A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Bugatti Chiron pode passar dos 500 km/h, a nova placa Mercosul, os próximos Porsche elétricos e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Bugatti diz que Chiron pode chegar aos 515 km/h – só precisa do lugar certo

A esta altura, você já deve saber que, no início do mês passado, a Bugatti levou um Chiron modificado para a pista de testes de Ehra-Lessien. Lá, o hipercarro de 1.500 cv chegou a absurdos 490,484 km/h – e só não é o novo recordista entre os automóveis produzidos em série porque a carroceria foi modificada para reduzir o arrasto.

De qualquer forma, a Bugatti diz que o carro tem potencial para ir ainda mais rápido – e só precisa do lugar certo, nas condições ideais. O engenheiro-chefe do Chiron, Stefan Ellrott, afirma que este local existe: a State Road 160, no estado americano de Nevada. Há um trecho em linha reta que é muito utilizado pela Koenigsegg para testar seus modelos. Além de ter asfalto de boa qualidade, o trecho fica 1.036 metros acima do nível do mar, o que garante uma pressão atmosférica menor e, consequentemente, menos arrasto aerodinâmico – o que ajudaria o carro a vencer com mais facilidade a resistência do ar. Em comparação, Ehra-Lessien fica a apenas 50 m acima do nível do mar.

Pela previsão de Ellrott, estes fatores seriam suficientes para garantir uma velocidade final cerca de 25 km/h mais alta – ou seja, o Chiron de cauda longa poderia alcançar os 515 km/h. No entanto, a fabricante francesa afirma que não há planos de fazê-lo: eles já conseguiram provar do que o Chiron é capaz, e acreditam que a rodovia não é um local seguro o bastante para um teste desta natureza. (DH)

 

Denatran divulga nova placa Mercosul simplificada

No último dia 26 de agosto os estados que já adotaram o novo padrão de placas do Mercosul passaram a usar a versão mais recente e simplificada do modelo. Com as modificações mais recentes, a placa perdeu as ondas senoidais e a película refletiva com as palavras Brasil e Mercosul em efeito difrativo que era aplicada sobre os caracteres e a borda externa.

Segundo o Denatran, as medidas foram tomadas para reduzir o custo de produção das placas. Durante a audiência pública sobre as placas, realizada em dezembro de 2018 no Congresso Nacional, os fabricantes e estampadores mencionaram preocupação com a película, visto que ela era importada de somente um fabricante europeu, e seu preço já havia sido afetado pela desvalorização do real. Sem o componente importado, a placa, em tese, fica menos sujeita à variação cambial.

Os itens removidos, contudo, eram itens de segurança anti-clonagem. Sem eles, a placa passa a ter apenas o código QR como identificador da autenticidade da placa, algo semelhante aos atuais códigos de barras utilizados nas placas cinza. Desde que foi criada, a placa do Mercosul perdeu o lacre de segurança, considerado um gasto desnecessário, e o chip de rastreamento por sua inconstitucionalidade. (LC)

 

718 Boxster e Cayman podem ser os próximos Porsche elétricos

Depois do Porsche Taycan, era de se esperar que surgissem novidades a respeito de futuras incursões da fabricante nos carros elétricos. E não demorou: falando à revista alemã Christophorus, distribuída a clientes e funcionários da Porsche, o CEO Oliver Blume disse que o público já abraçou a eletrificação, e que é questão de tempo até que “um a cada dois Porsche” tenha uma variante elétrica ou híbrida. Ele prosseguiu afirmando que, a seu ver, os elétricos vão “explodir em popularidade” depois de 2020, que a longo prazo vão gradualmente substituir os carros a combustão interna.

De acordo com a revista Autocar, o vice-presidente Lutz Meschke disse que a dupla 718 Boxster/Cayman pode ser um excelente ponto de partida – e que uma decisão a respeito do assunto será tomada nos próximos 12 meses.

Estas novas informações coincidem com boatos recentes de que a próxima geração do 718 terá uma versão totalmente elétrica. A própria Porsche já brincou com a ideia em 2011, quando construiu três protótipos do chamado Boxster E, um roadster elétrico experimental. (DH)

 

Fórmula 1 renova GP da Itália em Monza até 2024

A Fórmula 1 e o Automobile Club d’Italia (ACI) aproveitaram a chegada da categoria ao país neste fim de semana para anunciar a renovação do contrato para manter o Grande Prêmio da Itália em Monza até 2024. O anúncio foi feito nesta última quarta-feira (5) em Milão.

O Autodromo Nazionale di Monza é a sede do GP da Itália desde 1922, embora tenha alternado a realização com outros cinco circuitos nestes quase 97 anos. Desde a criação da Fórmula 1 em 1950, Monza recebeu o GP 69 vezes contando com esta edição de 2019. A única exceção foi o GP da Itália de 1980, realizado em Ímola.

Monza também é o circuito mais rápido da F1 atualmente, com as maiores velocidades médias de prova e de volta, com 247,585 km/h cravados por Michael Schumacher em 2003 e 263,587 km/h conseguidos por Kimi Raikkonen em sua volta mais rápida no GP de 2018. (LC)

 

BMW M2 pode ganhar versão híbrida

Falando em eletricidade: pode ser questão de tempo até que o divertidíssimo BMW M2 ganhe uma versão híbrida. A informação vem do BMW Blog, que cita fontes próximas à fabricante. Segundo o site, a divisão M está desenvolvendo um M2 híbrido com sistema elétrico de 48V.

Embora não existam informações oficiais, especula-se que o M2 híbrido vá usar turbocompressores elétricos. A publicação acredita que o cupê será capaz de rodar apenas com eletricidade por períodos curtos, mas a principal função do sistema híbrido é reduzir emissões e garantir uma dose extra de potência e desempenho.

O trabalho de desenvolvimento ainda está no início, e não devemos esperar um M2 híbrido antes de 2022. Depois disto, a BMW deve começar a preparar o terreno para a chegada da nova geração do Série 2. (DH)

 

VW Golf Mk8 ganha data de lançamento e versão GTE é flagrada

Já sabíamos que a Volkswagen iria apresentar o novo Golf Mk8 longe do Salão de Frankfurt – os alemães não querem desviar o foco do hatch elétrico ID.3 no evento. Agora, porém, temos uma data: de acordo com a revista alemã Auto Bild: 24 de outubro. Com isto, de acordo com a Volks, o Golf Mk8 terá “a exclusividade que merece”. As vendas começam no início de 2020.

Ainda não se sabe exatamente quais versões serão mostradas no evento, mas já é certa a permanência do GTI e do Golf R. A novidade agora são fotos do híbrido Golf GTE, rodando camuflado pelas estradas da Alemanha. À primeira vista é difícil notar as diferenças, mas repare no desenho as rodas e, mais importante, no para-lama dianteiro do lado do motorista – ele traz a porta para uma tomada de recarga.

Obviamente, a VW não revelou nenhuma informação sobre o powertrain, mas certamente haverá um aumento no desempenho e uma melhoria na eficiência energética. O Golf GTE deverá usar um sistema elétrico de 48V, assim como as demais versões híbridas. Para te situar, atualmente o Golf GTE usa um motor 1.4 turbo TSI, mais um motor elétrico, e juntos eles entregam 204 cv. É o bastante para levá-lo de zero a 100 km/h em 7,2 segundos, com máxima de 222 km/h.

Vale lembrar que, no Brasil, ainda esperamos o lançamento do Golf GTE Mk7, que foi mostrado no Salão do Automóvel em 2018. A VW não confirma, mas circulam boatos de que a estreia acontecerá em outubro. (DH)

 

Trailer do novo “Bad Boys”

Nos anos 1990, antes de “Velozes e Furiosos” e “60 Segundos”, houve um outro filme de ação que uniu policiais e perseguições explosivas em carros bem selecionados: a comédia policial “Bad Boys”. Nele, Will Smith e Martin Lawrence eram dois detetives que precisavam desmontar um esquema de tráfico internacional de heroína e, em vez dos conservadores Crown Victoria e Impala da polícia, eles se deslocavam por Los Angeles a bordo de um Porsche 964 Turbo preto que atraiu boa parte dos entusiastas da época — como se não bastasse, durante o filme eles perseguem um Camaro RS 1968 e um Shelby Cobra 427 (evidentemente uma réplica).

Em 2003, oito anos depois do primeiro filme, veio a sequência Bad Boys II, aproveitando a onda de “Velozes e Furiosos” e “60 segundos”, novamente com perseguições surreais, porém desta vez com uma Ferrari 550 que acaba substituída por uma 575 no fim do filme. Além delas, os muscle cars das perseguições também foram melhor selecionados, com um Chevy Nova, um Chevelle SS, mais um Camaro dos anos 1960 e até um Dodge Super Bee 1970.

Agora, depois de 25 anos desde o primeiro filme, eles estão de volta para um revival novamente a bordo de um Porsche 911, um 992 Carrera S. Infelizmente ainda não há muitos detalhes sobre os carros do filme e o trailer parece um pouco clichê, mas considerando o histórico, esperamos que a seleção de carros seja boa como nos anteriores. Além disso, se o filme se concentrar mais em perseguições e menos em explosões, ele já será melhor que alguns mais recentes da franquia “Velozes e Furiosos”, não?

Matérias relacionadas

Este cara usou sua Toyota Tundra para socorrer vítimas dos incêndios da Califórnia – e agora ganhou uma picape nova

Dalmo Hernandes

Nissan GT-R faz o drift mais veloz da história, o novo Camaro Z/28 (que pode ser V6 turbo), Jeep Hellcat chega em julho e mais!

Leonardo Contesini

Kawasaki Z1300: a moto com seis cilindros e 130 cv que assombrou o mundo nos anos 80

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados