carro em 2016 e agora, por falta de uso e uma mudança de prioridades, decidiu vendê-lo no GT40.

O carro, segundo Henrique, tem pouco mais de 60.000 km rodados – um número baixo para um carro de 21 anos. Ele garante que o Xsara está em excelente estado de conservação, com a manutenção em dia, e muito original (exceto por algumas pequenas modificações).

Henrique diz que, desde que comprou o carro, faz manutenção em uma oficina especializada em motores da PSA, e que mantém uma planilha onde registra todo o histórico do carro – peças compradas, serviços realizados, etc. Só nos últimos 10.000 km, por exemplo, foram trocados discos de freio dianteiros, as pastilhas das quatro rodas, sensor de temperatura, correia dentada, correia de acessórios, todos os filtros, fluidos de direção e freios, velas e cabos, juntas e coxins, diversas peças da suspensão, além de vários outros componentes mecânicos.

Também foi realizada a limpeza dos injetores, do sistema de arrefecimento, e a manutenção completa do ar-condicionado. Henrique ainda afirma que o carro foi revisado recentemente. O sistema de escape é novo, com tubulação de 2,5” e abafadores intermediário e final.

Henrique afirma, ainda, que o carro passou por polimento e cristalização recentementes, e que calça pneus Bridgestone Potenza GIII em ótimo estado.

Por dentro o estado do carro é condizente com sua quilometragem – tudo está em ordem, todos os itens de acabamento estão presentes e há pouquíssimos sinais de desgaste. Henrique observa que todos os acessórios e equipamentos do carro funcionam perfeitamente, como o teto solar, os ajustes dos bancos e do volante, a regulagem de altura dos faróis e o sensor de chuva. Ele também diz que o couro dos bancos está hidratado e resistiu muito bem à passagem dos anos.

No geral, tudo indica que se trata de um Citroën Xsara VTS em raro estado de conservação por um preço justo, como não se vê mais. Henrique avisa que o valor pedido é negociável – então, se você está a fim de colocar na garagem um exemplar da melhor safra da Citroën no Brasil, esta pode ser sua melhor chance.

Ficou a fim? Clique aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do dono.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Pontiac Solstice à venda: que tal ter “o Mazda Miata americano” na sua garagem?

Dalmo Hernandes

Este VW Passat “Iraque” em fase final de restauração está à venda. E aí, encara?

Dalmo Hernandes

Se você sempre quis um Fusca com motor boxer Subaru, esta é a sua chance

Dalmo Hernandes