A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

BMW revela novo Z4, o último Dodge Viper, Shelby GT350R clássico voltará a ser produzido e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

BMW revela a cara do novo Z4

nqdixvuto62up6pqugve

Depois de mostrar um teaser do Z4 Concept, a BMW agora revelou todas as fotos do modelo que antecipa a nova geração de seu roadster, que será apresentado ainda hoje no Pebble Beach Concours d’Elegance, em Monterey, nos EUA.

tlzc178yebge8hdhzonx

A fotos, na verdade, foram divulgadas pelo site Bimmerpost seguindo aquele padrão manjadíssimo de vazar as fotos dias ou horas antes do lançamento de um novo modelo. A BMW (e as demais alemãs, diga-se de passagem), por sua vez, adotou como padrão apresentar “conceitos” que são apenas versões mais complexas de seus futuros modelos. Por isso, para imaginar como será o novo Z4 basta você olhar bem para estas fotos e trocar tudo o que parece difícil de fabricar, cuidar ou usar diariamente por algo mais mundano.

 

O capô longo mantém um elemento estético presente na linhagem de roadsters desde o Z1: o bico curvado para baixo, que ajuda a alongar ainda mais a superfície da dianteira. A grade duplo-rim desta vez é uma das maiores já vistas em um BMW desde a Segunda Guerra Mundial e empata com a do próximo Série 8. Mas olhe bem para ela: a parte superior da grade e do bico do carro é formada pelo próprio capô. Não espere que isso chegue à linha de produção: usar o capô do carro como elemento do para-choques dianteiro não é uma solução adequada em termos de design. No modelo final, o para-choque deverá ser mais envolvente e o capô mais curto, porém ainda mantendo o perfil alongado.

Os faróis, como já havíamos visto ontem, são incisivos, e dão ao BMW Z4 uma cara de mau que nenhum modelo da marca teve até hoje. Se ele chegar assim à linha de produção será uma boa mudança nessa linhagem, uma vez que o Z4 era constantemente relacionado como um carro “feminino” demais em enquetes populares nos EUA e Europa. Um roadster precisa ter sua dose de agressividade. Ou ser o carro mais feliz do mundo como o Austin Healey Sprite “Frogeye” dos anos 1950.

ahd03mlrq37zz92gimeg

Visto de lado o Z4 começa a mostrar seus melhores ângulos: uma linha de cintura ascendente  que começa no topo da grade e se estende até a base dos santantônios alongados sobre o deck traseiro — outro elemento de estilo matador. O protótipo flagrado em testes sempre escondeu muito bem essa parte do carro, por isso não sabemos se a versão final terá esses santantônios. Deveria, porque dá um visual mais agressivo, algo como os speedsters clássicos.

Lá atrás as formas exageradas típicas de conceitos continuam: as lanternas deverão manter o formato do conceito, mudando apenas os elementos internos da peça, porém o para-choques foi exagerado para realçar os dutos que escoam o ar das caixas de roda traseiras, indicando que a BMW deu uma boa atenção à aerodinâmica do roadster.

Ainda não há data de lançamento do carro, nem detalhes oficiais sobre sua motorização, mas um documento vazado na semana passada já adiantou que o Z4 terá versões com os motores 2.0 turbo e 3.0 turbo usados nos demais modelos da BMW atualmente, e também irá oferecer um câmbio manual de seis marchas como opção ao automático de oito marchas.

 

O último Dodge Viper da história

screen-shot-2017-08-17-at-4-55-12-pm-1502981863

A produção da fábrica da Fiat Chrysler na Conner Avenue, onde o Dodge Viper era fabricado, foi interrompida nesta última quarta-feira (16), o que significa que o supercarro com motor V10 dos americanos chegou ao fim.

screen-shot-2017-08-17-at-4-55-01-pm-1502982171

Para marcar o momento Ralph Gilles, o designer-chefe da Fiat Chrysler, fotografou o último exemplar do Viper e compartilhou com o mundo em seu perfil no Instagram. O modelo é vermelho como o primeiro de todos os Viper, e tem rodas cromadas como os modelos da segunda geração. Agora, o modelo será enviado ao acervo histórico da Dodge, como mais um capítulo de sua história centenária.

So long… #Viper

Uma publicação compartilhada por @ralphgilles em

Já o último carro vendido a um cliente é um Viper ACR amarelo com faixas pretas, que também foi exibido no Instagram por Gilles.

 

Volkswagen terá SUV baseado no up!, o T-Track

VW-Taigun-Production-2

Há exatos cinco anos a Volkswagen trouxe ao Salão de São Paulo um conceito de SUV compacto batizado Taigun. Ele era baseado na plataforma do up!, e prometia ser a resposta da Volkswagen ao EcoSport — na época o Renault Duster estava acabando de chegar ao mercado.

