A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Chevette Ouro Preto: encontramos um raro exemplar da série especial à venda

Como você bem sabe, existem vários carros brasileiros com versões especiais raríssimas. Uma delas é o Chevette Ouro Preto, uma das novidades para a linha 1982 do modelo mais barato da Chevrolet. Como toda boa série limitada mais antiga, é bem difícil encontrar um exemplar à venda — ainda mais um tão bem conservado como este. Que tal?

O ano de 1982 foi muito importante para a Chevrolet no Brasil, pois foi o ano de lançamento de um de seus carros mais bem sucedidos: o Monza, que estreava como um hatch de motor 1.6 e era o carro mais moderno da linha de automóveis, composta pelos veteranos Chevette e Opala. Este último nunca deixou de ser popular pois seu apelo entre os entusiastas sempre foi muito grande, mas o Chevette vinha tendo dificuldades para enfrentar a concorrência.

chevas-ouro-preto (4)

Uma grande reformulação estava nos planos para o pequeno Chevrolet — em 1983, ele ficaria com a cara do Monza (até hoje há quem o chame de “Monzinha”). Até lá, porém, era preciso tornar o carro mais atraente de alguma forma. Sendo assim, algumas melhorias técnicas foram aplicadas, como adoção da ignição eletrônica e a opção pelo motor 1.6 para todas as versões, além de ligeiras alterações estéticas (quase imperceptíveis, como emblemas trocados de lugar, por exemplo).

Outra aposta foi o lançamento de versões especiais, algo que começou já em 1981 com o lançamento da versão esportiva S/R, apenas para o hatchback, dotada do motor 1.6 com carburador de corpo duplo e 76 cv, além de adereços estéticos como a faixa em degradê na lateral e spoiler dianteiro. Acontece que o S/R não vendeu muito (e, por esta razão, também é bem raro hoje em dia) e a Chevrolet ficou com alguns de seus equipamentos em estoque e decidiu aproveitá-los em outra série especial em 1982: o Chevette Ouro Preto.

chevas-ouro-preto (7)

Segundo a Chevrolet, o nome foi escolhido por combinar com os equipamentos “nobres” adotados no carro. Entre eles, bancos com encosto alto, vidros escurecidos, limpador de para-brisa com temporizador, novo volante, o painel de instrumentos do S/R com mostradores no console central, pneus 175/70, spoiler dianteiro e para-choques exclusivos.

Mas sua característica mais marcante eram as cores: dourado com detalhes pretos e rodas de 13 polegadas na cor da carroceria, ou preto com detalhes e rodas dourados. Não conseguimos encontrar os números de produção, mas trata-se de uma série bastante rara e relativamente desconhecida.

chevas-ouro-preto (5)

chevas-ouro-preto (3) chevas-ouro-preto (1)

E foi por isso que este carro à venda nos chamou tanto a atenção: trata-se de um exemplar bem conservado, anunciado no site Bom Negócio. Segundo a descrição, o carro está em um estado geral muito bom, apresentando apenas alguns pontos de corrosão no assoalho (nada incomum em carros desta idade e até mais novos).

De resto, a pintura está em ordem, os pneus são novos, os revestimentos de porta são originais e os bancos foram reformados usando tecido no padrão original. O câmbio é manual de cinco marchas, opcional da época em que a norma eram quatro velocidades.

chevas-ouro-preto (2)edit

E quanto este carro custa? R$ 15 mil — um preço surpreendentemente razoável em uma época na qual vemos carros em condições similares custando mais que o dobro ou até o triplo disto. O que você acha — vale a pena?

[ via Bom Negócio / Sugestão de Matheus Utzig e Mario Cesar Buzian ]

Update: alguns leitores do clube Chevetteiros apontaram que a placa do carro indica um Chevette dourado comum, e não um Ouro Preto — segundo eles, o nome da versão sempre consta no documento, o que não aconteceu com este carro. Na dúvida, caso você tenha se interessado, é melhor esclarecer a dúvida com o anunciante, como sempre recomendamos no disclaimer abaixo dos posts da seção “Achados Meio Perdidos”.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante. 

Matérias relacionadas

Este é um BMW M3 Evo, com motor de 321 cv, original e bem cuidado. Quer comprar?

Dalmo Hernandes

R$ 632 mil: é o preço do Bugatti Veyron mais barato do mundo (e um pouco batido). Você pagaria?

Dalmo Hernandes

Seis-em-linha, câmbio manual e tração traseira: este 528i E39 à venda é um BMW à moda antiga

Dalmo Hernandes