Aceleramos o Sandero RS Racing Spirit no Autódromo de Curitiba – assista nossas impressões a bordo!

Juliano Barata 14 maio, 2017 0
Aceleramos o Sandero RS Racing Spirit no Autódromo de Curitiba – assista nossas impressões a bordo!

Nesta sexta-feira (12), a Renault apresentou aos jornalistas o Renault Sandero RS Racing Spirit – RS RS RS para os mais íntimos –, uma série limitada de 1.500 unidades que será vendida por R$ 66.400, dois mil reais mais caro que o Sandero RS de produção comum equipado com as mesmas rodas aro 17 (opcional de R$ 1.000). Nós fomos convidados para acelerar este lançamento no AIC, o Autódromo Internacional de Curitiba, na véspera de mais um track day organizado pela Renault para os proprietários e clientes em potencial do modelo – atitude da fabricante que merece nossos aplausos.

Aqui vocês irão ver tudo o que o Racing Spirit tem de diferente, nossas impressões on board na pista (no vídeo também comento a receita do RS) e uma opinião – vale a pena? Vamos começar com a ação: aumente o volume e nos acompanhe.

Em tempo: gostaria de pedir desculpas pelo pequeno efeito de eco que rolou na minha voz. Tentei sincronizar o áudio do meu microfone de lapela com o da GoPro e não deu muito certo. Nos próximos vídeos isso não vai acontecer. O próximo vídeo será um on board numa volta quente em primeira pessoa (câmera no capacete) no AIC, no qual farei um pequeno guia de pilotagem sobre este autódromo apaixonante.

sandero-rs-racing-spirit-flatout-16

Indo direto ao ponto: o Sandero RS Racing Spirit não traz nenhum upgrade mecânico em relação ao Sandero RS de produção. Mas há uma melhoria técnica importante: a introdução dos pneus Michelin Pilot Sport 4 205/45 R17 em substituição aos Continental ContiSportContact3 de mesma medida.

sandero-rs-racing-spirit-flatout-4

Como dissemos na sexta-feira, este Michelin equipa carros como Mercedes-Benz A45, CLA45 e GLA45 AMG, Maserati Gran Turismo e diversos modelos das séries 1, 3 e 4 da BMW; e traz como diferenciais índices de carga e velocidade superiores aos do Continental: 88Y (300 km/h e 560 kg) versus 84V (240 km/h e 500 kg). São consequência de um projeto mais moderno e mais orientado para proposta esportiva, com banda de rodagem apresentando blocos mais inteiriços (especialmente na região dos ombros, ponto crítico de apoio em curvas num autódromo) e sulcos menos largos, aumentando a área efetiva de contato.

sandero-rs-racing-spirit-flatout-5

Em relação ao Pilot Sport 3, o composto ganhou mais sílica e a carcaça ficou 20% mais rígida, contando com uma lona de proteção híbrida de aramida e nylon revestindo as lonas metálicas para aumentar o feedback de direção ao volante e aprimorar o controle direcional. Deu para sentir na pista um pouco mais de precisão no turn in (momento de entrada da curva), mas a maior diferença foi a constância de performance mesmo com várias voltas consecutivas, consolidando uma temperatura operacional com amplitude maior que o Continental.

sandero-rs-racing-spirit-flatout-3

Considerando que, em média, o Pilot Sport 4 é de 30% a 40% mais caro que o ContiSportContact 3, e que isso na prática resulta em algo na casa de R$ 1.300 de diferença num jogo de quatro unidades, de saída podemos cravar que o Sandero RS Racing Spirit tem um apelo de custo-benefício interessante. É importante lembrar que, embora neste momento ninguém considere o Sandero RS um carro neocolecionável, tenha a certeza de que isso irá mudar quando ou se o modelo sair de linha: basta pensar no Civic Si de 2007, modelo que apresenta o mesmo tipo de impacto de performance em relação ao convencional. Neste contexto, uma série especial – ainda mais numerada – ganha mais apelo. Por isso, pagar R$ 2 mil a mais por este carro, em nosso entendimento, vale a pena, mesmo considerando que 1.500 unidades é algo generoso: até hoje, a Renault vendeu 2.200 unidades do Sandero RS.

sandero-rs-racing-spirit-flatout-6 sandero-rs-racing-spirit-flatout-7

Por outro lado, é importante fazer o contrabalanço da história: ficamos com a sensação de o Sandero RS Racing Spirit ser um produto ligeiramente indeciso. Por que? Bem, vamos começar pelo próprio upgrade de pneus: é algo que faz todo o sentido para o gearhead mais avançado (pneus melhoram todos os índices ao mesmo tempo: capacidade de aceleração, frenagem e aderência lateral), mas é o tipo de melhoria que soa como europeia demais num público que, mesmo no nicho de track days, tende a preferir melhorias no motor. Nem todos irão entender a sofisticação deste upgrade.

sandero-rs-racing-spirit-flatout

Ao mesmo tempo, temos uma contradição conceitual: o tema do Racing Spirit apelou para uma enxurrada de itens em vermelho – cor que representa o estereótipo de um esportivo, mas não pertence à identidade da RenaultSport. Para o entusiasta avançado e que é fã do racing spirit da marca, a expectativa seria de ver traços de amarelo ou de azul nos bigodes e adesivos (as cores mais tradicionais da equipe) – ou ao menos o trio de cores todo junto: vermelho, amarelo e azul, que formam a antiga comunicação da divisão esportiva. Apenas o vermelho, sozinho, quer dizer pouca coisa para o entusiasta de Renault.

Além disso, ficamos com a impressão de que, embora tenha a sua personalidade, o visual ficou um pouco carregado – especialmente nas saídas de ar, na calotinha central, na moldura de velocímetro e na decoração do para-choque traseiro. Mas este ponto em específico considere uma opinião pessoal deste que vos fala.

Contudo, de forma geral não temos muita dúvida que, no long run, é provável que o Racing Spirit seja um daqueles carros que terão uma procura adicional quando a série for descontinuada. Mas e aí camaradas da Renault: veremos ou não veremos o tema Grand Prix (John Player Special) ou as cores amarela ou azul do Mégane RS neste cara? Estes sim são o verdadeiro Racing Spirit!

 

Saiba mais sobre o Sandero RS

sandero-rs-racing-spirit-flatout-2

Como já avaliamos o Sandero RS em diversas ocasiões, seria redundante trazer toda a apresentação técnica deste modelo neste texto, visto que já fizemos isso em ao menos duas outras ocasiões de forma extensiva. Se você é marinheiro de primeira viagem no FlatOut, não deixe de conferir os links das matérias abaixo.

Caso queira saber todos os detalhes técnicos e até algumas receitas de preparação feitas pelo nosso camarada Bruno Ordones, não deixe de conferir nossa avaliação de lançamento do RS. Nós também fizemos um comparativo entre ele e o Swift Sport sobre qual seria um projeto mais interessante para track day. Outra matéria muito legal é o nosso guia de pilotagem no Autódromo da Capuava com o Sandero RS, o que inclui um vídeo em 1ª pessoa muito bacana. Por fim, nós cobrimos o primeiro Sandero RS Speed Experience, evento de pista organizado pela Renault com proprietário de Sandero RS!

sandero-rs-racing-spirit-flatout-8 sandero-rs-racing-spirit-flatout-10 sandero-rs-racing-spirit-flatout-11 sandero-rs-racing-spirit-flatout-12 sandero-rs-racing-spirit-flatout-13 sandero-rs-racing-spirit-flatout-14 sandero-rs-racing-spirit-flatout-15