Afinal… quem inventou a roda? E como isso aconteceu?

Leonardo Contesini 9 janeiro, 2017 0
Afinal… quem inventou a roda? E como isso aconteceu?

Em nossa incessante busca pelas origens automotivas já descobrimos quem inventou o test-drive, as rodas de liga leve, o teto solar, de onde vêm os nomes das carrocerias e até mesmo quem causou os primeiros acidentes de trânsito. Chegamos a pensar que não havia mais questões a serem feitas quando topamos com a mais óbvia e existencial de todas (ao menos quando se fala de carros): quem inventou a roda?

Embora a roda seja mais associada aos veículos (motorizados ou não), é bem provável que a humanidade não tivesse evoluído tão rapidamente sem ela. Imagine todas as máquinas e utensílios que têm seu funcionamento baseado em rodas: antigos moinhos, roldanas e polias, tornos e rodas de oleiro, amoladores, motores a vapor, locomotivas, prensas tipográficas, esteiras industriais. A roda está por todos os lados e é parte importante no desenvolvimento de tecnologia na história da humanidade, por isso é fácil imaginar que ela existe desde os primórdios da civilização, não é mesmo?

Captura de Tela 2017-01-09 às 22.07.50

Só que a história não foi assim. Os humanos modernos surgiram há cerca de 200.000 anos, no lugar que hoje conhecemos como África, e adotou o comportamento atual há cerca de 50.000 anos. Contudo, o conceito de roda e eixo só foi criado há pouco mais de 5.000 anos — equivalente a “ano passado” na história do Homo sapiens.

Os motivos para tanta demora são simples: a roda não existe na natureza e a humanidade simplesmente demorou para precisar dela.

Boa parte das invenções foram inspiradas pelo contato do homem com a natureza, mas a roda foi um conceito desenvolvido unicamente pela experiência humana. Obviamente os humanos da época conheciam o conceito de rolagem, como se observava em pedras circulares ou troncos de árvore. Mas essa rolagem era inútil sem algo que a mantivesse estável. Seria como tentar se equilibrar sobre uma bola e achar que isso é mais fácil que caminhar ou montar um camelo.

Atualmente acredita-se que as primeiras rodas surgiram não apenas em um lugar, mas em vários pontos isolados um do outro na segunda metade do quarto milênio antes de Cristo — entre 3500 e 4000 A.C.

Alguns arqueólogos creditam a invenção da roda aos povos Cucuteni, que viveram em um território que hoje pertence à Ucrânia e à Romênia. Em escavações foram encontradas rodas de oleiro feitas com fatias transversais de troncos de árvores com um furo no meio, além de figuras de animais feitas de cerâmica com rodas nas pontas das patas.

Nesse mesmo período os Sumérios, civilização que habitava a Mesopotâmia na época, também desenvolveram uma série de dispositivos que resultariam na criação do conjunto de roda e eixo.

Sumeria

Àquela altura a humanidade já havia desenvolvido vários conceitos e inventos mais complexos, como a agricultura, agulhas de costura, tecidos de trama, canalização de água, cordas, barcos e navios e até instrumentos musicais relativamente complexos como a flauta ou a harpa. Também já tínhamos descoberto como domesticar e arrebanhar animais, que nos serviram como transporte, alimento e força de trabalho.

O negócio começou a mudar com a necessidade de transportar objetos pesados demais para homens e animais. Foi quando os sumérios perceberam que ao apoiar um objeto pesado sobre uma tora, ele poderia ser movido com mais facilidade. Para continuar o movimento, bastaria colocar outra tora à frente da primeira e assim sucessivamente até que a carga chegasse ao local pretendido. Isso não era muito prático e, por isso, os sumérios acabaram desenvolvendo uma espécie de trenó, com as pontas curvadas para o alto para facilitar o deslizamento.

Funcionou bem, exceto em terrenos muito ondulados ou rochosos. A solução? Usar o trenó sobre as toras rolantes. O atrito do trenó com a tora resultava em um sulco nesta última. Com este sulco os trenós se mantinham mais firmes sobre a tora, o que agilizava o transporte.

The Wheel

Apesar da facilidade, eles ainda precisavam de muita gente para empurrar o peso sobre as toras e reposicioná-las à frente do trenó. Diante deste problema, eles passaram a remover a madeira entre os dois sulcos para tornar as toras mais leves. E aqui as toras começam a tomar a forma de rodas: eles também passaram a usar travas para manter a tora girando em seu próprio eixo, em vez de rolar o trenó por cima dela. Foi uma questão de tempo para que eles evoluíssem para um sistema de roda livre apoiado em um eixo.

Contudo, a evidência mais antiga deste sistema não foi encontrada na Mesopotâmia, e sim na Polônia, onde os arqueólogos encontraram um pote de cerâmica com a ilustração de uma carroça com dois eixos e quatro rodas, possivelmente feito por volta do ano 3600 A.C (abaixo). As primeiras evidências de rodas na Mesopotâmia datam do ano 3500 A.C. — cem anos mais tarde.

Captura de Tela 2017-01-09 às 20.19.26

As primeiras rodas completas com eixos, contudo, foram encontradas na Eslovênia. Elas eram feitas de carvalho e freixo, mediam cerca de 28 polegadas de diâmetro e foram feitas por volta de 3300 A.C. Eram muito parecidas com esta roda abaixo, feita 200 anos mais tarde e encontrada na Inglaterra em 2013:

river-469677

A primeira evolução da roda como conhecemos hoje aconteceu cerca de 1.000 anos depois de sua criação: as rodas raiadas. Bem, elas não eram exatamente raiadas, mas os egípcios descobriram que era possível remover partes da superfície interna da roda para reduzir o peso de suas carruagens de combate, tornando-as mais leves, ágeis e rápidas — e ajudando aquela civilização a levantar seu império.

wooden-wagon-wheel-close-up-01-e1446215374158

A vantagem das rodas mais leves tornou sua fabricação uma habilidade valiosa. Nessa época — por volta do ano 1000 A.C. surgem os primeiros fabricantes de rodas, que também evoluíram o conceito usando couro, madeira e ferro para torná-las mais resistentes e robustas. As primeiras rodas com aro de metal externo foram feitas pelos celtas. Este tipo de roda se tornou tão eficiente que permaneceu inalterada por quase 3.000 anos!

18lqol0rnnrivjpg

Elas só voltaram a evoluir no final do século 18, por volta de 1790, quando as armas modernas de guerra (como canhões de ferro fundido) se tornaram pesadas demais para as rodas de madeira e elas passaram a ser feitas de ferro fundido. Dez anos mais tarde, em 1802 o alemão G.F. Baur registrou a patente das primeiras rodas de aço com raios tensionados, que foram usadas nas bicicletas e também nos primeiros carros.