FlatOut!
Image default
Top Zero a 300

As gerações de carros que atravessaram décadas – parte 1

As fabricantes de automóveis às vezes têm nas mãos a difícil tarefa de substituir um modelo consagrado por algo totalmente novo. Isto porque, de tempos em tempos, determinado automóvel tem uma fórmula tão acertada que o mercado a aceita por décadas, a ponto de resistir a qualquer mudança maior. Assim, muitos automóveis atravessam décadas sem mudar de geração, apenas com atualizações ao projeto original.

Nós separamos alguns deles neste post – gerações de automóveis que foram vendidas por vinte anos ou mais sem abandonar o projeto original, e em muitos casos com alterações visuais e técnicas bastante discretas. Você pode dar sugestões na caixa de comentários, naturalmente.

 

Volkswagen Fusca

autowp.ru_volkswagen_kafer_4

Fusca em 1938

Produzido de 1938 a 2003 (65 anos)

O carisma e a simplicidade mecânica do Fusca realmente o levaram longe. O projeto de Ferdinand Porsche data da década de 30 e a produção começou na Alemanha em 1938. O visual simpático, a manutenção descomplicada e o preço atraente fizeram do Fusca um sucesso imediato que durou nada menos que nada menos que 65 anos e tornou o “carro do povo” um ícone em todo o planeta – entre os que não são entusiastas, inclusive.

autowp.ru_volkswagen_beetle_ultima_edition_1

Fusca em 2003. Note as janelas maiores e os piscas nos para-choques

O Fusca passou por diversas atualizações na Europa, especialmente na década de 70, quando a Volkswagen deu a ele vidros maiores, um para-brisa curvo, suspensão dianteira independente do tipo McPherson e um painel de instrumentos de verdade, com cobertura plástica e um porta-luvas espaçoso. Ele teve até câmbio semi-automático lá fora, dispensando o uso da embreagem. Sua produção foi encerrada em 2003 no México, onde era conhecido como Vocho e começou a ser fabricado em 1954. No total, em todo o mundo foram fabricados cerca de 21,5 milhões de exemplares do Fusca.

 

Lada Laika

vaz_2101_zhiguli_4

Lada 2101 em 1970

Produzido de 1970 a 2012 (42 anos)

O Lada que conhecemos no Brasil como Laika teve outros nomes em outros países – 2101, 2105, Riva. O Laika tem suas raízes na Itália, onde o Fiat 124 começou a ser fabricado em 1966. Quatro anos depois, em 1970 o sedã/perua começou a ser fabricado na Rússia pela AutoVAZ, com mecânica própria e componentes de suspensão reforçados para aguentar as condições ruins das vias russas (e, por isso mesmo, fazendo relativo sucesso no Brasil dos anos 90).

autowp.ru_lada_2107_17

Lada 2107 em 2012

Ele foi reestilizado uma única vez em 1978 e permaneceu com a mesma cara até 2012, quando deixou de ser fabricado. Ainda era praticamente o mesmo carro de 1970.

 

Hindustan Ambassador

22a609b50b68936653c32d5d0d317263--top-cars-motorcycles

Hindustan Ambassador em 1957

Produzido de 1954 a 2014 (60 anos)

O Hindustan Ambassador foi um sedã popular produzido na Índia por 57 anos, entre 1957 e 2014. Com visual típico dos anos 60 e algumas poucas atualizações mecânicas e estéticas neste período – como vale para diversos carros populares de países em desenvolvimento, robustez mecânica e baixo preço eram mais importantes que tecnologia de ponta, motores modernos e atualizações estética.

hindustan_ambassador_grand_1.5_dsl_5s_1

Hindustan Ambassador em 2014

O Hindustan Ambassador foi especialmente popular entre frotistas por todo o período em que foi fabricado, e até hoje é onipresente nas ruas indianas. O projeto original, contudo, é de origem britânica: o Morris Oxford de segunda geração, lançado em 1956.

 

Volkswagen Gol G2

volkswagen_gol_8

Volkswagen Gol em 1994

Produzido de 1994 a 2014 (20 anos)

A primeira geração do VW Gol, lançada em 1980, durou bastante tempo – 16 anos, deixando de ser produzida em 1996. Dito isto, a segunda geração foi ainda mais longeva. O chamado Gol G2, conhecido também como Gol “bolinha” por causa do contraste com a carroceria retilínea da geração anterior, foi lançado em 1994 e aposentou o modelo antigo depois de dois anos. Usando a mesma plataforma, com motor dianteiro longitudinal e tração dianteira, o Gol G2 tinha belas proporções e conseguiu, com duas reestilizações, permanecer em produção e lucrativo até 2014.

autowp.ru_volkswagen_gol_trend_19

Volkswagen Gol em 2014

A maioria dos leitores já deve saber, mas não custa relembrar: ambas as reestilizações do Gol G2 são largamente consideradas novas gerações, embora este não seja o caso: tanto o Gol G3, lançado no fim de 1999 e considerado o modelo mais bonito; quanto o Gol G4 lançado em 2005 e não tão bem sucedido esteticamente quanto o modelo anterior, são em essência o Gol G2 com identidade visual e interior atualizados.

