A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Aston Martin mantém o câmbio manual vivo, Siena GNV lançado por R$ 55.700, Jetta GLI perto de ser lançado e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Aston Martin Vantage AMR traz de volta o câmbio manual para a marca

A Aston Martin lançou nessa quarta (1º) o novo Vantage AMR equipado com câmbio manual, o primeiro carro da nova fase da marca com esse tipo de transmissão e também o primeiro carro com o V8 AMG a ter três pedais. A caixa é a mesma Graziano de sete velocidades “dogleg” que foi utilizada no V12 Vantage S em 2016, que manda a força para as rodas traseira através de um diferencial de deslizamento limitado mecânico.

O V8 4.0 AMG tem os mesmos 510 cv dos outros Vantage, o grande diferencial no AMR é o envolvimento com o motorista: o modelo é 95 kg mais leve, vem com discos de freios de carbon-cerâmica e com uma versão atualizada da suspensão adaptável Skyhook da Aston Martin. Nos números o Vantage AMR tem uma certa desvantagem em relação ao Vantage tradicional, ele faz de zero a 100 km/h em 4 segundos, 0,5 segundos mais lento que o automático, a velocidade máxima de 314 km/h não mudou.

O Vantage AMR terá apenas 200 unidades, 141 desses carros poderão ser personalizados ao gosto do cliente com quatro opções de cores. As outras 59 unidades fazem parte da edição Vantage 59, que comemora a vitória do Aston Martin DBR1 em LeMans em 1959. Os carros comemorativos virão todos com pintura Stirling Green com detalhes em verde cítrico, com interior de couro preto com detalhes em Alcantara e listras no mesmo verde cítrico do exterior.

Andy Palmer, CEO da Aston Martin Lagonda, disse que desde que entrou na empresa os consumidores pediam pelo câmbio manual, ele prometeu sempre oferecer um câmbio manual na linha. A Aston Martin busca com o Vantage AMR se diferenciar dos concorrentes, a partir de 2020 a caixa de sete marchas se tornará uma opção para todos os Vantage. (ER)

 

Fórmula 1 pode voltar a Zandvoort em 2020

O sucesso de Max Verstappen nos últimos anos fez crescer o interesse da Fórmula 1 em retornar à Holanda. O último GP nos Países Baixos aconteceu em 1985, no circuito de Zandvoort, que é o mais cotado para receber a categoria a partir de 2020.

Segundo a imprensa europeia, a F1 e a administração de Zandvoort já chegaram a um acordo e estão definindo os últimos detalhes antes de assinar o contrato. O GP da Holanda poderá substituir o GP da Europa em Barcelona, que está em seu último ano de contrato. Como o evento perdeu o apoio do governo espanhol, diante das dificuldades financeiras os organizadores podem não renovar com a Fórmula 1. (LC)

 

Jetta GLI está perto de ser lançado

Quem nos acompanha diariamente já sabia: em março publicamos aqui mesmo no Zero a 300 que após o lançamento do T-Cross, a Volkswagen iria se concentrar no lançamento do Jetta “GLI”, a versão equipada com o motor 2.0 TSI do sedã, com uma pegada mais esportiva, inspirada no Golf GTI.

Agora, com o lançamento do T-Cross concluído, a marca está preparando o lançamento do GLI, algo que é evidenciado pelo flagra do camarada Rodrigo Mora do UOL Carros (veja as fotos no link), em São Bernardo do Campo/SP. A notícia publicada no portal reforça a informação que obtivemos em março, dizendo que ele será lançado ainda neste semestre, o que significa que ele chegará em, no máximo dois meses, sendo o próximo lançamento da marca.

O Jetta GLI é equipado com o motor 2.0 TSI de 230 cv do Golf GTI, e deverá ter o mesmo câmbio DSG de seis marchas com embreagem úmida do hatchback. Por ser um sedã, com menos apelo esportivo que o Golf GTI, ele deverá custar menos que o hatch. Atualmente o Golf GTI parte de R$ 151.530. Considerando isso, o Jetta GLI deverá ser posicionado entre o Jetta R-Line, de R$ 120.000 e o GTI, o que sugere um preço de R$ 140.000. (LC)

 

Porsche relança manuais do proprietário de todos os seus modelos

A Porsche é conhecida pela atenção que dá a seu passado com sua divisão de clássicos – que, além de restaurar carros antigos, mantém a produção de diversos componentes para os mesmos. A mais recente adição ao catálogo, porém, não é exatamente uma peça: a Porsche anunciou nesta semana que voltou a imprimir os manuais do proprietário de todos os seus modelos – e eles já estão à venda.

