A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

BMW terá rodas de fibra de carbono em até dois anos

Você já viu fibra de carbono no interior dos BMW e também em partes da carroceria dos esportivos da marca, mas agora, eles querem ir além: o compósito também será usado para fazer rodas. Isso mesmo: rodas de fibra de carbono. E não pense que isso é apenas uma ideia conceitual — os bávaros pretendem colocá-las no mercado nos próximos 24 meses.

A ideia de fazer rodas de fibra de carbono não é nova. A Rotobox produz modelos para motos, e várias bikes de competição também são equipadas com esse tipo de roda. No ramo automotivo, a Koenigsegg já faz peças inteiras do material desde 2012 para equipar o Agera R (abaixo), mas na BMW a ideia surgiu de uma forma diferente. Depois de desenvolver novas técnicas de industrialização de fibra de carbono para a nova série i de carros elétricos, a marca encarregou engenheiro Franz Stockenmaier de encontrar novos usos para elas.

Entre as novidades estão um cardã feito em peça única para o SUV X5, um volante feito integralmente com o compósito (a maioria usa estrutura metálica revestida com a fibra) e, claro, as rodas de fibra de carbono.

Na verdade, a BMW desenvolveu dois tipos de roda de fibra de carbono. Um deles é totalmente feito com o material e é 35% mais leve que uma equivalente de alumínio forjado. O outro tipo é um híbrido com aro de fibra e miolo de liga metálica leve, que proporciona uma redução de 25% no peso em comparação com um modelo convencional. Além da redução do peso, Storkenmaier também mencionou que as rodas são bem resistentes a quebras e mais fáceis de reparar em caso de riscos.

2013-Koenigsegg-Agera-R-carbon-wheels

Depois de anos reservada a modelos de alto luxo e supercarros, a BMW finalmente conseguiu uma forma de baratear o custo da aplicação do material, usando os restos da fibra de carbono da produção da Série i. Ao misturar o material bruto com certos tipos de plástico industrial, é possível moldá-lo como peças plásticas comuns (algo que a Ford também vinha pesquisando), o que reduz o tempo de moldagem e cura, mas mantém as características desejadas da fibra de carbono, como leveza e resistência.

Tanto as rodas quanto o volante ainda precisam da aprovação da União Europeia, mas assim mesmo planeja lançar as rodas até 2016. A ideia de reduzir o peso das rodas do carro é muito atraente, mas a marca não falou muito sobre a maleabilidade do material — se ele resiste a deformações ou não. O que vocês acham de ter fibra de carbono nas rodas do seu carro em um futuro próximo?

 

Matérias relacionadas

Coisas que os games e simuladores de corrida nos ensinaram errado, parte 1

Juliano Barata

Afinal, por que o Honda Civic Type R tem três saídas de escape?

Dalmo Hernandes

Este motor com cabeçote transparente é a aula de mecânica mais bonita que você vai ter

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados