A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #119

Citroën C4 VTR turbo: a montagem do turbo e uma mudança de planos no Project Cars #119

Olá, pessoal do Flatout! Fiquei um bom tempo sem escrever pois a vida anda muito corrida e o carro acabou ficando parado depois de uma quebra. Sim já andei com o carro e ele já quebrou nesse meio tempo! Mas agora já posso contar o começo da preparação turbo do C4 VTR. Vamos nessa?

Algumas coisas mudaram desde o primeiro post, pra começar antes mesmo de andar com o carro vendi a Pandoo Power Inject após participar de um curso realizado pela Pro Tune aqui em Porto Alegre. Acabei pegando uma PR330 com pacote full para utilizar no VTR. Foram inúmeras vantagens como mapas 3D, malha fechada top, boost controller integrado, suporte técnico excelente entre muitas outras que me fizeram trocar a injeção e não me arrependo em nada.

FOTO 1

Depois de alguns problemas para dar a primeira partida, finalmente o carro estava pronto para andar. Ou não: a coisa nunca tá pronta quando achamos que acabou. Na primeira volta sem acerto nenhum conseguimos chegar a incrível marca de 600 metros rodados! Paramos na frente de um condomínio vizinho com problemas na alimentação de combustível, isso se repetiu algumas vezes, uma hora era um vazamento de óleo e outra o etanol, que acabou quando o marcador de combustível parou de marcar corretamente. Mas o importante é que conseguimos sanar esses problemas e finalmente andar com o carro.

Como foi dito no primeiro post, a preparação foi feita com o miolo original do motor e a ideia era usar pouca pressão. Acabamos usando 0,75 bar com alguns picos de 0,8. Tivemos dificuldade em baixar a pressão, e mesmo modificando a mola da válvula wastegate às vezes vinha mais pressão do que esperávamos. Também foi preciso substituir a válvula de vácuo para o freio, pois a original teve o funcionamento comprometido com o carro sobrealimentado.

FOTO 2 FOTO 3

Para resumir antes de entrar nos detalhes da Fase II: o carro andou por aproximadamente um mês e pouco mais de 600 km até que o motor chegou no limite do que poderia suportar. Depois de voltar da casa da minha namorada em uma cidade vizinha eu percebi que o comportamento do carro estava estranho, mudamos alguns parâmetros na injeção e fomos testar, finalmente a pouco mais de um quilômetro de casa após arrancar na sinaleira ouvimos aquele barulho de ferro batendo e vimos o painel piscar todas as luzes possíveis, foi o fim do C4 VTR turbo.

FOTO 4

 

Começando a Fase II

Como eu e meus amigos somos teimosos, acabamos achando uma solução simples para o problema “vamos adiantar a fase II e montar forjado”! Nesse meio tempo muitas coisas mudaram, o carro não está mais sendo preparado em casa, eu e mais dois amigos abrimos uma oficina especializada em carros franceses e colocamos a responsabilidade do projeto nas mãos da nossa oficina. Atualmente temos mais um VTR turbo de um cliente e amigo na oficina que veio para solucionar alguns problemas. O fato de ter a oficina facilitou e dificultou muitas coisas, o projeto atrasou muito pois o envolvimento foi enorme, a facilidade veio na agilidade para mexer no carro, dessa vez foi necessário apenas uma tarde para desmontar todo o motor.

FOTO 5

Antes mesmo de tirar o motor do cofre, foi adquirido um motor completo de um C4 Flex batido e então focamos o trabalho nesse novo motor. Nesse momento a principal dificuldade foi em relação as peças que seriam utilizadas, aqui no Brasil não existe praticamente nenhuma peça de performance para esses motores. As opções eram importar peças da Europa ou achar um jeito de resolver as coisas por aqui. Acabamos optando por resolver as coisas por aqui mesmo.

FOTO 6

Depois de estudar inúmeras opções de pistões, acabamos optando por um jogo de pistões e pinos forjados da Iasa e anéis NPR, como os pistões tem o diâmetro de 86mm, o bloco vai passar pela retífica para adequar o tamanho de 85mm para 86mm. Em relação as bielas, não tivemos como fugir… O jeito foi encomendar um jogo de bielas feitas sob medida para o projeto com o novo pistão.

Depois de tudo isso o propósito do projeto acabou mudando e esse carro se tornará um carro de final de semana para diversão — todos os controles originais foram desativados, mantendo apenas o ABS.

Estamos aguardando o bloco voltar da retífica para começar a montagem e poder contar como o carro vai ficar depois dessa nova etapa, em seguida vamos repensar todo o sistema de suspensão e freios para ficar de acordo com a nova potência. Um abraço a todos e espero que no início do ano já possa falar algumas novidades do projeto aqui no site!

Por Mateus Bordin Lucas, Project Cars #119

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #279: meu Honda Fit ganhou rodas de Fórmula 3 para track days

Leonardo Contesini

Project Cars Universitário: conheça o Formula Sae da Apuama Racing!

Juliano Barata

Project Cars: alerta aos atrasados e a lista dos concluídos, interrompidos e desistentes!

Leonardo Contesini