A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Vídeos Zero a 300

Como a AC Schnitzer transformou o M235i no BMW de rua mais rápido em Nürburgring

Você provavelmente lembra quando, há algumas semanas, mostramos aqui no FlatOut um BMW M3 E36 virando 7:25 em Nürburgring Nordschleife – um belo tempo, que rendeu ao carro o título “não-oficial” de BMW de rua mais veloz do mundo no circuito alemão. Agora, tem gente querendo entrar nesta briga, porque a preparadora alemã AC Schnitzer acabou de revelar que seu BMW Série 2 preparado, o AC Schnitzer ACL2, é o BMW de rua mais rápido do mundo. Quanto ele virou? O mesmo tempo que o BMW M3 E36 azul de Alex Hardt: 7:25.

Para ser mais exato, o tempo do AC Schnitzer foi 7:25,8. Hardt não forneceu os décimos de seu tempo, mas nem precisa: a volta da preparadora cobriu cada centímetro dos 20.600 metros do Nordschleife, enquanto o garoto do M3 percorreu a volta “Bridge to Gantry”, que tem 200 metros a menos em um trecho de aceleração total. Parece pouco, mas a 250 km/h, é preciso quase 3 segundos para percorrer essa distância.

É justamente por isso que o ACL2 da AC Schnitzer pode ser considerado o BMW de rua mais rápido em Nürburgring Norsdschleife. Mais impressionante é que a preparadora alemã usa como base um M235i, e não o M2. Se eu fosse da BMW M ficaria o dia todo pensando na vida.

O piloto é Markus Oestreich, o ronco do carro é bonito de escutar e sem dúvida é uma bela forma de entretenimento – a não ser que você fique com muita pena dos dois pássaros que foram esmagados contra o para-brisa. Como comentou Dale Lomas, do site Bridge to Gantry, especializado em notícias sobre Nürburgring, é verão na Alemanha e não é incomum que eles acabem se chocando contra os carros que saem para esticar no circuito em dias mais quentes, especialmente quando a pista está fechada e não há outros carros na pista, como foi o caso.

Considerando que as condições do circuito exercem bastante influência sobre os tempos de volta em Nürburgring, e que não há uma metodologia oficial para aferir os tempos de volta – a maioria das aferições é independente, e não há fiscais residentes em Nürburgring para questionar ou validar uma volta, o que deixa tudo muito aberto a interpretações e já levou bastante gente (nós, inclusive) a elucubrar sobre a real importância de um recorde no Inferno Verde. Dito isto, seu tempo de 7:25,8 torna o AC Schnitzer ACL2 quase dois segundos mais rápido que o BMW M4 GTS, que virou 7:27,44.

Vamos falar do carro, afinal, ele é bem interessante e a AC Schnitzer tem uma looooonga história preparando modelos da BMW. Não se trata de um M2, e sim de um BMW M235i que recebeu o motor S55 do BMW M4 GTS — exatamente como o futuro M2 CS deverá receber. Como você sabe, os motores iniciados pela letra S são montados pela BMW M, o que significa que o S55 é uma versão especial do motor N55 que equipa o M2 .

O deslocamento é exatamente o mesmo, 2.979 cm³ (curso x diâmetro de 89,6×84 mm), mas há algumas diferenças fundamentais entre os dois: o N55 tem apenas um turbocompressor e bloco do tipo open-deck (as camisas dos cilindros são separadas do bloco do motor, o que os torna mais sucetíveis a deformações quando sua pressão interna é muito alta); enquanto o S55 tem dois turbos, bloco closed deck (com as camisas dos cilindros incorporadas à superfície do bloco, mais resistentes), virabrequim mais leve, pistões reforçados e duas bombas de combustível.

AC Schnitzer ACL2 Motorraum_72 copy

Com modificações no módulo de controle do motor e um novo coletor de admissão, a potência do AC Schnitzer ACL2 chegou aos 570 cv a 6.100 rpm, e 75,4 mkgf de torque entre 1.850 e 3.000 rpm – 200 cv a mais que o BMW M2, e 140 cv a mais que o BMW M3. O câmbio é manual de seis marchas, e o limitador de velocidade foi desativado. Com isso a velocidade máxima agora é de 315 km/h e o 0-100 km/h é cumprido em quatro segundos cravados.

Ainda que o câmbio permaneça o mesmo, o diferencial de deslizamento limitado teve seu bloqueio aumentado de 25% para 95%. Já suspensão e freios foram modificados. Os amortecedores originais deram lugares a componentes pressurizados AC Schnitzer Clubsport, ajustáveis em altura, compressão e retorno; foram instaladas strut braces de fibra de carbono na dianteira e na traseira; e os freios são de carbono-cerâmica, ventilados e slotados, com 400 mm na dianteira e 370 mm na traseira. As rodas são as AC Schnitzer AC1, de 20 polegadas, calçadas com pneus Michelin Pilot Super Sport de medidas 285/25 na dianteira e na traseira.

AC Schnitzer ACL2 stehend vorne_72 copy

Não são exatamente bonitas, mas são funcionais

Por fora, o carro teve os para-lamas alargados e recebeu aletas aerodinâmicas nos para-choques e nas laterais, feitas de fibra de carbono. Os retrovisores também foram trocados por peças esculpidas pelo vento, e uma asa traseira fixa, também de fibra de carbono, sobre a tampa do porta-malas ajuda a criar downforce naquela região.

 

O interior foi aliviado, perdendo o banco traseiro, mas ganhou couro Nappa verde perfurado e veludo preto com custuras combinando. As superfícies também receberam acabamento verde, combinando com a carroceria, o que inclui o painel, o volante e a parte interna das portas.

ACS-ACL2-25_72 copy ACS-ACL2-27_72 copy ACS-ACL2-28_72 copy

Console central e maçanetas são de fibra de carbono. Os pedais são de alumínio, assim como os descansos para os pés e as manoplas do câmbio e do freio de estacionamento. O ACL2 recebeu, ainda, um display digital no lugar de uma das saídas de ar do painel, capaz de exibir a velocidade até 300 km/h (no cluster analógico original, a velocidade máxima é de 250 km/h).

AC Schnitzer ACL2 Front frontal_72 copy AC Schnitzer ACL2 Heck frontal_72 copy

Sem dúvida o bicho é um monstro: sua ficha técnica e seu tempo em Nürburgring não nos deixam mentir. O problema é que a AC Schnitzer também decidiu deixá-lo com uma combinação de cores monstruosa – o verde com detalhes vermelhos talvez seja uma referência ao apelido do circuito alemão, Green Hell, mas podia ter sido melhor escolhido.

Ainda assim, certamente haverá 30 pessoas interessadas no BMW Série 2 da AC Schnitzer – será este o número de exemplares oferecidos ao público, comemorando o recorde e também os 30 anos da preparadora.

Matérias relacionadas

Um novo autódromo em São Paulo, o novo Bentley Continental GT3, Lamborghini Urus em ação e mais!

Leonardo Contesini

Um Chevrolet Omega GLS 2.2 do último ano, todo original, bem cuidado e à venda

Dalmo Hernandes

Deslocamento variável: como funciona a desativação de cilindros do motor?

Leonardo Contesini