A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Mercado e Indústria

Alfa Romeo investe na tração traseira, Fiat terá um novo roadster e as novidades de Ferrari e Maserati

Há algumas horas, o grupo Fiat Chrysler (FCA) apresentou aos investidores seus planos para os próximos cinco anos. Você já viu o que o futuro próximo reserva para o lado americano da aliança — agora, vamos ver o que que estão preparando os italianos: Ferrari, Maserati, Fiat e Alfa Romeo.

Pelo tom das apresentações, é seguro afirmar que o foco dos italianos é recuperar o DNA de suas marcas, descartar alguns modelos, lançar (vários) outros e, assim, recuperar a boa imagem ao mesmo tempo em que maximiza seus lucros. Vamos ver o que cada uma dar marcas do lado italiano da força está preparando.

Alfa Romeo

4c2

Não temos uma representação oficial da Alfa Romeo por aqui, mas você há de concordar que a paixão alfista é unanimidade mundial. E a marca sabe disso — até admitiu que seus valores principais foram deixados de lado nas últimas décadas. A Alfa Romeo começou a construir carros em 1910 e desde então foi uma das grandes no automobilismo mundial, dà Fórmula 1 ao DTM, mas admite ter esquecido disso nos últimos 20 anos — nos quais fez muitos carros bonitos, mas deixou de lado algo extremamente importante: o DNA histórico da marca.

O 4C foi o começo do processo que acontecerá nos próximos cinco anos: a volta às raízes da Alfa. Ele tem visual italiano, é leve e potente (os 240 cv do motor 1.75 turbo empurram 895 kg) e foi feito para agradar uma pessoa: o motorista. E é assim que os próximos carros da marca serão.

alfaaaaaaaaaaaaaa

A Alfa trará gente importante da Ferrari e formará uma equipe de mais de 600 pessoas, selecionadas por todo o grupo Fiat Chrysler, para desenvolver os novos carros. O primeiro modelo deverá ser um sedã médio de tração traseira, e chegará no fim de 2015. Depois, toda uma gama de compactos, utilitários e um esportivo deverá ser apresentada entre 2016 e 2018, todos com tração traseira ou integral, e planejados para encarar diretamente as marcas premium alemãs — BMW, Mercedes e Audi.

Quanto aos motores, estão previstas variantes de quatro e seis cilindros, desenvolvidos na Itália e com potência entre 100 cv (aspirado) e 350 cv (turbo) para os quatro-cilindros, e até 500 cv para o seis-cilindros. Também considera-se um novo motor a diesel. Especula-se até mesmo o uso de motores Ferrari, como já acontece com os Maserati, para agregar mais valor aos modelos.

Mas outra coisa chamou mais a nossa atenção:

planos-italia (1)

Sim, tudo indica que o 4C ganhará uma versão Quadrifoglio Verde (ou Cloverleaf), que deverá ser ainda mais potente do que o modelo normal, ainda em 2015. Não disseram mais nada, mas já estamos perdendo o sono com tantas novidades boas.

Fiat

fiat_500s_by_abarth_3

O tom dos planos da Fiat é parecido com o da Alfa Romeo — a marca perdeu a identidade, lançando muitos modelos diferentes, atirando para todos os lados e ficando com uma linha heterogênea. A situação ficou crítica em 2010 e começou a ser resolvida em 2014: a Fiat já cortou modelos e traçou caminhos específicos para cada um dos que sobraram. Agora, eles vão além.

planos-italia (4)

A Fiat quer dividir sua linha em duas vertentes: “racional/funcional” e “emocional/aspiracional”, ilustrada por dois de seus modelos mais icônicos do passado. A primeira será composta pelos modelos mais baratos e práticos, como o Panda e o Punto, enquanto a segunda terá modelos mais descolados e esportivos — como a família 500 e um novo modelo, que tudo indica ser um roadster de tração traseira desenvolvido em parceria com a Mazda — uma espécie de sucessor espiritual do 124 Spider/Coupe.

De início, acreditava-se que o carro seria um novo Alfa Romeo, mas hoje o grupo deu a entender que será um Fiat — o Jalopnik US até flagrou uma mula do Mazda Miata com um motor Twin-Air debaixo do capô.

planos-italia (3)

Agora, estes são os planos globais da Fiat — a apresentação também mostrou o que será da marca em mercados emergentes, como o Brasil. Para cá, podemos esperar atualizações do Uno (ainda este ano) , novos Punto e Grand Siena, o fim do Linea e a introdução de novos modelos: uma picape compacta e o substituto do Palio Fire no segmento de entrada — ambos previstos para o segundo semestre de 2015, e um crossover compacto em 2016.

Ferrari

f12

Vendo o planejamento da Ferrari, podemos concluir que a marca é a mais confortável do grupo no que diz respeito à sua identidade. A marca quer lançar um novo modelo por ano, sendo que cada um deles terá um ciclo de vida de quatro anos, seguido por uma atualização (que a Ferrari chama de “M”) e mais quatro anos — na prática, oito anos.

planos-italia (2)

A Ferrari quer manter a exclusividade da marca, e por isso não pretende aumentar a capacidade de produção, que continuará limitada a 7 mil unidades por ano.

Maserati

maserati_alfieri_concept_5

A Maserati está bem mais sujeita a mudanças do que a Ferrari — entre 2014 e 2018, a marca vai lançar um SUV, um novo cupê esportivo e a nova geração do GranTurismo.

maserati-2

O SUV Levante deverá ser o primeiro, a chegar no ano que vem. Sempre com tração integral, deverá ter uma vasta gama de motores: V6 de 350 e 425 cv, V8 de origem Ferrari e mais de 560 cv, e três motores a diesel. Depois, em 2016, virá o Alfieri, um cupê/conversível absurdamente estontante, com design inspirado no clássico Maserati A6. Ele terá versões de tração traseira e integral e motores V6 de 410, 425 e 520 (!) cv. Já estamos ansiosos.

maserati_granturismo_mc_stradale_au-spec_12

Por fim, o GranTurismo ganhará uma nova geração em 2018 e o mesmoV8 de 560 cv (ou mais) debaixo do capô — motor que também estará no sedã Ghibli até 2018.

Poucas vezes na indústria automotiva vimos uma reformulação tão ampla ser divulgada desta forma — abertamente e admitindo falhas (como no caso da Alfa Romeo).

maserati

A nós, resta esperar e ficar atentos às novidades — afinal, os cinco anos que teremos para ver tudo isso já começaram.

Matérias relacionadas

Bertone está à beira da falência e pode ser liquidada. Veja o caso

Leonardo Contesini

O novo BMW Série 5 é um mini Série 7

Leonardo Contesini

Um Mustang com 735 cv feito de fibra de carbono: conheça o Galpin-Fisker Rocket

Leonardo Contesini