FlatOut!
Image default
Zero a 300

Alonso em todas as provas do WEC e F1 em 2018, Onix ganha nova versão automática, os novos Williams e Hass e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Alonso irá disputar todas as provas do WEC em 2018

Fernando-Alonso-Toyota-WEC-3

Pela primeira vez em décadas um piloto de Fórmula 1 irá disputar a temporada completa de uma outra categoria paralelamente à sua categoria principal. Fernando Alonso conseguiu fazer os organizadores do Mundial de Endurance (WEC) mudarem a data da 6 Horas de Fuji para que a prova não coincidisse com o GP dos EUA da F1, de forma que Alonso pudesse disputar as duas.

A mudança foi uma jogada estratégica do WEC, que ganha publicidade ao manter um campeão da Fórmula 1 disputando a temporada completa da categoria. Tanto que esta é a primeira vez que um evento oficial da FIA teve sua data alterada para atender um piloto. A prova japonesa foi antecipada de 21 de outubro para 14 de outubro, e com isso Alonso poderá disputar todas as etapas do campeonato.

Com a mudança, Alonso irá disputar nada menos que 26 corridas entre março e novembro, mas isso não preocupa seu chefe na McLaren, Zak Brown. “Fernando é muito bem preparado e não toparia esse comprometimento se não achasse que pode competir em ambas em alto nível”, disse Brown.

Ao que tudo indica, Alonso está preparando os próximos anos de sua carreira com uma transição gradual para o WEC. Os organizadores do Mundial de Endurance já disseram que ele irá brigar pelo título, e para isso, ele terá que disputar a temporada completa, que inclui cinco provas em 2018 e outras três provas em 2019. Se fôssemos dar um palpite, diríamos que Alonso planeja sair por cima da F1: se conseguir vitórias e até um título no WEC, ele conseguirá evitar a impressão de que desistiu da F1 por não ser mais competitivo.

A dica está nas declarações recentes de Alonso sobre a Fórmula 1 ao jornal espanhol AS: “O nível exigido pela Fórmula 1, levando em consideração tempo e preparação, é enorme. Depois de tantos anos, você percebe que vai chegar a hora em que simplesmente não é mais possível. Não é o caso de fazer uma escolha consciente. Você gosta de competir e acha que aquilo é atraente. Isso porque você gosta de correr e tem a chance de combinar as duas coisas: fazer algo que é novo e que não teve a oportunidade de fazer durante seus anos de competição. O WEC proporciona isso. Há menos corridas durante o ano. Você pode recuperar um pouco da sua vida, mas, ao mesmo tempo, continuar competindo”.

 

BMW revela nova geração do X4

P90291893_highRes-e1518604141344-630x331

A BMW nem esperou o início do Salão de Genebra — nem fotos vazadas ou todas aquelas artimanhas para ganhar espaço na mídia —  para revelar a nova geração do X4. A marca bávara divulgou as primeiras fotos oficiais do seu novo SUV-cupê nesta última quinta-feira (15).

P90291894_highRes-e1518604219155-630x330

Como já era esperado, o visual do X4 foi apenas atualizado, tornando-se mais próximo do novo X3, mas sem grandes mudanças em termos gerais. Os faróis ganharam linhas mais fluidas, o para-choques dianteiro ganhou mais vincos e recortes, e os faróis de neblina agora são elípticos em vez de circulares. Na traseira as lanternas seguiam o estilo das lanternas dos sedãs da marca, mas agora ficaram mais afiladas, o que deu um visual mais moderno e esportivo ao carro.

p90291900_highres_the-new-bmw-x4-m40d-

As laterais mantiveram o vinco duplo (um na linha das maçanetas, outro na parte inferior das portas), mas os para-lamas traseiros ficaram mais pronunciados, dando um stance mais assentado e passando uma impressão de força. Apesar do visual ter mudado pouco, o carro ficou maior: o novo X4 é 8,1 cm mais longo, 3,7 cm mais largo e tem 5,4 cm a mais entre os eixos. A altura é praticamente a mesma, com uma redução de 3 mm. O peso foi reduzido em 50 kg em relação à geração anterior, e a distribuição é igual sobre os eixos, segundo a BMW.