 

Lada Niva

autowp.ru_lada_niva_7

Lada Niva em 1977

Produzido de 1977 até hoje (41 anos e contando)

Tal como o Lada Riva/Laika, o SUV Niva também apostou na robustez mecânica e no baixo preço para conquistar a longevidade. Ele foi o primeiro modelo da AutoVAZ a não ser baseado no carro de outra marca: estrutura, carroceria e suspensão foram projetados in house, ainda que a mecânica e alguns componentes viessem da Fiat, como os motores, as maçanetas do Fiat 125 e os vidros laterais e quebra-ventos do Fiat 124.

lada_4x4_urban_12

Lada Niva atual

O Niva foi o primeiro utilitário com construção monobloco em vez de usar carroceria sobre chassi, resultando em um veículo leve e com boa rigidez estrutural. Em conjunto com o robusto sistema de tração integral com reduzida e a suspensão elevada, o resultado era um veículo confortável na estrada e extremamente capaz longe dela. Seu visual carismático quase não foi alterado ao longo das décadas – as maiores mudanças até hoje foram a adoção de lanternas traseiras verticais em 1992 e dos para-choques envolventes de plástico em 2014.

 

Volkswagen Passat B2

volkswagen_santana_13

Passat B2 em 1981

Produzido de 1981 a 2012 (31 anos)

A segunda geração do VW Passat foi lançada na Europa em 1981 e, com este nome, saiu de linha sete anos depois, em 1988. No entanto sua história foi bem mais longa: em 1984 ele começou a ser vendido no Brasil, com carrocerias sedã e perua, com o nome de Volkswagen Santana, e assim ele permaneceu em produção até 2012.

autowp.ru_volkswagen_santana_br-spec_2

O Santana foi vendido no Brasil em duas “gerações” – a primeira entre 1984 e 1990, e a segunda entre 1991 e 2006. Dito isto, tratava-se na verdade de uma reestilização profunda na dianteira, na traseira e no interior, com a seção central, o entre-eixos e a mecânica sem grandes alterações (ainda que uma reestilização mais leve, com novos para-choques, faróis, lanternas e painel de instrumentos, tenha sido introduzida em 1998). Novamente, a combinação de mecânica consagrada e preço convidativo garantiram a sobrevivência do Santana por 22 anos no Brasil.

autowp.ru_volkswagen_santana_cn-spec_3 autowp.ru_volkswagen_santana_vista_2

Duas versões do Santana chinês, ambas produzidas até 2012

No entanto, entre 1985 e 2012 o Santana foi fabricadona China pela Volkswagen em parceria com o governo local. Seu intuito era o de ser o modelo mais barato da linha, com a primeira e a segunda fases convivendo até o fim da produção.

 

Fiat Uno

fiat_uno_3-door_1

Fiat Uno em 1983

Produzido de 1983 a 2013 (30 anos)

Não dá para fazer uma lista de carros longevos sem citar o Fiat Uno. O popular substituiu o Fiat 127 na Itália em 1983, e foi produzido por lá até 1995, quando deu lugar ao Punto de primeira geração. No Brasil, onde chegou em 1984, seguiu em produção até 2014, quando a legislação de trânsito tornou obrigatórios em todos os carros nacionais freios ABS e airbag duplo frontal. Sem intenção de investir na modernização do Uno, a Fiat brasileira decidiu encerrar sua carreira de sucesso.

fiat_grazie_mille_14

Fiat Uno (Mille) em 2013

Tanto sucesso, na verdade, que o Uno brasileiro foi exportado para a Itália, com o nome Innocenti Mille a partir de 1989. Foi um sucesso, com mais de um milhão de unidades vendidas na terra natal do Uno, que ficou conhecido pelos italianos como La Brasiliana.

 

Porsche 911

porsche_911_2.0_coupe_15

Porsche 911 (901) em 1963

Produzido de 1963 a 1998 (35 anos)

É preciso ser um pouco mais liberal com a definição de “geração” no caso do Porsche 911. Os mais radicais consideram que o modelo clássico foi fabricado de 1963 a 1988, quando a Porsche lançou o modelo 964. Este foi o primeiro 911 de rua com para-choques envolventes de plástico, mas a identidade visual e a maior parte da carroceria ainda eram praticamente iguais ao carro lançado nos anos 60.

porsche_911_carrera_4_coupe_uk-spec_1

Porsche 911 (964) em 1988

Contudo, se considerarmos o monobloco original, incluindo portas e janelas, a primeira geração do Porsche 911 inclui também o 993, de 1993, que tinha novas seções dianteira e traseira e visual mais adequado à década de 90.

autowp.ru_porsche_911_carrera_3.6_coupe_11

Porsche 911 (993) em 1993

O Porsche 911 só mudou de geração de verdade em 1998, quando foi lançado o modelo 996 – o primeiro com monobloco e carroceria totalmente novos, além de um motor flat-six arrefecido a água também 100% inédito.

Matérias relacionadas

Qual é seu post favorito nestes quatro anos de FlatOut?

Dalmo Hernandes

Autoridades querem limitar o Waze, os 90 anos da GM no Brasil, uma nova versão do Pagani Zonda e mais!

Leonardo Contesini

Mitsubishi Legnum V6 à venda: uma perua de Gran Turismo na sua garagem

Dalmo Hernandes