A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #291

Audi RS2 “Senna”: os primeiros upgrades da superperua

Olá Pessoal, vamos continuar a história da RS2! Como havia dito anteriormente logo que adquiri a RS2 percebi que ela necessitaria de algumas melhorias, pois o freio não estava tão bom e a suspensão também merecia atenção pois rangia muito e não sentia o carro estável em altas velocidades, talvez pelo fato dos amortecedores serem ainda os originais.

Comecei a restauração pela parte interna, refazendo os bancos de couro, revestimento do volante e da manopla de cambio, deixando-os no padrão original. Aí vai mais uma curiosidade sobre este carro: logo que o adquiri conversei com muitos entusiastas da RS2 e com alguns donos e pessoas especialistas sobre o carro, e percebi que somente esta unidade possuía o aquecimento de bancos dianteiros.

Nas demais RS2, pelo menos as que vieram ao Brasil, não descobri mais nenhuma que tivesse tal opcional. Esta RS2 tem dois botões no painel que controlam o aquecimento dos bancos dianteiros, fazendo-me achar que esta seria uma RS2 mais completa que as demais, não sabendo informar se este opcional foi pedido, ou se foi uma das primeiras unidades a chegar e que por este motivo veio com ele.

De qualquer forma, após reviver os bancos e laterais de porta, passei a olhar mais atentamente ao exterior onde pude fazer uma cristalização completa se mostrando suficiente para deixá-lo impecável quanto a parte externa. Com esta parte pronta passei a me preocupar com a preparação em si.

Conversando com o Rodolfo Moreira (um dos preparadores do carro) descobri que as RS2 saíram de fabrica com duas opções distintas de freios, discos dianteiros ventilados na medida 304×32 com pinças Brembo de quatro pistões de Porsche 968 Club Sport, e traseiros tambem ventilados na medida 299×30, e para os países que “supostamente” os proprietários iriam “acelerar” mais em estradas, ou países com “Autobahnen” as RS2 foram presenteadas com um sistema de freio dianteiro mais eficiente e condizente com a utilização:discos de 323x32mm na dianteira com pinças Brembo de quatro pistões do Porsche Turbo 993, e na traseira os discos tem as mesmas medidas, porem nesse setup os quatro discos são perfurados.

IMG_0514

Como esta unidade ainda estava com os freios originais (304x32mm) e ainda havia trepidação por desgaste “natural” do conjunto, fizemos um projeto com freios dianteiros de Audi R8/Lamborguini Gallardo que conta com pinças Brembo de oito pistões e discos de 360x36mm e traseiros as mesmas pinças originais, porem agora com discos de 330×30. E pra finalizar ainda toda a troca das mangueiras de freio por aeroquips.

IMG_0515

Optei por este conjunto de pinças para que o aspecto parece original pois elas são muito parecidas com as originais, sendo que fiz a pintura dela com a inscrição “Porsche” mantendo assim a mesma linha das originais.

Adquiri ainda do exterior quatro rodas Porsche modelo CUP 3, aro 18, uma vez que casariam melhor com os freios e a proposta do projeto, lembrando que tivemos que adquirir quatro rodas dianteiras, pois os Porsche que utilizam essas rodas, tem medidas diferentes na dianteira e traseira.

IMG-20160122-WA0032

Para completar o time vieram quatro pneus Hankook RS3 medida 225/45R18, os quais me surpreenderam pois tem um grip muito bom e rodam silenciosamente em altas velocidades.

Adquiri ainda um jogo de suspensão plug and play coilover de uma empresa Americana especilizada em Track Days (www.2bennet.com) que contam com amortecedores Koni reguláveis, sendo que tal suspensão se adequa perfeitamente as furações originais do carro.

Assim o carro ficou um pouco mais baixo, mas ao mesmo tempo mais confortável e na mão, com respostas rápidas a qualquer alteração de trajetória. Melhorando o Handling e tornando a condução adequada á nova configuração.

Com o Projeto de Freio, Suspensão e Pneus prontos, iniciamos a preparação do motor com o desmonte completo do mesmo. O motor foi todo desmontado, limpo, e passado por retífica sendo montado na seguinte configuração, e com as seguintes peças todas elas novas:

  • Pistões IAPEL 82,50mm flat (11:1 taxa)
  • Bielas Scat Forjadas 144mm
  • Virabrequim: Eurospec 92,8mm curso
  • Injetores: 5 Injetores 100 lbs Dalton Delguercio
  • Bomba de óleo: Nova original AUDI
  • Junta de Cabeçote: Original Audi
  • Mangueiras de Água: silicone Hoose Motorsport (UK)
  • Linha de Pressurização: Feita sob medida.
  • Coletor de Escape: Réplica Wagner Tuning Audi Sport Quattro
  • Velas Iridiun grau 9
  • Bobinas: High Ignition 034Motorsport
  • Recuperador de óleo: Massei Performance
  • Radiador: Original novo
  • Intake: Massei Performance
  • Filtro de Ar: Conico duplo fluxo
  • Intercooler: frontal maior capacidade (sob medida)
  • Embreagem: Ceramica Spec 3
  • Turbina: GT3071R Dual Ball Bearing
  • Bomba Combustivel: interna Walbro 450 lts/h
  • Valvula recirculação Alumínio Forge Motorsport
  • Sistema de Escapamento: 3,5 polegadas todo em Inox, com dois abafadores Magnaflow e ponteira dupla Magnaflow.

No inicio optamos por colocar uma turbina GT3071R e injeção eletrônica original com piggyback SMT6, junto com um chip com algumas alterações.

O resultado foi a potência aumentada em aproximadamente 170 cv, mas agora com maior durabilidade do conjunto todo pois as peças adquiridas seriam para um projeto muito mais audacioso que poderia render até 800 cv sem sustos.

Mas essa não era nossa intenção, a intenção era ter um carro com mais torque em baixas rotações e com um pouco mais de cavalaria o que foi obtido.

IMG_0516

O carro assim ficou muito bom de tocada com a turbina já enchendo a partir das 3.000 rpm, e dando potencia extra e torque ao carro. Os pneus e suspensão ficaram excelentes e o carro ficou grudado ao chão, com excelente poder de frenagem. Não cheguei a colocar o carro no dinamômetro, mas acredito que ele tenha ficado com aproximadamente 480 cv. Andei com ele nessa configuração por aproximadamente um ano quando então a embreagem começou a patinar.

IMG_0590

Também nesse período entendemos que essa não seria a melhor escolha de turbina, pois ela acabou ficando muito pequena para o motor 2,5 litros, o que fazia com que o carro enchesse rápido mas às 6.000 RMs ele não tivesse tanto fôlego. Assim logo quando a embreagem começou a patinar readequamos algumas peças para aí sim finalizar o carro, o que contarei no próximo post.

Um forte abraço a todos.

Por Leandro Esteves, Project Cars #291

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #166: a restauração do meu Dodge Magnum ficou pronta!

Leonardo Contesini

Project Cars #130: a despedida do Alfa Romeo 2300 Ti4 V8

Leonardo Contesini

Project Cars #101: conheça o projeto do Fórmula SAE da equipe FSAE Unicamp

Leonardo Contesini