A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #241

Chevrolet D20 Custom S: o início dos reparos e uma roupa nova para o Project Cars #241

Olá de novo, caros amigos do FlatOut! Fiquei muito contente com o resultado do primeiro post, agradeço a todos que leram e comentaram! No post passado parei no dia que peguei a D20 e esse era a primeira impressão.

foto1 foto2

O odômetro marcava 562.000km.

Bom, a sensação de dar a primeira partida e começar a andar é inenarrável!

Ao sair do barracão e andar os primeiros metros, já comecei a reparar nos defeitos que eu teria que sanar, velocímetro não tava marcando nada, estava com o cabo arrebentado, volante bem gasto, banco do motorista rasgado, freio de mão não funcionava, pneus gastos, entre outros detalhes do tipo.

E terra, terra por todo lado, acho que tinha um hectare de terra grudado nela. Mas mecanicamente tava legal, ar condicionado gelando, alarme funcionava perfeitamente, então era mais o visual mesmo.

 

O início do relacionamento

Sabe aquela história que carro velho tem alma? Pois é verdade, e a alma da D20 era meio xucra, levou um tempo até conseguir adestra-la e pegar o jeitão da coisa haha.

Pois bem, logo que fui abrir o teto (que chique né?) ela me aprontou a primeira artimanha, o mecanismo desencaixou e o teto ficou torto e não fechava mais, deu um certo trabalho pra por de volta no lugar…

foto3

Alçapão de teto da D20

Rodei três ou quatro dias com ela e encostei na oficina para consertar o freio de mão, velocímetro e dar uma checada em outras coisas.

 

Novas rodas

Aproveitei e coloquei as rodas de liga leve, essas rodas estavam na Silverado, mas são originalmente das D20, era um opcional na época, mesmo nas Deluxe.

Camera 360

Rodas ainda na Silverado

Como comentei os pneus estavam gastos, e também foram colocados novos pneus, BF Goodrich Mud Terrain na traseira e All Terrain na dianteira, ambos na medida 31×10.5R15, que é a medida original.

Aí ela ficou com essa cara:

foto5

Fora o freio de mão e o velocímetro o resto da mecânica estava ok, só foi feito um balanceamento e alinhamento.

 

Mais problemas de relacionamento

Com o velocímetro funcionando, e consequentemente o odômetro também, pude medir o consumo, me lembro bem que na primeira medição o consumo foi pouco mais de 8km/l, fiquei bem decepcionado, lembro que quando tava com o pai fazia perto de 10km/l.

Na verdade eu que não tinha pego o jeito da coisa ainda, depois o consumo foi melhorando gradativamente até atingir algo próximo de 10km/l. Mas eu prefiro pensar que a D20 que ainda estava meio xucra.

Tempo depois ela me aprontou mais uma, tava na fazenda e sai da caminhonete por um instante, deixei o motor ligado pra cabine continuar gelando, fechei a porta, dei uns passos e ouvi, TLEC! Portas travadas!

Bom, ela me trancou no lado de fora, em um dia de 33 graus, às duas tarde. Pra ajudar, estava no meio do nada, sem nenhuma sombra por perto e meu celular ficou dentro do carro.

Sorte que tinha um trator trabalhando por perto, fui a pé até lá e emprestei um celular, consegui ligar pro meu pai pedindo que me trouxesse a chave reserva, voltei pra caminhonete esperar e ele levou umas duas horas pra chegar.

Nesse tempo eu esperava sentado na caçamba, debaixo de um sol forte, olhava pro interior com ar condicionado ligado e uma garrafa de água gelada entre os bancos, e o motor ligado na marcha lenta com um ronco que parecia uma risada sarcástica tirando um sarro da minha cara.

 

A limpeza revelou algumas coisas

Como falei ela estava bem suja quando eu peguei, e a primeira lavagem mostrou algumas coisas não tão agradáveis.

Pois é, um trato na funilaria e pintura seriam necessários.

 

Funilaria e pintura

Começou a desmontagem e sem grandes surpresas, sem nenhuma surpresa eu diria, essa é a vantagem de um carro que está a muito tempo na família, eu sabia por tudo que ela tinha passado e tudo que tinha sido feito, então foi bem tranquilo.

