A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #11

Celta Outlaw: os upgrades para a temporada do Project Cars #11

Assim iniciamos 2015 (não errei o ano, não. Esse post é sobre 2015 mesmo). Com transporte próprio, mas sem motor no Celta. Por isso, em março de 2015 começamos os trabalhos. O objetivo sempre é andar! Ganhar! O CeltaOutlaw é construído para correr corridas! Correr corridas parece como “subir para cima”, mas é isso mesmo provas que tenham disputa, não importa muito o que alinha do lado temos que enfrentar e tentar ganhar, chegar na frente antes… isso é uma corrida de arrancada! Isso que nos move!

5

Em 2015 ano não conseguimos ter este prazer. No ano anterior foram várias idas à pista para testes e, no fim, acabamos ganhando a chave Super 16 da Outlaw250. Para 2015 era necessário evoluir.

8

10

 

9

A estrutura do Santo Antônio além da segurança óbvia, permite maior alívio de peso com a remoção de partes da estrutura original do carro, além de também melhorar a suspensão. “A potência mais barata é o alívio de peso”. Essa modificação, planejada para ser executada há mais tempo, acabou se tornando indispensável, afinal, o carro chegou a passar acima de 190 km/h nos 250 metros na Outlaw de 2014.

12

A bomba de óleo externa no apertado cofre do Celta foi um desafio, pois não só o cofre do motor é pequeno, como o motor é consideravelmente maior que o original, fazendo com que a bomba tivesse que ser instalada no lado inverso do que seria o usual. O reservatório do óleo sob medida também teve que ser muito bem pensado, para encaixar no espaço disponível em frente a roda dianteira direita, mas respeitando o espaço atrás do para-choque.

6

Ao final o resultado deve ser evolução na distribuição de peso — o que deve melhorar a tração nas largadas — melhor refrigeração do motor com uma bomba de óleo tripla e maior volume de óleo no tanque auxiliar. Maior rendimento devido ao cárter seco, sistema em que o óleo fica alojado num tanque externo ao motor e, principalmente, mais confiança para buscar os 200 km/h sem medo de uma colisão, para a qual o monobloco do Celta não teria estrutura, pois jamais foi pensado para isso.

A última Outlaw250 foi no dia 15 de novembro. No dia 14 já estávamos no dinamômetro com motor funcionando para últimos testes e acertos para entrar na pista. Claro que em cima da hora sempre surgem imprevistos, mas desta vez não pudemos competir. Foi uma grande frustração para todos envolvidos quando tivemos que jogar a toalha às cinco da manhã do dia 15.

7

Não foi para isso que trabalhamos, mas seguimos confiantes pois o trabalho não foi perdido. O Celta evoluiu e seguirá evoluindo… a garrafa de nitro já está carregada e o metanol estocado! Certamente andaremos em 2016! Voltaremos em breve com mais um post.

Por Gustavo Herdt, Project Cars #11

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #260: a história do meu Audi A3 1.8T

Leonardo Contesini

Project Cars #234: os primeiros reparos e a volta à originalidade do meu Omega GLS

Leonardo Contesini

Mitsubishi Pajero TR4 off-road: a primeira trilha e os primeiros upgrades no Project Cars #351

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados