As opiniões sobre carros sinceras e controversas dos nossos leitores

Dalmo Hernandes 11 outubro, 2017 0
As opiniões sobre carros sinceras e controversas dos nossos leitores

Há alguns dias, conversando entre nós aqui no QG do FlatOut, vimos que todos nós tínhamos opiniões controversas a respeito de carros. O Juliano não curte carros com aspecto racer e nenhuma intenção de melhorar o desempenho. O Leo diz que o Toyota Corolla é um carro melhor, objetivamente falando, do que o Honda Civic. Eu, Dalmo, não sou muito fã de supercarros e dificilmente teria um deles na minha garagem, mesmo se tivesse a grana. Então, decidimos perguntar aos leitores quais eram suas opiniões controversas – clique aqui para conferir.

Acontece que, bem… foram mais de 3.000 comentários, o que tornou meio impossível a tarefa de analisar todos. Além disso, a área de comentários acabou virando uma espécie de “muro das lamentações”, e o pessoal aproveitou também para soltar algumas “cutucadas”, falar algumas verdades e até soltar alguma coisa que estava presa na garganta a respeito de algo que odeiam ou gostam, mas que os outros não compreendem.

A gente ficou chateado? Não, pelo contrário! No fim das contas, surgiram muitos comentários divertidos e também algumas coisas que a gente também pensava. E por isso a gente decidiu selecionar algumas das opiniões, declarações e outras ões neste post. E vamos tecer nossos comentários, também, claro! Começando… agora:

 

motor-AP-aspirado

Eu tenho duas. A primeira é: motor AP é super estimado. E a segunda é: o direito de dirigir não deveria ser para todos, pois existem muitos motoristas que não têm condições motoras e psicológicas para conduzir um carro. – Rodolfo

Esta é realmente controversa, Rodolfo. Especialmente porque o AP é praticamente o nosso “small block chevy” em termos de facilidade de preparação, robustez, receitas e componentes.

Sobre o direito de dirigir: existem argumentos para endossar maior rigidez na hora de determinar quem está apto a conduzir um carro, mas é um debate bastante complexo que envolve até mesmo a questão dos deficientes físicos.

 

autowp.ru_dodge_dart_gts_3

Dodge Charger nacional e Maverick GT não valem nem a metade do que pedem neles. – HighwayStar_84

Sendo honestos, HighwayStar_84, acreditamos que valor e preço são coisas diferentes – quem determina o valor de um carro é seu dono, mas quem determina o preço é o mercado. No entanto, é mesmo estranho ver um Maverick custando o mesmo que um Mustang, ambos em estado de conservação semelhante. Por outro lado, há de se pensar que a manutenção de um Mustang pode exigir mais compras no exterior…

 

Os Peugeot não são tão ruins como dizem, e acho bizarro usarem o termo “carro de mulher” pra determinar o tipo de público para a marca… Na verdade, detesto o próprio termo. – Igor Fernandes

Bem observado: não existe isto de carro de mulher e carro de homem, embora certos automóveis possam ter design mais associado a determinado gênero. Não é por acaso que carros com formas mais arrendondadas atraem mais o público feminino. Tem a ver com a evolução: mamíferos do sexo femininos são mais vulneráveis aos encantos formas “bonitinhas”, de modo que surge um impulso natural de cuidar dos filhotes (ou dos filhos, no caso dos ser humano) que acabaram de nascer.

Só que isto não faz um Peugeot 206 um “carro de mulher”. E nem um Fiat 500, um Renault Twingo ou um Smart.

 

tesla_model_3_3

Odeio comandos touch no carro, nao sei quem foi que falou que um ar digital touch é uma boa ideia mas nao é. Recentemente vi uma proposta da Land Rover de colocar comandos touch no volante… Ou seja: agora você vai ter que olhar para o volante para usar o comando que foi criado para você não desviar o foco da estrada. – Alessandro

Também não enxergamos muita lógica nisto não: a desvantagem dos comandos touch, que exigem que você olhe para eles – não existem comandos touch sem visão, ou mesmo com visão periférica. É, do ponto de vista técnico, um retrocesso perigoso. Mas isto não impediu a Tesla de colocar telas (hehe) no lugar de praticamente todos os botões do recém-lançado Model 3. No caso do Touch Pro da Land Rover, mesmo que os comandos sejam no volante… você costuma ficar olhando para o volante enquanto dirige?

 

unoo

Carro 1.0 não é lixo. Você é que não sabe trocar de marcha, mesmo. – Bruno P. R.

Dá vontade de dizer só “é mesmo”, mas vamos elucubrar um pouco mais: de fato, um carro 1.0 não é o ideal para uso intenso no dia-a-dia, mais viagens, mais trabalho, mas é esta a situação da maioria dos carros “mil” no Brasil. Eles até conseguem dar conta de uma ladeira íngreme ou de um percurso longo na estrada. Você só precisa saber lidar com ele. Em um mundo perfeito todo 1.0 seria três-cilindros turbo a esta altura, mas… o mundo não é perfeito. Sorry.

 

Carro esportivo não precisa ter zilhões de cavalos de potência. – The Canadian

Não mesmo. E o Mazda MX-5, o Subaru BRZ, o Sandero RS, o Ford Ka XR, o Lotus Elise e o Suzuki Cappuccino concordam com você!

 

autowp.ru_ford_svt_f-150_lightning_1

Picapes são carros de carga. Todas elas são ruins de dirigir e desconfortáveis, e quem acha o contrário só esta impressionado com o excesso de couro no interior dessas bombas. – João Brunelli

É como dizem: generalizar é sempre um erro, como prova a belíssima Ford F-250 SVT Lightning. Mas a gente entende o que você está querendo dizer.

 

99

Volante de Saveiro Surf é o Oakley Juliette do mundo automobilístico. – Curió

Quem somos nós para dizer o que cada um deve colocar no seu carro ou usar para proteger os olhos em um dia de sol forte? Ninguém, mas esta sugestão está aqui por uma razão…

 

bat-garage-replica-1

Carro pra mim é pra usar, e carro caro não te dá o direito de agir como imbecil. Se for pra ficar com neuras todas vez que for sair com o carro, eu nem compro. Querer um carro e precisar de um carro são conceitos diferentes e não sou menos gearhead por admitir isso. – Caio Henrique

Isto tem a ver com o fato de, no Brasil, a imagem do carro ainda estar muito vinculada à noção de sucesso profissional e status, especialmente se for um carro zero-quilômetro (que nem precisa ser dos melhores, na verdade).

 

lb-tosser-410_20130612151938367280-620x349

Tio que compra carro esportivo NÃO sofre de crise de meia idade. – Fórmula Finesse

Não mesmo! Existem vários outros motivos legítimos para comprar um esportivo. Para um entusiasta, fora o design e suas preferências pessoais, o que importa é mesmo o desempenho. E tanto faz se você acabou de fazer dezoito anos ou está prestes a completar 60: quando tiver a oportunidade e a grana na mão, compre mesmo.

 

MUGELLO 31/07/2009 - MICHAEL SCHUMACHER © FOTO ERCOLE COLOMBO

Pra mim, Michael Schumacher foi o maior piloto da história da F1, ao contrário do que 90% dos brasileiros dizem. – Giovanni Ferrari Bertoldi

Eis uma opinião de fato controversa! É sempre arriscado tirar de Ayrton Senna a posição de maior piloto do mundo, mesmo que seja em seu ranking pessoal. O homem era bom mesmo, mas existiram/existem muitos outros pilotos fantásticos além dele e os critérios para definir qual é o “melhor” variam muito. O pessoal esquece que ninguém é obrigado a concordar com a opinião de ninguém nesse tipo de discussão.

 

transito-em-sao-paulo-no-horario-de-pico

Já tive essa discussão aqui e vamos colocar as treta em pauta novamente. Dirigir no dia a dia não dá prazer! (estou falando de Belo Horizonte, onde levo 50 minutos para andar 8km para ir e voltar ao trabalho). É um transito maldito, caótico, cruzamentos fechados entre outros… Curto muito dirigir, mas em finais de semana, a noite de preferencia, em passeios e viagens, em tracks e afins… todo dia, nesse transito quase parado, não! – Samuel Vancouver

Olha, Samuel, esta opinião é meio que regional: eu nunca tive problema para dirigir na cidade, gosto bastante, inclusive, porque sempre morei no interior de São Paulo. Tenho certeza, porém, que o Juliano e o Leo te entendem muito melhor do que eu!

 

cnh_mr-bean

As provas e os exames necessários para tirar a CNH deveriam ser tão rígidos quanto os necessários para tirar porte de arma. Por quê? Simples, porque tem um monte de imbecil que não desconfia que um veículo mal conduzido tem um incrível poder de destruição. Se o sujeito não tem condições de lidar com tanta responsabilidade, então que não seja permitido dirigir. – Marcos Amorim

Como dissemos no primeiro comentário, esta é uma opinião realmente controversa – mas é fato que os critérios no Brasil são bastante brandos e que muitas pessoas recebem a CNH sem estar aptas.

