A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Sessão da manhã

AE86 vs. GT86: Keiichi Tsuchiya coloca o clássico e o novato para brigar nas montanhas

Quando foi lançado, em 2012, o Toyota GT86 (junto com seus irmão gêmeos, o Subaru BRZ e o Scion FR-S) foi um sopro de ar fresco com tração traseira, motor naturalmente aspirado e câmbio manual em um mundo onde cada vez mais esportivos se tornam híbridos com câmbio de dupla embreagem e tração integral. Ele pode ser considerado o sucessor espiritual do Toyota AE86, clássico modelo dos anos 80 que e tornou um ícone entre os fãs do chamado JDM (o Japanese Domestic Market). Mas como os dois se saem em um duelo em seu habitat natural, as estradas montanhosas do Japão?

Conhecemos um cara que pode responder esta pergunta melhor do que qualquer outro: Keiichi Tsuchiya, o Drift King. Em mais um quadro do programa Hot Version, encontrado pelo Car Throttle, Keiichi leva seu próprio AE86 – preparação na medida para entregar um pouco mais de potência (de 130 para 175 cv graças a um cabeçote de 20 válvulas, comando duplo e sistema de injeção eletrônica Motec, além de câmbio e sistema de escape TRD — Toyota Racing Development) e melhorar a dinâmica.

ae86-keiichi

Keiichi acredita que, para tornar um carro rápido, é preciso dar ainda mais atenção à dinâmica do que à potência. Por isso, seu AE86 branco com capô verde têm acerto de suspensão exclusivo (e constantemente revisto), com componentes TRD e sistema four-link na traseira. As rodas são de 15×7 polegadas com pneus GY Eagle RS Sport de medidas 195/50, e a equipe da Hot Version realizou alguns ajuste de suspensão antes do embate.

O outro carro também não é um Toyobaru qualquer: trata-se de um Subaru BRZ preparado pela famosa Power House Amuse, que também deu atenção à suspensão com um conjunto de amortecedores com maior curso, porém mais rígido e 10 mm mais baixo, além de um ângulo de cambagem de -4° (originalmente é de -2,5°) para ajudar a dianteira a apontar melhor nas curvas.

O percurso nas montanhas é curto, e o melhor tempo do Toyota AE86 de Tsuchiya é de 27,5 segundos. Seu objetivo é baixar para 26 segundos, mas os pneus poderiam ser melhores – ao menos é o que constata o preparador. O AE86 consegue virar 27,293 segundos.

Em seguida, é a vez do Toyota 86 da Amuse. Keiichi fica impressionado com a desenvoltura do carro e, quase imediatamente após à largada, declara que seu carro não tem chance. “O 86 não tem muita potência, mas sua dinâmica é excelente”, ele diz.

Autolifers_Amuse_Toyota_86_Tsukuba_1

Foto: Autolifers

Em ambos os casos, dá para ver que, apesar de ser conhecido como o rei do drift por popularizar a técnica nos campeonatos japoneses de turismo, Keiichi também é capaz de pilotar de forma mais tradicional – e ele é bom nisso, demonstrando total controle do carro enquanto pilota claramente no limite. Só há um problema aqui: o vídeo não revela o tempo do GT86. Será que dá para confiar no palpite de Keiichi?

É provável que sim, mas o vídeo no YouTube do GT Channel é só uma prévia (uma bela prévia, por sinal). Uma maneira de descobrir a resposta é assistindo ao vídeo completo, com 90 minutos de duração, no Vimeo On Demand – são US$ 3,99 (R$ 12,27 em conversão direta) para alugar por 48 horas, ou US$ 19,90 (R$61,50) para fazer o download.

Desde 2011, os caras do GT Channel se dedicam a comprar os direitos dos vídeos da clássica Best Motoring International, traduzi-los, legendá-los e disponibilizarem em seu canal e na internet para download – os mais antigos, de graça no YouTube, enquanto os mais novos são comprados com a colaboração dos fãs no Kickstarter e disponibilizados em serviços de streaming pagos, como o Vimeo On Demand. É possível colaborar com as campanhas aqui.

Matérias relacionadas

Qual é o vídeo onboard mais fodástico que você já viu?

Dalmo Hernandes

De volta aos anos 70: Dodges & Cia, em Artur Nogueira, é o woodstock das arrancadas no Brasil

Juliano Barata

Vídeo: Hennessey Venom GT supera Bugatti Veyron e agora é o carro mais rápido do planeta

Leonardo Contesini