BMW V12 LMR: o protótipo com motor do McLaren F1 que venceu as 24 Horas de Le Mans de 1999

Dalmo Hernandes 4 junho, 2015 39
BMW V12 LMR: o protótipo com motor do McLaren F1 que venceu as 24 Horas de Le Mans de 1999

Entre 1970 e 1998 a Porsche dominou as 24 Horas de Le Mans e tornou-se a fabricante que mais venceu edições da corrida – 16, ao todo. Entre 2000 e 2014, a Audi venceu nada menos que 13 vezes. “E em 1999, FlatOut, quem venceu?”, você nos pergunta. A resposta: o BMW V12 LMR, protótipo com o motor do McLaren F1 e todo o resto projetado com tecnologia da Williams F1. Precisamos dizer que este carro era um monstro?

Tudo começou ainda em 1995, quando o McLaren F1 estreou na BPR Global GT Series (que, em 1996, se tornaria o campeonato FIA GT). Depois de ficar com os títulos de 1995 e 1996 no campeonato e ainda vencer as 24 Horas de Le Mans de 1995, o F1 acabou obsoleto – ele era um carro de rua transformado em carro de corrida em meio a rivais que eram exatamente o oposto, como o Porsche 911 GT1. Assim, no fim de 1997, a McLaren decidiu retirar o F1 das competições de turismo.

v12-lmr (3)

Como você talvez já saiba, o McLaren F1 era movido por um motor BMW – um V12 aspirado de 6,1 litros e 635 cv que, na versão de corrida, tinha a potência restrita a 600 cv por causa das regras. O chamado S70 era um motor incrível, todo de alumínio, com comando duplo nos cabeçotes e capacidade para girar a até 7.500 rpm, e a BMW não perderia a chance de continuar competindo com ele, mesmo que para isso tivesse que montar uma equipe de fábrica.

Ainda mais um que roncava desse jeito

Acontece que havia um “problema”: a BMW havia acabado de firmar uma parceria com a equipe Williams de Fórmula 1 em 1997, e estava encarregada de desenvolver um motor para os monopostos,  e não havia muito tempo disponível para que a fabricante se dedicasse ao desenvolvimento de um protótipo. A solução encontrada foi simples: dar à Williams a responsabilidade de criar o carro. Todo mundo sairia ganhando, literalmente.

O novo carro seria feito sob o regulamento da categoria LMP1, criada em 1994 para protótipos de cockpit aberto com motores aspirados de até seis litros. O projeto do carro ficou a cargo do próprio Patrick Head, co-fundador da Williams e criador de alguns dos melhores carros da equipe.

v12-lm-98

Head instruiu sua equipe a criar um carro que fosse rápido e eficiente, sem invencionices desnecessárias. Em volta do V12 BMW foi construído um monocoque de fibra de carbono e uma carroceria aerodinâmica, com a dianteira baixa e a grade “duplo rim” como único elemento característico dos BMW. A suspensão usava braços triangulares sobrepostos nas quatro rodas, sendo que os amortecedores pushrod traseiros eram longitudinais.

Para adequar-se às regras da categoria, o V12 S70 teve o deslocamento reduzido para 5.990 cm³ e equipado com restritores de potência nos coletores de admissão, de modo que a potência máxima era de 580 cv a 6.500 rpm, e a transmissão era sequencial de seis marchas da XTrac.

O protótipo foi batizado de BMW V12 LM, e dois exemplares foram inscritos nas 24 Horas de Le Mans de 1998. A equipe de fábrica da BMW, a Team BMW Motorsport, era na verdade a alemã Schnitzer Motorsport com outro nome. De qualquer forma, a corrida daquele ano não foi muito boa — o que é um eufemismo, na verdade, pois os dois carros inscritos, de números 1 e 2 (um deles, com Hans-Joachim Stuck e Tom Kristensen revezando ao volante), abandonaram a prova por problemas mecânicos nas primeiras quatro horas.

v12-lmr (1)

Com ou sem problemas mecânicos, não demorou para que a BMW entendesse que jamais venceria aquela corrida com um carro de design tão contido. Por isso, para o ano seguinte a fabricante encomendou à Williams uma carroceria bem mais ousada, com dianteira mais baixa para aumentar o downforce e canalizar o ar para os radiadores montados nas laterais de forma mais eficiente. Antes, eles ficavam embaixo do carro, comprometendo o arrefecimento do motor e ocasionando superaquecimento.

v12-lmr (7)

Na estreia do novo protótipo, agora chamado BMW V12 LMR, a melhora foi notável: os dois carros se classificaram em primeiro e terceiro lugares nas 12 Horas de Sebring, sendo que o V12 LMR de J Lehto, Jorg Muller e Tom Kristensen foi o vencedor com folga.