Decidi manter a mesma cara, pintura branca, para choques pretos, faixas da Deluxe e piscas laranjas. Afinal a minha D20 era essa, queria manter a mesma cara.

Foi feito funilaria, pintura, colocado as faixas e adesivos novos, lentes novas nas lanternas traseiras e películas nos vidros.

Na caçamba, as madeiras foram envernizadas e onde era lata foi feito uma proteção emborrachada.

Além de uma grande reforma no interior, que vai ficar pro próximo post

Bom, o resultado da funilaria e pintura foi esse:

foto12 foto13 foto14

Bem melhor, né?

 

Problemas no relacionamento… de novo!

Logo na primeira semana depois de sair da reforma a D20 me apronta mais uma malandragem, baixei os vidros, agora elétricos (desculpem o spoiler do próximo post hehe), e quem disse que queria subir!?

Eu tava em Botucatu e precisava pegar a estrada pra casa no outro dia, tinha que dar um jeito de fechar os vidros, resolvi desmontar o módulo dos vidros elétricos e estava lá, uma trilha rompida.

Dei contato nessa trilha com uma chave e consegui fechar os vidros, tirei o módulo fora e andei com os vidros somente fechados por uns dois dias.

foto15

O engraçado foi no pedágio, tive que parar longe da cabine, descer e pagar, quem viu não deve ter entendido nada kkk.

Depois foi trocado o módulo e está até hoje funcionando.

Uma coisa que me incomodava era o consumo de óleo do motor, baixa 1l a cada 1500km mais ou menos. Até 1l/1000km para um motor diesel é aceitável, mas eu estava bem incomodado.

Pedi pra abrir o motor pra dar uma olhada, isso já fazia uns seis meses que eu estava com ela,e não apresentava desgaste nas camisas nem nada. Apenas um pouco de carvão nos pistões, nada anormal também.

foto16

1L cada cilindro

Bom, meu mecânico achava que se tratava apenas de um anel mal assentado que não estava vedando direito.

O engraçado é que, assim que passei a trocar o óleo eu mesmo, o consumo caiu pra 1L/3000km e é assim até hoje, como um relógio. É andar 3000km e pode conferir que vai 1L. Acho que ela só queria que eu mesmo trocasse o óleo.

A nível de curiosidade, troco óleo e filtros a cada 5.000km utilizo óleo para tratores John Deere, marca John Deere mesmo, Torq Gard 15w40. A cada 5.000km também engraxo as cruzetas e limpo o filtro de ar, e troco o filtro de ar a cada 4 limpezas ou se o visual estiver muito feio troco antes.

Troco o óleo na fazenda mesmo e minha namorada me ajuda, um salve pra ela!

foto17

Além disso, uma vez por ano encosto na oficina pra dar uma olhada em suspensão, freios, direção e diferencial.

A meta é com o tempo eu fazer 100% das manutenções, mas ainda estou aprendendo muita coisa.

Tempo depois troquei os faróis, que ainda eram originais e coloquei lâmpadas OSRAM NightBreaker, que eu recomendo a todos, realmente da um baita up na iluminação.

Além disso, modifiquei um pequeno detalhe na dianteira, adesivei a gravata de vermelho, um detalhezinho que na minha opinião deu outra cara para a caminhonete.

foto18

A última modificação estética no exterior foi a instalação de meia luz nos piscas, o que também demorei pra fazer por ficar na dúvida se ficaria bom, mas achei bem legal!

foto19

Teve algumas outras pequenas malandragens que a D20 me aprontou, mas foram todas nos primeiros meses, logo depois ela viu que eu a tratava bem e foi amansando, hoje ela é uma boa menina e temos um ótimo relacionamento! Vocês vão poder ver isso quando eu falar dos ups mecânicos.

Sei que até agora parece que ela é só mais uma D20 reformada, mas acho que nos próximos posts a opinião de vocês pode mudar.

Qualquer dúvida, curiosidade ou algo do tipo, comentem! Ficarei feliz em responder! Abraços e até o próximo post.

Por Petrus Veldt, Project Cars #241

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #211: meu Citroën DS3 nas pistas e a conclusão do projeto

Leonardo Contesini

Project Cars #16: como meu Kadett 2.4 de trackday se transformou em um GSI restmod

Leonardo Contesini

Ford Ka XR Turbo: a história do Project Cars #357

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados