A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Vídeo Zero a 300

Como transformar o Land Rover Defender em um esportivo? Colocando um V8 de Corvette nele!

Certas perguntas não precisam ser feitas, não é mesmo? É fácil concluir que a melhor solução para transformar um utilitário rústico e pesado em um esportivo é um V8 de LS3 de Chevrolet Corvette.

Que outro SUV quadradão e absurdamente potente você conhece? Provavelmente você pensou no Mercedes-AMG G63. O conceito aqui é parecido, porém feito sobre um Land Rover Defender. O trabalho foi feito pela oficina americana Tophat Classics, que foi fundada há 15 anos e começou importando exemplares antigos do Land Rover Defender para os Estados Unidos, mas rapidamente transformou-se também em oficina de manutenção, restauração e preparação especializada no clássico offroader britânico.

O projeto foi batizado Defender 90 LS3, simples e direto, e passou por diversas modificações além do motor, como fica claro no vídeo abaixo.

Depois de dar uma olhada no Defender por dentro e por fora, ouvir seu motor funcionando e vê-lo rodando nas ruas, podemos vê-lo acelerando em um circuito na Holanda. Não é um vídeo longo, mas dá para ver que o Defender anda bem em linha reta. Faltaram imagens do utilitário fazendo curvas, porém – ficamos sem saber se a geometria da suspensão foi retrabalhada de forma eficiente.

É na Holanda que fica a oficina da Tophat, na cidade de Loosdrech, norte dos Países Baixos, mas sua sede principal fica em Scottsdale, estado do Arizona, EUA. Lá fica o showroom da Top Hat, e também são realizadas as vendas. Todo Defender comprado nos Estados Unidos é enviado para a Holanda, onde os caras realizam o trabalho encomendado: uma restauração nos padrões originais ou uma transformação completa.

O Defender amarelo que aparece nestes vídeos serve como demonstração de um dos kits mais populares da Tophat, por uma razão. Originalmente, o Defender vinha equipado com motores de quatro cilindros a diesel ou gasolina, ou um V8 Rover de 3,5 litros, também a gasolina, que entregava cerca de 160 cv e não era exatamente conhecido por seu desempenho em aceleração. Já o LS3, V8 de 6,2 litros usado no Chevrolet Corvette a partir de 2008, tem 436 cv direto da caixa. Nos Defender da Tophat, a potência é elevada para 573 cv graças a uma preparação aspirada que inclui pistões e bielas forjados, novos injetores, comando de válvula mais agressivo, um ligeiro aumento na taxa de compressão, polimento dos dutos e ECU reprogramada.

IMG_9568

Agora, por mais que a estrutura do Defender seja robusta e capaz de suportar esta força, a Tophat também modifica o chassi e a carroceria do utilitário para melhor receber o conjunto mecânico. A suspensão recebe barras estabilizadoras na dianteira e na traseira, com 28 mm na dianteira e 25 mm na traseira, projetadas pela própria Tophat; sistema hidropneumático com quatro ajustes de altura (sport, normal, off road e estacionamento); e amortecedores ajustáveis Reiger. Os semieixos, diferenciais e suportes do motor também são reforçados, e o cofre conta com buchas hidráulicas para filtrar vibrações.

IMG_3641 IMG_3717

Os freios, por sua vez, são da AP Racing com linhas de aço sólido e trançado, com discos ventilados e slotados de 364 mm na dianteira e 330 mm na traseira, mordidos por pinças de quatro e seis pistões, respectivamente. A caixa de direção vem do Land Rover Discovery. Já o sistema elétrico é todo refeito do zero para garantir que tudo funcione perfeitamente, incluindo um novo alternador e uma nova bateria, de maior capacidade.

IMG_9570 IMG_9573 IMG_3706

A Tophat diz que atualmente está convertendo quatro exemplares do Defender para motorização V8 LS3. Cada um dos proprietários receberá um vídeo em time lapse do processo de montagem, como o que mostramos abaixo, e uma sessão de fotos. Também é possível agendar visitas até a unidade da empresa na Holanda a qualquer momento para conferir pessoalmente a quantas anda o serviço.

IMG_3556 IMG_3609 IMG_3624

O tempo varia de acordo com a extensão do serviço: há quem queria apenas a troca do motor, mantendo o câmbio original do Defender; há quem prefira uma caixa manual de seis marchas; e há quem queira modificar também o exterior e o interior do caso. Neste caso, é possível instalar rodas de 18 polegadas à sua escolha, bancos do tipo concha, instrumentação aftermarket, novos para-choques, faróis e lanternas, trocar a cor do carro e personalizar a carroceria com pinturas e envelopamentos especiais, tudo feito in house.

Honestamente, nós escolheríamos algo mais discreto que o amarelo do demo car, especialmente com os grafismos um tanto exagerados que os caras colocaram, mas achamos a ideia bem interessante.

IMG_3445IMG_3730

De qualquer forma, se você acha que o Land Rover Defender foi feito para andar longe do asfalto e mais longe ainda de uma pista de corridas, os caras podem instalar motores a diesel mais modernos da linha atual da Land Rover e fazer uma série de modificações com foco em melhorar as habilidades naturais do Defender. Você pode pedir para que a Tophat transforme seu Defender 90 em um Defender 110 (e vice-versa), instale uma caçamba de picape, eleve a suspensão… ou, como já dissemos, simplesmente devolva ao jipe sua velha forma.

Matérias relacionadas

Os estranhos Volkswagen a ar que não tivemos no Brasil: Thing, Basistransporter e Fridolin

Dalmo Hernandes

Wörthersee Treffen: o que rolou na edição 2016 do maior encontro de Volkswagen do planeta

Dalmo Hernandes

1.200 cv na dragstrip: Nissan Juke-R 2.0 e GT-R Nismo se enfrentam na arrancada – qual deles chega na frente?

Dalmo Hernandes