p90291926_highres_the-all-new-bmw-x4-m

Sob o capô ele usará os mesmos motores que os demais BMW da metade inferior do catálogo: 2.0 turbo de quatro cilindros e 3.0 turbo de seis cilindros em linha. O primeiro equipa a versão XDrive20i em uma configuração de 186 cv e 29,5 kgfm, e leva o carro aos 100 km/h em 8,3 segundos e à máxima de 215 km/h; e também a versão xDrive30i, em uma configuração de 255 cv e 35,6 kgfm para levar o carro aos 100 km/h em 6,3 segundos e aos 240 km/h. O seis-em-linha é reservado à versão M40i, que produz 360 cv e 50,9 kgfm, e vai de zero a 100 km/h em 4,8 segundos e aos 250 km/h.

p90291915_highres_the-new-bmw-x4-m40d-

Os motores diesel também têm o mesmo deslocamento: um 2.0 turbo de 192 cv e 40,8 kgfm na versão xDrive20d, que vai de zero a 100 km/h em 8 segundos e chega aos 213 km/h; o mesmo 2.0 turbo, porém com 234 cv e 51 kgfm usado na xDrive25d, que vai de zero a 100 km/h em 6,8 segundos e chega aos 230 km/h; e um 3.0 turbo de seis cilindros em linha com 330 cv e 69,3 kgfm, que equipa o M40d (sim, um M diesel), capaz de chegar aos 100 km/h em 4,9 segundos e à máxima de 250 km/h. Todos os motores — 2.0 e 3.0, a gasolina ou a diesel — são equipados com o câmbio automático de oito marchas fornecido pela ZF.

p90291916_highres_the-new-bmw-x4-m40d-

Por dentro, o X4 traz o que se espera de um SUV premium de 2020: sistema multimídia com tela de 10,25 polegadas, quadro de instrumentos digital (opcional), head-up display, comandos por gestos, reconhecimento de voz e sistemas auxiliares de condução semi-autônoma, bem como câmera de 360 graus.

 

Os carros da Williams e Haas para 2018

1518622662615

A Haas e a Williams foram as primeiras equipes da F1 a apresentar seus carros para esta temporada de 2018. Como você já deve saber, neste ano o halo será equipamento obrigatório e é a principal novidade visual dos carros.

haas2018-1024x576

A Haas foi a primeira a apresentar seu carro, na última quarta-feira (14). Batizado VF-18, o modelo deste ano segue equipado com o V6 turbo da Ferrari e, segundo o chefe da equipe, Gunther Steiner, é uma evolução do carro de 2017. “A maior evolução foi a adição do halo. Foi preciso um pouco de estudo aerodinâmico para adaptar o halo e fazê-lo resistir às cargas exigidas pelo regulamento”, disse. O dispositivo foi pintado de preto, seguindo o esquema da pintura do carro, como forma de torná-lo mais integrado (e disfarçado) ao visual. Os pilotos seguem os mesmos: Kevin Magnussen e Romain Grosjean.

w-1518723556

Na quinta-feira (15) a Williams mostrou o seu FW41, que segue com o motor Mercedes-AMG e sua belíssima pintura branca com as faixas da Martini Racing. A mudança mais significativa foi o halo, mas a pintura também mudou sutilmente, ganhando uma linha preta na parte inferior. Os sidepods também parecem modificados, mas não há muito o que discorrer sobre o visual. Como no Haas, o halo foi pintado de forma que se integrasse à pintura e o carro foi fotografado sobre o fundo branco de forma que ele passasse menos percebido. Os pilotos serão a jovem dupla formada por Lance Stroll e Sergey Sirotkin, que ocupou o lugar de Felipe Massa.

