A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

As chegadas mais disputadas da história do automobilismo

No último domingo (31), perguntamos aos leitores quais foram as chegadas mais disputadas e/ou apertadas da história do automobilismo — aquelas batalhas tête-à-tête mesmo, muitas vezes com uma diferença de frações de segundo entre o primeiro e o segundo colocados, com direito a foto tira-teima. Agora, temos a lista com as melhores respostas — “haja coração!”, já diria o poeta. Você não vai perder, vai?

 

Kevin Harvick e Jeff Gordon, Atlanta, 2001

Chegadas disputadas na Nascar não são novidade, mas uma das mais emocionantes aconteceu em 2001, no oval de Atlanta Motor Speedway, três semanas depois da morte de Dale Earnhardt em um acidente durante a Daytona 500. Foi uma corrida de 325 voltas, e na última delas Jeff Gordon tentou ultrapassar Kevin Harvick (que havia tomado sua posição logo na terceira volta) — sem sucesso. Depois de uma disputa tão intensa que nem os comentaristas sabiam quem estava na frente, Harvick conseguiu sua primeira vitória corrida da Winston Cup — com uma vantagem de apenas 0,006 segundos.

 

Helio Castroneves e Scott Dixon, Chicagoland, 2008

A Indy é famosa por suas chegadas apertadíssimas, e uma das mais impressionantes aconteceu no autódromo de Chicagoland, na penúltima corrida da temporada de 2008 da IndyCar. Nas últimas 40 voltas os dois pilotos disputaram a liderança o tempo todo, mas nas duas voltas finais a diferença foi reduzida a alguns centímetros. No fim das contas, Helio Castroneves venceu por 0,0033 segundo — e com um detalhe: o brasileiro havia largado em último lugar.

 

Jaime Melo e Jörg Bergmeister, Sebring, 2007

Os grandes astros das corridas de longa duração costumam ser os protótipos — e normalmente são eles que entram para a história. Contudo, foi diferente nas 24 Horas de Sebring de 2007: se a vitória na categoria LMP1 ficou, sem surpresas, com Audi, entre os carros de turismo as coisas foram bem mais acaloradas — mais especificamente, na GT2, com a disputa entre o brasileiro Jaime Melo, em sua Ferrari 430 Scuderia, e o alemão Jörg Bergmeister, em um Porsche 911 GT3. Os dois trocaram de posição algumas vezes, com direito a vários toques, antes de Melo garantir a vitória defendida a todo custo.

 

Wagner Ebrahim e Valdeno Brito, Autódromo de Curitiba, 2011

Era a segunda corrida da quinta etapa da temporada 2011 do GT Brasil, e as últimas voltas no Autódromo de Curitiba foram marcadas pela disputa feroz entre o Dodge Viper de Wagner Ebrahim e o Ford GT GT3 de Valdeno Brito. Durante a última curva da  última volta, Brito conseguiu ultrapassar o Viper, mas este recuperou a posição nos últimos metros. Quem disse que só os gringos nos dão chegadas emocionantes?

 

Rubens Barrichello e Michael Schumacher, Grande Prêmio dos EUA, 2002

Já faz 12 anos que esta chegada histórica aconteceu. O GP dos EUA, realizado em Indianapolis, era a penúltima corrida da temporada, e não demorou para que ficasse claro que também seria mais uma dobradinha da Ferrari naquele ano — a oitava de um total de nove. Schumacher já estava com o título garantido, as duas Ferrari dominaram a corrida e, no fim da prova, tudo levava a crer que o alemão seria o primeiro, seguido de perto por Barrichello.

Contudo, na última curva, Rubinho conseguiu ultrapassar e vencer por uma margem minúscula: 0,011 segundo. Há quem diga que esta foi a vingança de Barrichello pela ultrapassagem combinada de Schumacher no GP da Áustria meses antes (Rubens teve que abrir caminho para Michael Schumacher), mas também há quem acredite que foi apenas Schumi retornando o favor. Os pilotos disseram que nem mesmo eles sabiam quem havia chegado antes naquele momento.

 

James Hinchcliffe e Takuma Sato, Circuito do Anhembi, 2013

O caso, que está entre os mais recentes desta lista, aconteceu durante a Indy 300 no circuito de rua do Anhembi, em São Paulo — e com certeza alguns leitores viram de perto o momento em que o canadense James Hinchcliffe ultrapassou na última curva o japonês Takuma Sato, que defendeu a liderança com toda a sua garra — até que Hichcliffe aproveitou uma abertura mais descuidada do japonês no grampo à direita para se espremer rumo à vitória.

 

Emerson Fittipaldi e Al Unser Jr. Indy 500, 1989

Esta não foi uma chegada apertada — na verdade, só um dos pilotos conseguiu concluir a prova. Acontece que este piloto foi Emerson Fittipaldi, depois que o brasileiro e o americano protagonizaram um eletrizante duelo nas últimas voltas da corrida. Faltando quatro voltas para o fim da corrida, Unser ultrapassou Fittipaldi, que o perseguiu até a 199ª volta. Então, os dois pilotos acabaram alcançando os retardatários e tiveram que costurar entre eles. No meio da confusão, os dois carros se tocaram — Unser rodou e bateu no muro, mas Emmo conseguiu manter o controle e ficou com a vitória — a primeira de um estrangeiro na Indy 500 desde 1966, com o britânico Graham Hill.

 

Jörg Bergmeister e Jan Magnussen, Laguna Seca, 2009

Mais uma corrida da American Le Mans Series e mais uma chegada protagonizada por Jörg Bergmeister — desta vez, em Laguna Seca. Contudo, esta foi bem polêmica: Bergmeister, no Porsche 911 GT3RSR, joga o Corvette C6.R de Magnussen contra o muro na reta de chegada — para alguns, aquilo foi uma manobra PIT (usada por policiais para interceptar carros em perseguições) e Jörg não merecia aquela vitória — nem o título da categoria GT2. Magnussen foi hospitalizado, mas se recuperou e disse no ano seguinte que não guardava ressentimento.

 

Valentino Rossi e Sete Gibernau, Circuito de Jerez, 2005

Nem só de quatro rodas vive o FlatOut, e categorias de motociclismo como a MotoGP também rendem momentos impressionantes — como o final da corrida no circuito de Jerez, na Espanha, em 2005. Depois de um duelo corpo a corpo que durou alguns minutos, Valentino Rossi conseguiu ultrapassar Gibernau por dentro na última curva, vencendo a corrida. Gibernau não teve a mesma sorte, e terminou a prova com um passeio na areia.

 

Peter Dempsey, Gabby Chaves, Sage Karam e Carlos Muñoz, Indianápolis, 2013

Mesmo as categorias de entrada da Indy são espetaculares, e a Indy Lights ofereceu ao mundo uma das chegadas mais impressionantes de todos os tempos em maio de 2013, durante a Freedom 100, em Indianápolis. A disputa nas voltas finais da corrida trouxe quatro pilotos — Peter Dempsey, Gabby Chaves, Sage Karam e Carlos Muñoz — disputando a liderança mano a mano, e não se soube quem venceu a corrida até que o tira-teima por foto foi revelado: Peter Dempsey, por 0,0026 segundo. Mas poderia ter sido qualquer um dos quatro.

 

Ryan Hunter-Reay e Helio Castroneves, Indianápolis, 2014

Se Helio Castroneves levou a melhor no duelo com Scott Dixon em Atlanta 2008, a situação não se repetiu no último mês de maio, na Indy 500. Depois de uma disputa que durou quase metade da corrida, uma punição no pit stop e duas relargadas devido a acidentes, a disputa entre o brasileiro e o americano nas cinco voltas finais levou à vitória de Hunter-Reay por apenas 0,06 segundo. Castroneves acabou ficando com o vice-campeonato, atrás do colega de Penske Will Power — e brigou até o fim pelo título. Parabéns, Helio!

 

Denny Hamlin e Martin Truex Jr., Daytona, 2016

Na edição deste ano das 500 Milhas de Daytona, a lendária corrida da Nascar, Denny Hamlin da Joe Gibbs Racing surgiu na última volta com uma ultrapassagem improvável vindo da quarta posição direto para a disputa pela liderança. Na saída da última curva Hamlin conseguiu manter a trajetória mais reta, e acabou chegando 0,011s à frente de Martin Truex Jr. Quem viu ao vivo certamente achou que Truex Jr. faturou, mas a foto da chegada não deixou dúvidas.

Matérias relacionadas

GTE, GTD, R, Alltrack: as versões mais bacanas do Golf Mk7 que não temos no Brasil

Dalmo Hernandes

Estes são os carros que mais envergonharam nossos leitores

Dalmo Hernandes

Os carros widebody mais fodásticos que já existiram – parte 2

Dalmo Hernandes