 

chevrolet_corvette_grand_sport_22

Outra opinião minha…acho o Corvette um carro um tanto subestimado pelos entusiastas. Para mim, é um carro tão lendário quanto o 911 e a Ferrari. – Tommy James

Tommy, eu concordo com você! Mas isto deve ter a ver com o próprio posicionamento do Corvette até agora: o esportivo old school americano, com carroceria de fibra, o bom e velho motor V8 na dianteira e dinâmica divertida, além do visual intimidador. Como tudo indica que o próximo ‘Vette adotará o layout de motor central-traseiro, conseguimos enxergar uma mudança de postura por parte da GM. E pode apostar que estamos ansiosos para ver onde isto vai dar!

 

OPALA NÃO É UM MUSCLE CAR!!!!!!!!!!! – Curió

Bem, essa não é exatamente controversa porque o Opala não é mesmo um muscle car, se levarmos a definição clássica ao pé da letra. Olha só, nós mesmos esclarecemos a questão no dicionário muscle car: um muscle car (no caso dos cupês full size, como o Pontiac GTO) ou pony car (no caso dos carros um pouco mais compactos, como o Mustang até 1968) precisa ter um motor V8 para ser considerado como tal. O que não desabona nenhum pouco a reputação do Opala no contexto brasileiro.

 

Queria deixar uma critica a mais um moda que ocorre na internet. Qualquer vídeo no Youtube tratando de um carro do ano 2000 pra trás sempre tem comentários do tipo:

“Antigamente é que se faziam carros, hoje é tudo de plástico.”

Típica frase feita, repetida sem pensar, carros dos anos 90 não são antigos, já tinham muito plástico e não eram melhores que os de hoje se formos comparar carros de mesma categoria, com talvez uma ou outra exceção.

Fora que dos anos 80 pra trás o nível de segurança dos carros brasileiros era baixíssimo. – Vitor

De fato, do ponto de vista técnico os carros evoluíram muito e, além de baratear o custo de produção, a adoção do plástico também permite um interior mais seguro em caso de acidente, pois abriga os reforços estruturais desenvolvidos com o passar das décadas e oferece diversas possibilidades em termo de design e experimentações com formas e texturas. A ideia de que antigamente eram melhores é afetada pelo fator nostálgico.

 

Paredão de som é tão inútil quanto carro socado. Pior são caminhonetes lotadas de som na caçamba: só servem pra incomodar, pois quem tem não ouve baixo. – Diesel

Existem campeonatos de som e adeptos dos mesmos, assim como existem gostos diferentes para tudo. É claro que há casos e casos, e de gente sem noção o mundo está cheio e, bem…  eu também não curto muito. Mas nunca passei pelo incômodo de ter um campeonato de som rolando ao lado da minha casa, por exemplo.

 

2fast-2furious (1)

Pessoas que montam “projetos” para encontro automotivos não gostam de carros. Gostam de aparecer.

Explico: Quem gosta de carro, monta um carro com base no seu gosto pessoal, usa referências – até por quê ajuda bastante quando a indefinição bate – mas curte o carro. E vai nos encontros mais underground possíveis (o famoso postão de gasolina), viaja no final de semana, usa o carro para ir trabalhar e, enfim, acelera, cria um apego emocional ao modelo.

A galera do “projeto” para o evento tal passa o ano inteiro desenvolvendo o carro, mostrando teasers até apresentar o carro no evento. Depois fica caçando as fotos para ver quantos sites deram as fotos do carro e, na semana seguinte, vende o carro, sem ao menos ter enchido uma vez a pressão do turbo, ou ter dado tempo de fazer um shakedown decente no carro. As vezes, nem gosta de dirigir, faz um carro para os outros, com base no gosto dos outros, para agradar os outros. São carros que, as vezes que nem andam direito, inacabados, mas visualmente bonitos. Ou que trazem uma preparação grande, vistosa, mas que não será explorada nem em 5% pelo dono… – Rodrigo Leite

Sabemos que muita gente aqui concorda e, de fato, faz sentido. Mas eu pessoalmente prefiro acreditar que todo mundo pode aprender e evoluir, torcendo para que isto aconteça logo.

 

f66547a5fae318b75fa842f102d117f9

Odeio estofamento de couro. – Delfim

Depois de tantas reclamações profundas e inflamadas, observações sarcásticas e “verdades verdadeiras”, uma opinião controversa bastante singela. O Delfim odeia estofamento de couro. Ele não disse o motivo, mas pode ser porque bancos de couro precisam de hidratação para se manter preservados, porque matam animais (no caso dos couros naturais), porque ficam grudentos e incômodos no calor… ou ele pode simplesmente não curtir muito o visual. Acho que eu também prefiro bancos de tecido, Delfim. Tamo junto!