 

Toyota está simulando falhas em componentes nos treinos para Le Mans

screen-shot-2018-02-14-at-1-58-57-pm-1518634768

Desde 2012 a Toyota tenta conquistar as 24 Horas de Le Mans, mas acaba frustrada por problemas mecânicos que a mantém longe da liderança da mais longa das corridas. Com uma chance de ouro nas mãos em 2018, visto que competirá com rivais menos endinheirados que uma poderosa fabricante de nível mundial, a equipe quer ter certeza de que não irá fracassar novamente. Eles estão até mesmo simulando falhas em componentes mecânicos e elétricos nos treinos para Mans.

Segundo o Pascal Vasselon, diretor técnico da Toyota, em entrevista ao site Autosport, a equipe está mudando seus métodos de preparação. “Estamos gastando muito mais tempo com situações não planejadas — reparos e danos não planejados”, disse. Ele estão criando situações controversas durante as sessões para ver como a equipe reage e soluciona a situação. Entre as falhas simuladas estão a quebra de semi-árvores e falhas no sistema de comunicação.

“Le Mans é um desafio em si. Nos últimos quatro anos poderíamos ter vencido três vezes, mas perdemos porque tivemos problemas que não soubemos solucionar”, disse Vasselon. “Neste ano temos que competir contra Le Mans, e não contra nossos rivais. Este é o nosso desafio”.

 

Piloto brasileiro vence o Volant Winfield na França

caiocollet

O piloto brasileiro Caio Collet, de 15 anos, venceu nesta semana o torneio Volant Winfield, em Paul Ricard, na França. O jovem piloto é o primeiro brasileiro a vencer a seletiva que é organizada há 46 anos e já revelou nomes como Alain Prost, Damon Hill, René Arnoux, Jean Alesi, Patrick Tambay e Jacques Laffitte.

20180215-F-1-Collet-WInfield-Finalistas-FGcom

Collet enfrentou três dias de testes físicos, psicológicos e de pista, e derrotou 58 jovens pilotos com idade entre 14 e 17 anos. Destes 58, somente 18 passaram para a segunda etapa, da qual sairiam apenas três finalistas. Além de Collet, o outros dois selecionados foram Stuart White, da África do Sul, e Pierre-Louis Chovet, da França. A final foi realizada nesta quinta-feira (15).

Com a vitória no torneio da tradicional escola de pilotagem francesa, Collet agora irá disputar a temporada completa do campeonato francês de F4, um dos primeiros passos para chegar à Fórmula 1.

 

Onix ganha nova versão automática de entrada

chevrolet-onix-advantage-automatico2

A Chevrolet lançou nesta semana uma nova versão automática de entrada para o Onix. Batizada Advantage, ela é posicionada abaixo do Onix LT 1.4 e custa R$ 54.000 — R$ 4.000 a menos que o antigo modelo automático mais acessível. O preço mais baixo, claro, sacrificou alguns itens desejáveis.

chevrolet-onix-advantage-automatico

O modelo vem equipado com rodas de 15 polegadas, porém de aço estampado com calotas, em vez de rodas de liga leve. A central multimídia MyLink e o volante com comandos do rádio também foram deixados de lado para baratear o preço da versão automática, bem como o sensor de estacionamento traseiro. No lugar, a GM equipou o carro com um rádio Bluetooth mais simples. Ar-condicionado, vidros dianteiros elétricos, travas elétricas e direção assistida foram mantidos. Segundo a GM, o câmbio automático é o novo equipamento desejado pelo consumidor brasileiro, uma vez que ar-condicionado e direção assistida já se tornaram um padrão nos carros acima do segmento de entrada.

chevrolet-onix-advantage-automatico3

O motor é o mesmo 1.4 de 106 cv e 13,9 kgfm, e o carro já tem os reforços estruturais na lateral, que melhoraram sua nota nos testes de impacto do Latin NCAP, além de sistema de afixação ISOFIX para cadeirinhas infantis.

Matérias relacionadas

Brazilian design: os carros desenvolvidos no Brasil e vendidos em todo o mundo

Leonardo Contesini

Rolls-Royce Sweptail: todo o luxo e exclusividade que R$ 41 milhões podem comprar

Dalmo Hernandes

Este Ford Fiesta XR2 com motor Duratec supercharged de 200 cv é um monstrinho que sobe montanhas

Dalmo Hernandes