Edição diária: 18/06/2019
FlatOut!
Image default
Car Culture História

Afinal, quanto o Porsche 911 cresceu de 1963 até hoje?

Uma crítica recorrente por parte de uma parcela de entusiastas em relação ao Porsche 911 diz respeito a suas dimensões. De 1963 até hoje, absolutamente todos os carros cresceram, mas alguns acreditam que o nine-eleven poderia ter se mantido bem mais esbelto em suas quase seis décadas de vida.

Já falamos sobre este assunto em um post de 2016. Hoje, vamos nos aprofundar nesta questão.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

 

A foto abaixo é uma das imagens mais utilizadas quando o assunto é a evolução do Porsche 911: um clássico de 1963 e um exemplar da geração passada, a 991, lado a lado, ambos na mesma cor. Ela mostra que sim, definitivamente, o Porsche 911 se manteve fiel à receita original na medida do possível, ao mesmo tempo em que incorporava novos recursos e características para acompanhar a evolução do automóvel e se manter competitivo. De cara, repare que a altura dos carros é praticamente idêntica.

E o time de engenheiros da Porsche merece crédito por isto: mesmo com as limitações inerentes ao layout de motor traseiro – que prejudica o equilíbrio dinâmico natural do carro, comparado a um arranjo central-traseiro – o 911 segue como o benchmark para esportivos de diferentes faixas de preço, do Carrera ao Turbo S, passando pelos insanos GT2 e GT3.

É óbvio que o Porsche 911 cresceu bastante em 56 anos, o que é perfeitamente compreensível – como já dissemos, isto aconteceu com todos os carros. No caso do 911, muito do ganho de dimensões tem a ver com o aumento no desempenho – de cara, os pneus cada vez mais largos e aderentes exigiram bitolas cada vez mais generosas, o que automaticamente tornou a carroceria mais larga. Depois, o aumento de potência levou à necessidade de um entre-eixos mais longo, a fim de manter o carro controlável em velocidades mais altas.

A partir da década de 1980, outro fator entrou em jogo: a preferência do público por carros mais confortáveis e equipados levou o 911 a crescer para ganhar espaço interno e conforto. Além disso, a partir da década de 1990 as exigências cada vez mais rígidas para absorção de impacto, em caso de colisão ou atropelamentos, também fizeram seu papel: os engenheiros precisaram levar em consideração zonas de deformação programada e outros recursos que também ocupam espaço – e levam ao aumento de dimensões.

Mas, afinal, quanto o 911 cresceu ao longo de suas oito gerações? É o que decidimos responder neste post. Para isto, catalogamos as dimensões e peso de todas as gerações, incluindo as diferentes fases dentro de cada uma delas. Usamos como referência o 911 básico, e comparamos cada uma das gerações com a imediatamente anterior e com a primeira – nesta ordem. O formato da tabela é o seguinte:

Dimensão: X.XXX un (+ XX un | + XX un)

Parece complicado, mas não é. O primeiro número é corresponde à dimensão de cada geração – comprimento, altura, largura e entre-eixos em milímetros, e peso em kg. Os números entre parênteses representam, em ordem, o aumento em relação à geração anterior, e em relação às dimensões originais primeira geração.

Em todas as gerações, tomamos como referência a versão mais básica, cupê, com tração traseira e câmbio manual – e não consideramos versões especiais de alta performance, como os já citados GT2 e GT3, que podem ter dimensões diferentes por questões técnicas (redução de peso e componentes aerodinâmicos, por exemplo). Então, sem mais delongas, vamos aos fatos e números.

 

Porsche 911 Classic

A Porsche considera parte da geração clássica do 911 os carros fabricados entre 1963 e 1973. Foi o carro que estabeleceu a fórmula original, com um flat-six arrefecido a ar pendurado na traseira, e inaugurou a silhueta básica que o nine-eleven conserva até hoje. A versão básica usava um motor de dois litros e 130 cv no ano do lançamento.

As dimensões dos primeiros modelos são as seguintes:

Comprimento: 4.291 mm
Largura: 1.700 mm
Altura: 1.300 mm
Entre-eixos: 2.211 mm
Peso: 1.080 kg

 

Porsche 911 Classic fase 2 e G Series) – 1969-1988

Em 1969 a Porsche realizou as primeiras modificações no projeto. Além de adotar um motor maior, de 2,2 litros (2.195 cm³), com potência entre 125 cv e 180 cv, dependendo da versão. O entre-eixos foi ligeiramente aumentado para melhorar a estabilidade do carro em alta velocidade, deslocando o eixo traseiro para trás em alguns milímetros, sem aumentar as demais dimensões. Entre 1972 e 1973, o 911 Classic passou a usar um motor de 2,4 litros (na verdade, 2.341 cm³, arredondados para cima), com potência entre 130 cv e 190 cv.

Em 1973 foram adotados os novos para-choques de impacto, obrigatórios em todos os carros novos vendidos nos EUA a partir daquele ano, e o 911 entrou na chamada G Series. A Porsche conseguiu integrar muito bem as novas peças ao visual original do 911, incorporando um mecanismo retrátil que ficava oculto sob coifas nas extremidades dos para-choque. Notavelmente, quase todas as dimensões do carro (incluindo o peso da versão básica) se mantiveram constantes até 1988, quando foi lançada a geração 964. Exceto pelo já citado aumento no entre-eixos.

Comprimento: 4.291 mm
Largura: 1.700 mm
Altura: 1.300 mm
Entre-eixos: 2.268 mm (+ 57 mm)
Peso: 1.080 kg

 

Porsche 911 964 (1988-1993)

A verdadeira segunda geração do Porsche 911 foi lançada em 1988 como modelo 1989. O chamado 964 manteve o monobloco original, assim como grande parte dos componentes da carroceria. Segundo a Porsche, 85% dos componentes do 964 eram diferentes da geração anterior – esteticamente, porém, a maior diferença eram os para-choques mais arredondados e melhor integrados à carroceria.

Curiosamente, o 964 ficou cerca de 50 mm mais estreito na versão básica (as versões mais potentes, como o 911 Turbo, ficaram mais largas), e também perdeu alguns milímetros no comprimento graças aos novos para-choques. Já o aumento no peso foi substancial, com as já citadas modificações estruturais para garantir mais segurança aos ocupantes e pedestres em caso de acidente. O motor do modelo básico tinha 3,6 litros e entregava pelo menos 250 cv.

Comprimento: 4.250 mm ( – 41 mm | – 41 mm)
Largura: 1.651 mm (- 49 mm | – 49 mm)
Altura: 1.318 mm (+ 18 mm | +18 mm)
Entre-eixos: 2.272 mm (+ 4 mm | + 61 mm)
Peso: 1.375 kg ( + 295 kg | + 295 kg)

 

Porsche 993 (1994-1998)

A geração 993 é o auge do 911 arrefecido a ar – e foi a última a manter o monobloco original, ainda que com alterações significativas no design, em especial na dianteira. O Carrera básico adotou um motor 3.6 de 272 cv, que pela primeira vez vinha de série com câmbio manual de seis marchas. Já a suspensão traseira ganhou um novo arranjo multilink com componentes de alumínio e subchassi, o que tornou a traseira mais controlável e ajudou a reduzir o peso do carro em 5 kg.

Comprimento: 4.260 mm ( +10 mm | – 31 mm)
Largura: 1.735 mm (+ 84 mm | + 35 mm)
Altura: 1.311 mm ( – 7 mm | + 11 mm)
Entre-eixos: 2.272 mm ( 0 mm | + 61 mm)
Peso: 1.370 kg ( – 5 kg | + 290 kg)

 

Porsche 996 (1997-2004)

A geração 996 trouxe a mudança mais radical na história do 911: a adoção de um novo motor arrefecido a água – o motor aircooled era algo quase anacrônico na segunda metade da década de 1990, e sem a adoção de radiadores seria impossível (na época, ao menos) aumentar sua potência de forma a não comprometer sua durabilidade.

Ao mesmo tempo, a Porsche promoveu uma mudança sensível na identidade visual do carro, trocando os icônicos faróis redondos com peças de formato irregular, inicialmente emprestadas do Porsche Boxster – medida tomada por questões de custo que não foi bem recebida pelos donos. No entanto, atualmente o Porsche 996 vem caindo no gosto dos entusiastas e colecionadores por oferecer desempenho consistente a um preço mais acessível que as outras gerações.

O 996 também foi o primeiro a usar um monobloco completamente novo. A adoção do sistema de arrefecimento líquido inevitavelmente adicionou alguns quilos ao 911, mas o uso de materiais mais leves ajudou o peso do carro a diminuir, em vez de aumentar. Por outro lado, os carros fabricados entre 2002 e 2004 eram ligeiramente mais largos, para acomodar bitolas maiores. O 911 Carrera 996 básico tinha um motor de 3,6 litros com 320 cv, sendo capaz de ir de zero a 100 km/h em 4,9 segundos e com máxima de 286 km/h.

Comprimento: 4.320 mm ( +60 mm | + 29 mm)
Largura: de 1998 a 2001 – 1.765 mm (+ 30 mm | + 65 mm) / de 2002 a 2004 – 1.770 mm ( + 35 mm | + 70 mm)
Altura: 1.306 mm ( – 5 mm | + 6 mm)
Entre-eixos: 2.352 mm (+ 80 mm | + 141 mm)
Peso: 1.317 kg ( – 53 kg | + 237 kg)

 

Porsche 997 (2005-2011)

Para a sexta geração do 911, a Porsche aperfeiçoou a receita do anterior e devolveu a ele os faróis redondos clássicos. O 997 foi o último dos 911 com motor projetado por Hans Mezger, engenheiro responsável por todas as gerações do flat-six até então.

Ele traz a peculiaridade de ter dois entre-eixos diferentes, dependendo da versão. O modelo básico, que é o que estamos considerando neste guia, tinha 2.360 mm. Algumas versões, porém, com o o Carrera S, o Carrera 4 e o Turbo, tinham 10 mm a menos no entre-eixos, ou seja, 2.350 mm. Embora seja uma diferença pequena, as versões de entre-eixos mais curto sofriam menos com o momento polar de inércia – na prática, mudavam de direção mais rápido nas curvas.

O novo motor de 3,6 litros tinha 325 cv, e era capaz de levar o Carrera 997 de zero a 100 km/h em 4,8 segundos, com máxima de 290 km/h.

Comprimento: 4.425 mm ( + 105 mm | + 134 mm)
Largura:  1.808 mm (+ 38 mm | + 108 mm)
Altura: 1.300 mm ( – 6 mm | 0 mm)
Entre-eixos: 2.360 mm (+ 8 mm | + 149 mm)
Peso: 1.395 kg ( + 78 kg | + 315 kg)

 

Porsche 991 (2012-2018)

Ainda fresca na nossa memória, a geração 991 do 911 trouxe um novo aumento no entre-eixos – substanciais 90 mm. O aumento se deveu a um novo transeixo, com encaixes reposicionados para os semi-eixos, possibilitando que as rodas fossem recuadas em 76 mm em relação ao motor e melhorando a distribuição de peso.

Até 2015, o Carrera 991 utilizava um motor naturalmente aspirado de 3,4 litros com 350 cv, capaz de levar o carro de zero a 100 km/h em 4,8 segundos. Na segunda fase, a 991.2, fabricada a partir de 2016, foi adotado um novo flat-six biturbo de três litros e 370 cv – baixando o 0-100 km/h para 4,6 segundos.

Comprimento: 4.491 mm ( + 66 mm | + 200 mm)
Largura: 1.808 mm (0 mm | + 108 mm)
Altura: 1.303 mm ( +3 mm | + 3 mm)
Entre-eixos: 2.450 mm (+ 90 mm | + 239 mm)
Peso: 1.435 kg ( + 40 kg | + 355 kg)

 

Porsche 992 (2019-)

E chegamos ao presente: o Porsche 911 992, que visualmente ficou mais parecido com os clássicos, mas trouxe novidades como o painel digital e a carroceria alargada em todas as versões, não apenas nos modelos de tração integral. Com isto, algumas dimensões externas aumentaram, bem como o peso do carro.

No entanto, vale lembrar que o Porsche 992 básico ainda não foi apresentado – apenas as versões S e 4S, mais potentes e disponíveis apenas com transmissão PDK. Atualizaremos este post com os números do Carrera básico assim que o carro for lançado.

Comprimento: 4.519 mm ( + 28 mm | + 228 mm)
Largura: 1.852 mm (+ 44 mm | + 152 mm)
Altura: 1.300 mm ( -3 mm | 0 mm)
Entre-eixos: 2.450 mm (0 mm | + 239 mm)
Peso: 1.515 kg ( + 80 kg | + 435 kg) (Carrera S)

Matérias relacionadas

Smart glass: afinal, como o vidro deste carro fica opaco em um piscar de olhos?

Dalmo Hernandes

Conheça os principais tipos de golpes e anúncios falsos de carros na internet

Leonardo Contesini

Quais foram as chegadas mais disputadas da história do automobilismo?

Dalmo Hernandes