A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História

Camaro Yenko: o carro que ensinou a Chevrolet que um motor maior é sempre melhor

O mundo dos muscle cars tem alguns nomes consagrados por ajudar a criar modelos icônicos ou, de alguma forma, terem seu nome associado a eles. Carroll Shelby criou o Cobra, e depois preparou Mustangs que fazem fama há cinco décadas. John DeLorean, antes de criar o esportivo homônimo que fez fama como máquina do tempo, simplesmente inventou o muscle car com o Pontiac GTO. Junto deles, está Don Yenko. Ele não é tão conhecido, mas nem por isso deixa de ser uma lenda: ele criou um dos muscles mais incríveis da história: o Camaro Yenko/SC.

Direto ao ponto

yenko

Em 1957, Donald Frank Yenko abriu uma oficina preparadora especializada em Chevrolet, aproveitando o espaço da concessionária aberta por seu pai dez anos antes em Canonsburg, Pensilvânia. Naquele mesmo ano, ele estreou em corridas de turismo pelos EUA, e a oficina era seu trabalho secundário. Foi assim até 1965 — ano em que Yenko começou a preparar o Chevrolet Corvair. Apesar da má fama do modelo graças ao livro Unsafe at Any Speed, de Ralph Nader, que fazia duras críticas à sua suspensão traseira, Yenko gostou de como o Corvair, com seu boxer de seis cilindros refrigerado a ar e montado na traseira, se comportava. Ele não do tipo que enrolava — se tinha uma ideia e gostava dela, ele fazia.

yenkocamaro (14)

Ele produziu 185 Corvair preparados entre 1965 e 1969 — com motores de até 240 cv e melhorias na suspensão, transmissão e direção. Os carros eram homologados para competir nas provas organizadas pela SCCA, mas Yenko jamais pilotou um deles — ele dizia que não queria competir com suas próprias criações, e preferia que elas ajudassem outros pilotos a vencer.

yenkocamaro (16)

O Yenko Stinger — como ficaram conhecidos os Corvair preparados pela Yenko — fizeram sucesso entre equipes privadas no circuito de automobilismo americano, e Yenko passou a concentrar seus esforços na preparação, deixando as corridas em segundo plano. Mas há uma razão para você não ter ouvido muito sobre o Stinger: em 1966, a Chevrolet lançou o Camaro como resposta ao Mustang, e Yenko enxergou imediatamente o potencial do novo carro.

Coração de Corvette

Aaron Summerfield ©2010 Courtesy of RM Auctions

Quer resumir o Camaro Yenko em uma frase curta? Repita comigo: um Camaro com motor de Corvette. Pronto. Mas você, logicamente, sabe que há muito mais para conhecer sobre ele, e não vamos te decepcionar, de forma nenhuma.

Ainda que os motores V8 do Camaro — tanto os small blocks 302 e 327, quanto o big block 396 — tivessem desempenho excelente, eles ainda não eram suficientes para os mais sedentos por desempenho. Yenko era um desses caras — afinal, ele agora vivia de deixar os carros da Chevrolet mais potentes, e viu no novo modelo um enorme potencial.

Intencionalmente, a Chevrolet deixava seus maiores motores, como o V8 427 (7 litros) para o Corvette, seu modelo mais importante desde 1963, quando se tornou o Sting Ray. Obviamente isso não impedia que alguém comprasse um Camaro e colocasse nele o motor do Corvette. E foi exatamente isto o que Don Yenko fez.

yenkocamaro (7)

Yenko encomendou em 1967 alguns Camaro SS para sua concessionária/preparadora. O Camaro SS era o segundo modelo mais potente da linha, e usava o small block 350 (L48) ou o big block 396 (L78). O primeiro entregava 295 cv em sua especificação mais forte, enquanto o segundo entregava até 375 cv.

yenkocamaro (19)

Com o motor 427 (L72) do Corvette, a potência crescia para estrondosos 430 cv. A transmissão era manual de quatro marchas, com relações mais curtas, e o capô era substituído por uma peça de fibra de vidro com entradas de ar funcionais e visual parecido com o do Corvette — o original era de lata e as entradas eram meramente decorativas. Além disso, a suspensão traseira era reforçada e o diferencial recebia relação 4.10. Foram feitos cerca de 50 carros (a maioria das fontes especifica 54 carros, mas não há um número oficial), que rapidamente foram vendidos pela Yenko Chevrolet.

yenkocamaro (4)

A razão da alta procura pode ser o fato de que, naquela época, nenhum carro compacto ou médio da Chevrolet podia sair da fábrica com motor maior do que 400 pol³ (6,6 litros) — era uma norma interna, provavelmente criada pela mesma pessoa que resolveu banir os investimentos da marca em competições. Mas assim como esta regra deu origem ao primeiro muscle car, felizmente a proibição de motores grandes deu visibilidade ao Camaro Yenko, pois ali nascia uma lenda.