Na época a Volkswagen acabou cancelando os planos de produzi-lo porque ele seria caro demais de se fabricar, uma vez que não compartilhava componentes com os demais carros da marca. Mas agora, com a SUVização do mundo, a Volkswagen finalmente decidiu colocá-lo em produção — ao menos é o que diz a revista alemã Autobild.

VW-Taigun-Production-4

Segundo a publicação, a produção do Taigun, que será rebatizado como T-Track, irá ajudar nos custos de produção do T-Cross e do T-Roc, baseados no Polo e no Golf, respectivamente. Além disso, a marca está de olho no segmento dos SUVs compactos no Brasil, que vem se mostrando bastante prolífico nos últimos anos.

VW-Taigun-Production-3

Apesar de ser considerado uma resposta ao EcoSport e ao Duster, tudo indica que o T-Track será um pouco menor que os SUVs compactos oferecidos atualmente. A Autobild fala em 3,86 metros de comprimento e peso na casa dos 1.000 kg. Aparentemente, a Volskwagen pretende oferecer algo posicionado mais próximo do Honda WR-Fit WR-V, que é somente 14 cm mais longo que o futuro crossover da VW. E como as versões de topo do up!, o T-Track irá usar o motor 1.0 TSI, porém com uma configuração de 115 cv.

O modelo ainda não tem data para ser lançado, mas considerando que ele é o terceiro da fila dos novos SUVs da Volkswagen, depois do T-Roc e do T-Cross, ele provavelmente só irá chegar às ruas em 2019 ou 2020.

 

 

Antigos funcionários da Shelby vão fazer novos exemplares do GT350R original

OVC-Mustang-Team

O Shelby GT350R vai voltar a ser produzido depois de 50 anos desde o fim de sua produção. Sim, o Shelby original, de 1965, com o visual clássico do Mustang. Ele voltará a ser produzido, e quem irá construí-lo serão os mesmos caras que o faziam isso nos anos 1960.

Unidos sob o nome “The Original Venice Crew”, em alusão ao local onde a Shelby abriu sua primeira oficina, a praia de Venice, o trio formado por Pete Brock, Jim Marietta e Ted Sutton irá produzir 36 exemplares de “continuação” do GT350R. Isso significa que eles fizeram uma parceria com a Shelby para utilizar 36 números de chassi sequenciais, iniciados após o número do último GT350R produzido nos anos 1960.

shelby-gt350r-comeback-ovc-3

Diferentemente da maioria das recriações e continuações, contudo, estes 36 novos carros deverão ser ainda melhores que os antigos, não por conta de técnicas de produção, que serão exatamente iguais às da época, mas porque eles receberão uma série de melhorias desenvolvidas por Pete Brock em 1965, além da suspensão independente desenvolvida pela Ford em 1964.

shelby-gt350r-comeback-ovc-10

Os upgrades previstos por Brock eram um novo painel na dianteira do carro e novas janelas traseiras de plexiglass. Segundo Brock, as novas janelas melhoram a aerodinâmica no interior do carro, enquanto a dianteira otimiza o fluxo aerodinâmico no cofre do motor. Some isso à suspensão traseira independente e você tem o Mustang esportivo ideal que a Ford nunca lançou.

Os carros serão baseados em modelos 1965 com motor V8 289 fornecido pela Shelby e serão combinados ao câmbio manual de quatro marchas da época. Todos eles serão pintados de branco Wimbledon, como os originais da época. O preço será tão matador quanto os carros: US$ 250.000 — 25% mais que uma Ferrari California T nos EUA.

 

Toyota irá produzir nova geração do Yaris no Brasil Toyota-Yaris-Ativ-3

A Toyota lançou nesta semana na Tailândia o novo Yaris Ativ, sedá médio-compacto que será produzido no Brasil a partir do fim deste ano, substituindo o antiquado Etios. A apuração é, mais uma vez, do camarada Marlos Ney Vidal, do Autos Segredos.

Toyota-Yaris-Ativ-2

Segundo o site, o modelo está sendo desenvolvido nas versões sedã e hatch, e irá brigar com o Honda City, Chevrolet Cobalt e os futuros sedãs do Polo e do Argo. Para isso, ele terá um visual bem mais moderno que o desajeitado Etios e muito próximo do Corolla — especialmente na cabine, que adota o volante do irmão maior e um quadro de instrumentos no lugar certo.

Toyota-Yaris-Ativ-1

O motor será o 1.8 oferecido no Corolla, com 144 cv e 18,6 mkgf na versão de topo, embora exista a possibilidade de oferecer o 1.5 do Etios nas versões mais básicas. O câmbio será manual de cinco marchas ou automático CVT.

Matérias relacionadas

Conheça cada detalhe do motor flat-12 do Porsche 917 em um time-lapse hipnótico

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes

Charger brasileiro com V10 de Viper? Opala V8? Confira nosso 2º vídeo de Águas de Lindóia!

Juliano Barata

O que acontece quando pilotos de outras categorias pilotam um carro de F1?

Leonardo Contesini