FlatOut!
Image default
Pensatas Zero a 300

Como o câmbio CVT evoluiu e se popularizou nos últimos anos

Há quase quinze anos tive meu primeiro contato com um câmbio CVT, quando dirigi um Honda Fit pela primeira vez. Como todo motorista acostumado aos automáticos da época, estranhei duas coisas: a facilidade em ganhar velocidade e o fato de isso acontecer em uma rotação fixa do motor. Não gostei e mantive minha opinião quando viajei com um Sentra dois anos depois, mesmo impressionado com o consumo rodoviário do carro além dos 16 km/l com o carro cheio. Eu não me importaria em trocar 2 km/l pela se

Matérias relacionadas

Os ventos e esportes que dão seus nomes a carros da Volkswagen

Leonardo Contesini

Moderação de tráfego: como reduzir a velocidade dos carros e motos sem usar radares

Leonardo Contesini

Amor gearhead: este casal se conheceu graças aos carros – e estão juntos até hoje por causa deles

Dalmo Hernandes