Inspirando os grandões

yenkocamaro (2)

Com a alta demanda, no ano seguinte Don continuou com a produção do Yenko Camaro. O carro mantinha a mecânica de Corvette com câmbio mais curto, porém esteticamente as coisas mudavam um pouco: o capô de fibra de vidro era novo, agora com duas entradas de ar, e emblemas exclusivos adornavam a traseira de algumas unidades, bem como as laterais. Estima-se que 68 carros foram produzidos naquele ano.

8283975339_8d0f9d92ae_b

Mas foi em 1969 que veio o melhor Yenko de todos. Naquele ano, a Chevrolet viu que estava perdendo clientes entre os adeptos das corridas de turismo e arrancada por não oferecer um Camaro com “motorzão”. Os competidores preparavam seus próprios carros ou procuravam os serviços de gente como Don Yenko. Sendo assim, em uma medida emergencial, a Chevrolet usou seu sistema de encomendas especiais, o Central Office Production Orders (COPO) — destinado a receber encomendas de frotistas, como empresas de táxi — para disponibilizar aquele que ficaria conhecido como COPO Camaro. Era um pacote que usava exatamente a receita de Yenko, recebendo o motor 427 do Corvette, agora com 456 cv.

yenkocamaro (8)

Você acha que Yenko se abalou com isto, lamentando a concorrência da própria Chevrolet? Não: agora seu trabalho havia ficado mais fácil, e ele encomendou exatamente 201 COPO Camaro para transformá-los no Yenko Camaro — e ainda aproveitou para estender sua atuação ao Chevrolet Nova e ao Chevelle, embora ambos jamais tenham tido o mesmo reconhecimento.

autowp.ru_chevrolet_camaro_yenko_sc_427_1

E ele caprichou pra valer na personalização. Agora, os carros recebiam faixas nas laterais, que traziam na porção traseira os dizeres YENKO/SC (de “Sports Car), um spoiler na traseira que era discreto, porém cheio de personalidade, spoiler do tipo lip na dianteira, capô cowl induction com faixas duplas e emblemas “sYc” nos bancos.

yenkocamaro (12)

Dos 201 carros, 171 vieram com câmbio manual de quatro marchas, e os 30 restantes tinham câmbio automático, de três marchas. Destes 30, só se tem notícia de dois exemplares restantes.

Ah, e se você tem entre 20 e 30 anos, certamente se lembra de um certo Camaro azul — mais precisamente, Le Mans Blue — que Brian O’Conner (Paul Walker) ganha depois de uma disputa com seu Lancer Evolution tunado em “Mais Velozes, Mais Furiosos” (2 Fast 2 Furious, 2003). Sim, aquele é um Yenko/SC 1969 de verdade.

camaroffyenko

Os pouco mais de 300 Yenko Camaro que existem no mundo são verdadeiras lendas entre os fãs do muscle car da Chevrolet, não apenas por sua raridade, mas seu desempenho — que não era medido em 0 a 100 km/h ou velocidade máxima, mas nos 402 metros. Com pneus de rua, o Yenko Camaro era capaz de virar o quarto-de-milha nos 12 segundos baixos a 183 km/h. Não surpreende que a própria Chevrolet tenha copiado a receita.

O legado de Don Yenko

yenkocamaro (9)

O Yenko é tão adorado pelos fãs do Camaro que, em 2008, uma empresa americana chamada  Classic Automotive Restoration Specialists conseguiu autorização para dar continuidade à produção do Camaro Yenko. Em março daquele ano, o primeiro carro, um Camaro 1969 feito usando componentes da época de lançamento, foi registrado como o Camaro Yenko 1969 n° 202.

yenkohemmings (4)

Dada sua raridade, cada vez que um Yenko troca de mãos, toda a mídia especializada fica sabendo.  No último fim de semana, a Mecum Auctions vendeu um Camaro Yenko 1968 por US$ 320 mil (R$ 709 mil) em Indianapolis. Mesmo que o carro tenha uma história obscura (passou por quatro donos e uma restauração, e ainda assim só tem 2.150 km marcados no hodômetro) e não tenha mais o V8 instalado por Don Yenko — o último dono trocou por um V8 427 preparado por ele mesmo durante a restauração — só o fato de ser um Yenko o torna muito mais valioso.

Mas…

zl1

Agora… lembra quando dissemos que a Chevrolet usou seu sistema especial de encomendas para criar o COPO Camaro? Pois bem existe um Camaro ainda mais fodástico do que o Yenko. Ele se chama ZL-1, e era a versão nº 2 do COPO Camaro, de código 9560, mas tinha conjunto mecânico totalmente diferente — motor de carro de corrida com mais de 500 cv. Mas nós não vamos falar dele agora — fica para uma próxima, muito em breve.

Matérias relacionadas

A história de W.O. Bentley, parte 1: o ajudante ferroviário que se tornou fabricante de automóveis

Dalmo Hernandes

Oh Lord! O Porsche 356 psicodélico de Janis Joplin está à venda

Dalmo Hernandes

Old Stock Race: a categoria de Opalas que resgata a origem da Stock Car estreia neste ano!

Juliano Barata