A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

Audi TT Sportback Concept é o TT quatro portas que a gente sempre quis — mas não sabia

Em 2015, o Audi TT vai ganhar sua terceira geração, e o cupê se juntará ao VW Golf MK7 e ao Audi A3 como um dos primeiros modelos a usar a nova plataforma modular MQB do Grupo Volkswagen. E a Audi já parece querer expandir a família —ao menos é o que nos diz o conceito Audi TT Sportback, uma versão de quatro portas do TT. E, sabem o que mais? A gente curtiu!

A Audi é uma das fabricantes que mais nos agraciam com conceitos durante a temporada de salões internacionais, mas poucos acabam se tornando carros de produção. O pior é que eles costumam ser bem legais, como o quattro Concept (com”q” minúsculo, mesmo), apresentado na mesma Paris há exatos quatro anos e que nos foi prometido como carro de produção, mas jamais chegou às ruas.

Só que a maioria dos conceitos da Audi sempre parece muito próxima da produção, e por isso é difícil determinar o destino deles antes que a Audi anuncie seus planos (ou a ausência deles). No caso do TT Sportback esta característica é ainda mais acentuada — as proporções estão mais condizentes com as de um carro de rua, e dá para acreditar quase sem medo de errar em uma versão de produção, ou ao menos deduzir que a probabilidade é maior do que a dos dois conceitos anteriores, o TT Shooting Brake e o TT Off Road.

audi_allroad_shooting_brake_concept_3 audi_tt_offroad_concept_show_car_1

Para quem não lembra: TT Shooting Brake à esquerda, TT Offroad à direita

O que a Audi fez foi, em essência, construir um TT de quatro portas sobre uma plataforma com dimensões aumentadas em quase todos os sentidos: com 4,47 m de comprimento, 1,89 m de largura e 1,38 m de altura, o TT Sportback é 29 cm mais longo e 6 cm mais alto, embora seja 3 cm mais baixo. O entre-eixos também é 12 cm maior que o do TT cupê 2015 — o que significa que os quatro ocupantes do carro terão muito espaço para se acomodar em seus bancos individuais.

Quando a Audi diz “Sportback”, significa que o carro é um hatch de quatro portas um pouco mais longo que o normal (A3 Sportback) ou então um “cupê de quatro portas”, com o perfil fastback, quatro portas como um sedã, e tampa do porta-malas que inclui o vidro traseiro como um hatchback (A5 e A7 Sportback). Sim, é confuso.

ttsportback (3)

A dianteira é praticamente idêntica à do TT Coupe — uma das maiores diferenças é o logotipo da Audi, que fica na grade e não acima dela —, bem como a silhueta. A traseira, porém, lembra mais o Audi A3 sedã com uma dose de experimentalismo. No fim das contas, algo no TT Sportback faz esta abordagem “sedã-cupê-hatchback” dar mais certo — de fato, o imaginamos nos showrooms das concessionárias sem muitas alterações. Mas especulações à parte, vamos aos fatos.

Este é um conceito funcional, com um motor 2.0 TFSI como o do Golf GTI, mas calibrado para render 400 cv e 45,9 mkgf de torque, exatamente como no Golf R400 (outro que ainda temos esperança, mesmo que pequena, de ver nas ruas). Em vez do câmbio DSG de seis marchas do Golf, porém, o Audi TT Sportback traz a transmissão de sete marchas com dupla embreagem S-Tronic. De acordo com a Audi, o conjunto é capaz de levar o carro de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos.

ttsportback (4)

O interior também aparenta estar muito próximo da versão final, visto que é praticamente idêntico ao do Audi TT 2015 — do design do painel ao  Virtual Cockpit, que consiste em uma grande tela multimídia no lugar do cluster tradicional de instrumentos (e que também elimina a tela no console central).

ttsportback (5)

Como já dissemos, a Audi não anunciou planos para a produção em série do TT Shooting Brake — mas não nos surpreenderíamos se ele fosse aprovado. Só não contaríamos com o motor de 400 cv…

ttsportback (7)

Matérias relacionadas

Renault Mégane RS e Seat León Cupra: os hot hatches marcam presença em Frankfurt

Dalmo Hernandes

Singer DLS: revelado o Porsche 911 aircooled de 500 cv feito com a ajuda da Williams F1

Dalmo Hernandes

Brabus 850 6.0 Biturbo: o um sedã monstruoso de 850 cv e 148 mkgf que o mundo precisava

Dalmo Hernandes