A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Acredite: isto é uma miniatura em escala 1:8 – e que custa quase R$ 50.000

Sim. Também levamos algum tempo para acreditar — talvez um erro de quem postou a foto? — mas depois, olhando com atenção nos convencemos de que é realmente uma miniatura. Na verdade, a miniatura mais realista e detalhista que já vimos até hoje. Incrível, não? Então espere até ver o resto da catálogo da Amalgam Fine Model Cars. Todas elas têm esse nível absurdo de detalhes.

Acha que estamos exagerando? Então clique na foto para ampliá-la e veja a cabine do McLaren P1 GTR dos caras:

M5813-SN1-12

O negócio é pornograficamente obsceno — sim, é uma redundância proposital. São muitos detalhes para se reparar, as borrachas duplas da vedação da porta, a textura da fibra de carbono miniaturizada, o revestimento de mini-Alcantara do banco, a precisão dos botões e saídas de ar da cabine. Até mesmo o pino do slot da trava da porta foi reproduzido com alta fidelidade.

A réplica do F1 GTR vai mais além, e chega a colocar fones do sistema de comunicação e até os parafusos cromados das lanternas e da asa traseira:

Amalgam-McLaren-Replicas-6

Os modelos são tão realistas que você só nota que se tratam de miniaturas pelo gap dos paineis da carroceria — um detalhe impossível de reproduzir devido à espessura do material usado. Como as chapas originais já são milimétricas, reduzi-las à escala 1:8 resultaria facilmente em uma espessura de décimos de milimetro, ou seja, algo inviável de se manusear e de se conservar sem danos.

Aston-Martin-DBR9-Sebring-1-8-HR-5

 

Nos carros de Fórmula 1, contudo, os gaps são menos aparentes e a impressão de realismo é ainda mais forte:

Amalgam-Red-Bull-RB8-Brazil-GP-Vettel-1-8-HR-3Amalgam-MP4-6-Japan-1-8-HR-5

Os motores são um espetáculo à parte. Esse straight-six do Jaguar Lightweight tem até cornetas de metal:

M5809-sn3sn4-15

E o straight-eight da Mercedes tem o sistema de injeção mecânica — que já é complexo em tamanho real — totalmente reproduzido, assim como as linhas de freio, sistema de arrefecimento e de ignição:

Amalgam-Mercedes-W196Monoposto-MossAintree-1-8-HR-JPG-4

Elas são fabricadas pela Amalgam Fine Model Cars, uma empresa britânica formada em 1985 por quatro artesãos especializados em modelagem em escala. Na época eles trabalhavam apenas com modelos arquitetônicos, e foram os responsáveis pelas maquetes do Hong Kong Bank, do Shanghai Bank e do Aeroporto de Hong Kong.

Segundo o site da Amalgam, o contato com os arquitetos e designers mais renomados da Europa despertou o interesse pelos grandes designs da história, o que os levou aos carros de corrida  — caso dos Williams de Fórmula 1 da era Newey, citados no site — e grandes esportivos de rua como o Bugatti Veyron ou o McLaren F1.

Atualmente o catálogo da Amalgam é formado principalmente por modelos de competição — de esportes protótipo do passado aos LMP1 modernos, passando por carros de turismo e Fórmula 1 — volantes em escala e bicos de monopostos (nose cones).

Amalgam-McLaren-Replicas-2

As peças são todas fabricadas pela Amalgam com base em arquivos CAD originais fornecidos pelo próprio fabricante. No caso dos carros clássicos, que obviamente não têm arquivos CAD, o trabalho é mais complexo: os artesãos precisam fazer uma pesquisa aprofundada baseada em centenas de fotos do carro original para reproduzir os componentes. Esse processo de produção dos moldes originais leva, no mínimo, 3.000 horas de trabalho.

CreatingModels2-e1426704128121-1300x684

Cada carro é feito com mais de 2.000 peças e é totalmente montado a mão por uma equipe de artesãos. Os processos de usinagen, fundição, modelagem, montagem, pintura, polimento e acabamento levam cerca de 350 horas no total. Alguns deles tem até faróis e lanternas funcionais:

Captura de Tela 2015-12-16 às 18.33.46

Obviamente todo esse trabalho cobra seu preço em órgãos não-vitais. A Ferrari Dino 246GT da abertura do post sai por £ 6.350 — ou cerca de R$ 38.000 em conversão direta. Some mais £ 380 (R$ 2.200) do envio para a América do Sul e chame um despachante aduaneiro para te ajudar na importação.

M5813-sn1-9

O P1 GTR lá do início é mais modesto: £ 4.400 (mais £ 380 do envio, lembre-se), ou R$ 28.000 — mesmo preço do McLaren MP4/6. Já o F1 GTR custa os mesmos £ 6.350 que a Ferrari. O Red Bull RB8, que não tem o carisma do MP4/6, é mais em conta: “só” £ 3.325, ou R$ 23.000 com o envio.

Captura de Tela 2015-12-16 às 18.25.17

Agora, se você está meio durango, afetado pela situação econômica atual destepaiz, uma alternativa são os nose cones, que custam £ 99 + £ 15 de envio, ou R$ 680.

Captura de Tela 2015-12-16 às 18.20.33

Os volantes também são uma opção ainda mais em conta: nas versões 1:4 eles saem por £ 89 + £ 15, ou R$ 600. Já os volantes em tamanho real são bem mais caros: £ 1.900 + £ 200 do envio, ou R$ 12.500.

Captura de Tela 2015-12-16 às 18.23.08

Para ver mais carros e detalhes, confira o site da Amalgam.

Matérias relacionadas

Nicole Harashima, a gata que mete a mão na graxa e cuida sozinha de seus hot hatches

Dalmo Hernandes

The Escape, o novo curta da BMW Films, saiu na íntegra – e é simplesmente animal

Dalmo Hernandes

Action Cams II: estas são as câmeras tipo GoPro mais acessíveis que você pode encontrar

Leonardo Contesini