De acordo com a fabricante, a Porsche Classic começou a digitalizar os manuais originais de seu acervo há alguns anos – e agora, o fruto desse trabalho está à venda. São cerca de 700 manuais, começando pelo Porsche 356 de 1948, reproduzidos integralmente, incluindo informações, tipografia, diagramação, e até mesmo o tipo de papel usado na capa e no miolo.

Além dos manuais, a Porsche também incluiu livretos de garantia e de manutenção, e também manuais com detalhes técnicos a respeito de diferentes gerações. Embora estejam disponíveis para compra na loja online internacional da Porsche, os manuais são entregues em outros países – incluindo o Brasil. Os preços variam entre US$ 70 e US$ 150 – algo entre R$ 275 e R$ 590, em conversão direta. (DH)

 

Fiat Grand Siena com predisposição para kit GNV é lançado por R$ 55.680

Lembra do Fiat Siena Tetrafuel? O sedã compacto da Fiat foi vendido entre 2006 e 2017 e podia rodar com gasolina, etanol, gasolina pura (como é vendida nos países do Mercosul) e Gás Natural Veicular, o GNV. Pois nesta semana, após um hiato de certa de um ano, a Fiat anunciou que o Siena Tetrafuel está de volta – ou quase.

Desta vez, é o Grand Siena que recebe preparação para rodar com GNV – agora, porém, sem o sobrenome. A Fiat oferece a predisposição para a conversão como opcional para o Grand Siena Attractive 1.4 por R$ 690 – o que leva o preço do sedã para R$ 55.680. O kit, porém, não é incluso no pacote – o cliente precisa instalá-lo por conta, mandando o carro para uma oficina credenciada e aprovada pelo Inmetro, sob pena de perda da garantia caso não o faça.

O Grand Siena Attractive usa o motor 1.4 Fire Evo, de 88 cv e 12,5 kgfm. Para rodar com GNV, o quatro-cilindros passa por algumas modificações: o cabeçote tem sedes de válvulas mais resistentes e o coletor de admissão é específico, adequado para os injetores de gás natural. A Fiat diz que as modificações tornam o motor capaz de receber kits GNV de quinta geração. A garantia é de três anos para motor e câmbio, e um ano para o veículo. (DH)

 

Ferrari LaFerrari verde do Jay Kay está a venda

Jay Kay, vocalista do Jamiroquai e renomado gearhead, está vendendo a sua exclusiva LaFerrari verde. O supercarro gerou polêmica quando apareceu em Goodwood em 2014 por causa da pintura Signal Green, muito diferente das tradicionais pinturas vermelha, amarela e preto que foram usadas em grande parte da produção da LaFerrari.

O cantor disse que não é sempre que ele compra um carro e quando faz isso ele gosta de fazer disso um evento, por isso a cor verde foi escolhida. A Ferrari tem apenas 3.057 km no hodômetro, o que pode ser justificado pelo músico não ter tempo para dirigir o carro por causa da agenda de shows, Jay Kay declarou à BBC que faz menos de 5.000 km por ano. O carro está à venda na casa de leilões Joe Macari e não teve preço divulgado. (ER)

 

Bugatti Chiron tem menos de 100 exemplares disponíveis

Quando a Bugatti anunciou o Chiron há três anos, ela deixou claro que seriam feitas apenas 500 unidades do hipercarro — incluindo a versão Sport. Apesar de parecer um número baixo, quando se fala de um carro de US$ 2,9 milhões (ou US$ 3,26 milhões no caso do Sport), esse volume ganha uma nova perspectiva. Afinal, estamos falando de 500 pessoas dispostas a pagar até R$ 13 milhões por um carro.

Mesmo assim, ele já encontrou mais de 400 compradores, de modo que restam menos de 100 exemplares a venda, segundo o diretor de comunicação da Bugatti, Tim Bravo. E quem conseguir um destes menos de 100 exemplares, terá que esperar até 2022, pelo menos, pois dos mais de 400 Chiron vendidos, somente 180 foram entregues—  46 deles nos EUA. (LC)

Matérias relacionadas

Nissan lança GT-R Track Edition, Ford GT biturbo quebra recorde de velocidade, a nova limo de Vladimir Putin e mais!

Leonardo Contesini

Focus RS estreia nos EUA com mais de 320 cv, Russos querem construir rodovia ligando Europa e America, Contran prorroga prazo para extintores ABC e mais!

Leonardo Contesini

Project One, AMG GT 63 S 4 Portas, o novo Classe A Sedan e os destaques da Mercedes no Salão do Automóvel

Leonardo Contesini