v12-lmr (2)

O passo seguinte eram as 24 Horas de Le Mans, e a expectativa era alta. Três carros participaram dos treinos de classificação, mas só dois deles participaram da corrida, largando em terceiro e sexto lugares. O terceiro carro foi transformado em um dos Art Cars da BMW, como já contamos aqui.

artcars (6)

Os BMW V12 LMR lideraram por boa parte da corrida — que foi um festival de acidentes, diga-se. Primeiro, uma falha aerodinâmica fez com que o Mercedes-Benz CLR de Mark Webber decolasse por causa de uma bolha de ar que se formou embaixo do carro:

Depois, foi a vez do BMW V12 LMR de Tom Kristensen, JJ Lehto e Jörg Müller, que se acidentou na 304ª volta por causa de um problema no acelerador. Por sorte, o outro carro — com Joachim Winkelhock, Pierluigi Martini e Yannick Dalmas — já havia tomado para si a ponta, vencendo o icônico Toyota GT-One com uma volta de vantagem.

v12-lmr (1)

Também foi naquele ano que outra fabricante alemã começou a mostrar que não estava para brincadeiras: a Audi, cujo protótipo R8R conquistou o terceiro lugar nas 24 Horas de Le Mans de 1999. Foi quase um presságio, porque a partir do ano seguinte a marca das quatro argolas não largou mais o trono de La Sarthe.

 

  • samucaSDMF

    O FlatOut! está virando referência em informações sobre automobilismo com esta série e das lendas do WRC.Sabia da existência deste BMW,mas não com tantos detalhes.

    • Eduardo Mateus Klein

      Verdade, o Dalmo faz um excelente trabalho de pesquisa.

      • BLK_Poomah_GTE78

        Rigorosamente, cirurgicamente no olho da mosca na crina do cavalo em movimento.

        • Gilberto Batista de Sousa

          Mais ah indio velho.

          • BLK_Poomah_GTE78

            É aquela história, precisão total. E tava o gaudério com só uma bala na garrucha. À esquerda uma onça, à direita um touro bravo, os dois arremetendo. Ele plantou afaca no chão, com o gume virado pra ele e atirou nela. Matou os dois… KKKKKKKKKK “E tudo isso, aconteceu na Nova Zelândia” KKKKKKKKKKK

    • Jovinner

      Imagina uma série sobre as lendas da DTM…

      • FocusMan

        Na verdade estou esperando é a série sobre o WTCC. Aqueles caras eram heróis, principalmente nos anos de 1990.

      • BLK_Poomah_GTE78

        HELLYEAH!

      • Osnir

        Eu já gostaria mais de saber sobre a V8 australiana.

  • Filipe Sales Wanderley

    esse Xtrac tá em todas

    • Bruno Hoft

      Xtrac, Sadev e Ricardo acho que são as “melhorzinhas” nesse tipo de transmissão ahuahuahahuahuhuh

  • German power

    Um videozinho pra entrar no clima da matéria:
    https://www.youtube.com/watch?v=St1rSxhsm6o

    • Leonardomax01

      Na minha humilde opinião este era o melhor jogo de corrida do finado dreamcast,em segundo lugar,metropolis street race…

      • Pedro Henrique

        Não poderia concordar mais! Ainda ligo o meu pra jogar exatamente esses dois de vez em quando!

        • Leonardomax01

          Cara,eu nunca tive um dreamcast,sempre era convidado para jogar na casa dos meus amigos,eu sempre fui fascinado por hardware da Sega,eu lembro dos Vmus,que eram plugados nos controles,em determinados jogos,era possível jogar no vmu.
          Um.dos primeiros vídeo games que eu vi acessando a Internet,um.jogo que eu curtia muito também era o crazy táxi.
          Eu gostaria de adquirir um futuramente pois foi um ótimo console,o último da divisão da Sega hardware.

      • Michell Aristobolo de Mello

        Gostava mais do MSR, mas esse realmente era incrível. O mais próximo do foto-realismo que havia na época.

  • Se o Mclaren F1 usava motor BMW, por que a BMW não iria usar esse motor para correr? méritos da BMW. e enfim achei bacana os detalhes dele.

    • Doge

      Talvez por que o motor tenha sido uma questão contratual que aquele motor tenha sido feito especialmente para a BMW

      • Vai saber, mas de fato achei bacana.

  • BJONNES

    equipe do flatout de parabéns como sempre, não vou mentir que conhecia esse carro do gran turismo 4 e sempre me perguntei da historia por trás dele

  • Guilherme

    Li sobre ele na Quatro Rodas, em 1999. Estava lembrando dele enquanto lia sobre o Porsche 911 GT1.

  • Alvaretts

    Ganhou do toyota GT-One…
    Os piloto de preixtetion pira!

  • rbandeira

    Impressionante a quantidade de matérias com excelente qualidade aqui no FlatOut. Essa sequência de posts sobre os carros da Le Mans deixa claro que a equipe tem se dedicado nas pesquisas e se esforçado pra levar o melhor conteúdo possível. Parabéns ao FlatOut

  • FocusMan

    QUE ZORRA DE RONCO É ESSE!!!

    parece um monstro raivoso correndo atrás de pessoas numa casa assombrada!

    Muito louco!!!

  • ThiagoCasao

    Uma humilde contribuição: o Mercedes CLK-GTR que decolou na corrida foi o de Peter Dumbreck.

    Mark Webber decolou com o seu Mercedes nos treinos de sexta e não participou da corrida.

    • Diego Fernandes

      Aerodinâmica é o forte da Mercedes pelo visto…

      • Osnir

        Vai ô….A aerodinâmica deles é espacial.

    • *Mercedes CLR, evolução da CLK-GTR.

  • Ricardo Souza

    Protótipo fantástico, ronco mais ainda. Agora, quanto à CLK decolando…

  • Diego Fernandes

    Esse BMW ainda é um sonho meu não realizado desde GT4. Toda vez que eu juntava um dinheirinho, eu pensava um pouco e acabava comprando outro. Primeiro foi o Pescarolo, depois o Jaguar – o que foi frustante, pois logo depois eu completei 50% do jogo e ganhei o Jag de graça – aí vieram Peugeot 905, CLK GTR… Um dia eu arrumo tempo e compro ele…

  • Permitem-me linkar um post do meu blog…

    Também estou escrevendo sobre algumas lendas (nem tanto, é mais para os carros japoneses) que correram nas 24 Horas de Le Mans. No momento, escrevi sobre o Nissan R391. É provável que o próximo seja ou o Honda NSX ou o Nissan GT-R R33 LM.

    Espero que curtam 😀

    http://supergtbrasil.blogspot.com/2015/06/o-ultimo-nissan-de-le-mans.html

  • Fabiano Oliveira de Azevedo

    Esse carro é muito show! Alguém pode me dizer por que, cargas d’água, esses carros tem o volante do lado direito?

    • raf mandwolf

      Acabei de correr aqui pra pesquisar porque bateu a curiosidade. Segundo Trevis Braun, da AutoWeek, o ideal num carro de corrida é ter o motorista do lado de dentro das curvas.

      “Stefan Pfeiffer, race engineer for the Flying Lizard Motorsports Porsche
      GT team, once calculated the effect of sitting on the inside of corners
      as significant.

      “You can probably gain two or three tenths [of a second per lap],” he
      said. “It’s like a motorcycle; you are always trying to lean to the
      inside. . . . It’s probably more effective on a car that’s not as well
      balanced.”

      La Sarthe, assim como boa parte dos circuitos, corre no sentido horário, então faz sentido. Segundo esse mesmo texto, alguns carros estão usando o volante na esquerda para facilitar pro motorista, em que pese a sutil perda de performance.

      “One reason is the drivers. Teams face a disadvantage when drivers have
      to adapt themselves to an unfamiliar side of the car. Whether it’s a
      British driver adjusting to the left or a French driver adjusting to the
      right, it takes a certain amount of time to gauge the precise edges of
      the car. Allan McNish was the only Brit among nine Audi drivers at Le
      Mans, so Audi’s left-hand drive makes sense if the team wants to cater
      to the majority”

      Por fim, outro motivo que ele aponta é aproximar os carros de Le Mans dos carros de rua, por razões mercadológicas.

      • Geraldo J. Gattolini

        Algumas das curvas mais difíceis do circuito tem tomada para a direita, como a que antecede Hanaudieres, a Mulsanne e a primeira perna da Porsche. Sair dali mais equilibrado faz muita diferença. Os carros de hoje tem tanto downforce que prescinde disso

  • Eh_nois

    Parabéns pela serie sobre LeMans.
    Vocês podiam conversar com uma editora e encadernar tudo isso, seria um livro incrível.

    • Romulo Dias

      Seria um livro daqueles para colocar na mesa de centro da sala ou na estante da TV como objeto de decoração e como enciclopédia para mostrar as crianças.

  • Hugo Borges

    Quase OFF: Sobre Mark Webber…

  • Leonardo Mendes

    [OFF]

    Achado meio Perdido… quem vai?
    http://www.webmotors.com.br/c/13882841

  • HighwayStar_84

    CARAMBA!!!! Que urrada insana desse V12!!!

    É o que mais se aproxima do vespeiro do 787B!