A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Concessionárias-fantasma: as cápsulas do tempo do mundo automotivo

Poucas coisas conseguem evocar beleza e tristeza ao mesmo tempo quanto a visão de uma concessionária abandonada há anos. É bonito, sim, ver um acervo de carros antigos (ou nem tanto assim) perfeitamente preservados ao longo dos anos, como se fossem novos. Mas é triste de verdade saber que eles passaram toda sua vida trancafiados em vitrines.

Carros como estes levam décadas para deixar suas concessionárias-fantasma, por uma série de razões. Talvez a loja ainda tenha dono, e ele ainda seja apegado a seu antigo negócio. Talvez não possam ser vendidos por questões judiciais, irremediavelmente atrelados à propriedade onde se encontram, que tem questões burocráticas pendentes. Ou talvez, simplesmente, as pessoas que vivem por perto se acostumaram tanto com sua presença que sequer cogitam a ideia de que, um dia, os carros sumam. De vez em quando, eles somem.

Vamos, agora, contar a história de algumas destas concessionárias. Quer dizer, nem todas têm tanta história assim para contar, permanecendo na condição misteriosos monumentos a quando eram showrooms movimentados, cheios de clientes e estoque que se renovava constantemente. Restaram fotos, registros visuais que fazem a imaginação voar e pensar em quanto dinheiro seria preciso para recuperar pelo menos uma daquelas máquinas tristes e empoeiradas mas, como todo entusiasta sabe bem, cheias de potencial.

 

A concessionária abandonada de Estrela/RS

Unknown-58

Se a gente não começasse este post com a mais famosa concessionária-fantasma do Brasil, vocês certamente iriam reclamar. E, de fato, a história desta concessionária é tão incrível que ficou famosa no mundo todo.

O ano era 2001, e o dono da Comercial Gaúcha, ou Covipa, foi um dos representantes chamados pela Volkswagen para a apresentação da nova cota de vendas. Segundo ele, a concessionária vendia cerca de 25 carros por mês, e a nova meta era de 60 carros por mês. Julgando esta uma meta impossível de atingir, o dono voltou para a concessionária e demitiu todos os funcionários, abandonando o lugar. A concessionária, então, foi fechada.

Unknown-3

Isto causou causou uma briga familiar, uma vez que os filhos eram sócios da empresa, e desde então não falam mais com o pai. Para piorar a história, sua esposa morreu poucos anos depois. Se sentindo sozinho, o dono passou a ir para a concessionária diariamente, em horário comercial, e o faz até hoje: ele chega logo cedo com seu carro  — um SP2 azul, que pode ser visto estacionado na rua em uma das fotos, toma uma cuia de chimarrão e fica lá, usando o uniforme de trabalho e esperando pelos clientes, que nunca chegam. Diz que os carros são seus companheiros.

 

O lugar é limpo e impecável. Os carros na showroom não estão empoeirados, e parecem ter saído da concessionária hoje de manhã. São alguns Santana, Quantum e Fuscas (um Última Série, da década de 80, e dois Série Ouro, da década de 90). No depósito, ao fundo, mais Fuscas, estes empoeirados.

Felizmente a tecnologia não parou no tempo junto com a concessionária, e hoje é possível ver a fachada pelo Google Street View:

Dizem que ele já recusou propostas bastante generosas pelos carros mas, desde que contamos esta história (foi em fevereiro de 2014, nos primeiros meses do Flatout), alguns deles foram vendidos. E não foi barato.

 

Sobreviventes alemães no Canadá

bmw-dealer-13

A Citation Motors, no Canadá, tem uma história tão interessante quanto a concessionária de Estrela. O showroom da concessionária em Oakville, Ontario, e a loja funcionou até 1988. Naquele ano, o dono perdeu a concessão cedida pela matriz alemã para que a Citation Motors continuasse funcionando, por razões que até hoje são desconhecidas.

O dono, então, mudou-se para Toronto, onde abriu outra concessionária BMW. Só que, em vez de pegar todos os carros e levar para a nova loja, como seria mais lógico, ele simplesmente decidiu trancar o lugar e deixar tudo como estava… por 25 anos.

bmw-dealer-8-e1439583779408

A história foi descoberta pelos membros do fórum canadense Maxbimmer.com, dedicado exclusivamente aos BMW. Em setembro de 2006, membros que moravam perto (ou nem tão perto assim) do local reuniram dezesseis páginas com especulações e imagens sobre o local. Eles descobriram que o dono se chamava Helmut, e que ele visitava o local algumas vezes por semana para limpar os carros. O cara foi bacana e deixou que eles tirassem fotos, e algumas estão reproduzidas aqui.

O showroom estava cheio de carros fabricados na década de 1980, todos em excepcional estado de conservação. Helmut ficou com eles por mais alguns anos, mas em 2014 um dos membros do fórum postou fotos do local. Outra concessionária havia sido aberta no lugar da Citation Motors.

Dá para passear pelas redondezas através do Google Street View, e pelo jeito o negócio vai bem.

 

Italianos perdidos na Dinamarca

Verstaubte-Oldtimer-729x486-05140e6a74ff1f3d-672x461

Em outubro de 2015, o site Autobild Denmark publicou uma matéria sobre uma concessionária Fiat em Kolding, na Dinamarca, com dezenas de carros novos abandonados desde 1981. Segundo consta, o proprietário abriu a loja em 1973 e, na virada da década, foi confrontado pela matriz italiana e precisou decidir se venderia automóveis de passeio ou veículos pesados e utilitários. Não era possível optar pelos dois.

Verstaubte-Oldtimer-729x486-a25c47ff3e328a62-672x461

Ele teria escolhido a segunda opção mas, em vez de desfazer-se dos carros, simplesmente os deixou na concessionária. Posteriormente, ele também utilizou o local como depósito para a revenda de caminhões.

As fotos do local mostram uma bela variedade de modelos. A maioria, da Fiat – carros como o 127 (precursor do nosso 147), 128, 500, 600 e até o Fiat Uno, além de alguns modelos da Alfa Romeo e da Lancia. Contudo, também é possível identificar carros de outras fabricantes, como Peugeot e Volkswagen (afinal, onde há carros, há um Fusca).

O site conta que, há alguns anos (sem revelar quantos), um dos descendentes do dono da loja a encontrou e, para desocupar rapidamente o local, vendeu alguns dos automóveis a preço de banana.

Houve carros novinhos vendidos por coisa de €250, o que dá pouco mais de R$ 900 – um valor praticamente simbólico.

 

A concessionária Chrysler que só existia no Flickr

18n85tnb6ut1ljpg

Uma das histórias mais intrigantes é a desta antiga concessionária Chrysler nos EUA. Como conta o Jalopnik, tudo começou com a foto acima, publicada no Flickr em 2004. Era só o que havia: uma fachada de vidro com os dizeres “Chrysler Plymouth Dodge Jeep”. E mais nada.

Outra foto, claramente do mesmo local, foi carregada no Flickr quatro anos depois, em 2010, junto com algumas outras. Baseados nas descrições das fotos, os caras do Jalopnik descobriram que a loja ficava em East Liverpool, estado do Ohio, próxima à fronteira com a Pensilvânia e a Virgínia Ocidental. A partir daí, seguindo pistas e fazendo perguntas, eles chegaram a um número de telefone e conseguiram falar com o dono.

IMG_8660

Seu nome era Basil Mangano. Ele contou que foi vendedor de carros por quase 50 anos, mas fechou sua última concessionária em 1998. No entanto, decidiu manter uma das lojas consigo para guardar seu acervo de carros. Ele disse também que os dois Plymouth Fury visíveis nas fotos eram apenas a ponta do iceberg: no anexo do edifício, escondido nas imagens, havia cerca de 30 ou 40 carros clássicos, perfeitamente preservados, protegidos dos elementos.

Isto tudo aconteceu em 2010. Na época, Mangano afirmou que estava negociando com um comprador, a fim de fechar o lugar de vez. Não se sabe o que aconteceu depois.

 

Um último negócio

chevy5

Em setembro de 2013, a agência americana VanDerBrink Auctions leiloou uma coleção de 500 carros da década de 1950. Quinhentos, tem noção do que é isto?

O site Messy Nessy contou a história por trás do leilão. E também por trás da concessionária, a Lambrecht Chevrolet Company. A loja foi aberta em 1946, ou seja, exatamente setenta anos atrás. Os donos eram um casal, Ray e Mildred Lambrecht, e tinham apenas um empregado. Eles trabalharam seis dias por semana por cinco décadas a fio, até que finalmente decidiram aposentar-se em 1996.

Ao longo das décadas, a Lambrecht Chevrolet acumulou um acervo impressionante de automóveis, a maioria das décadas de 1950 e 1960. Todos os carros foram retirados de lá e guardados em depósitos alugados, enquanto alguns poucos foram estacionados no jardim da propriedade dos Lambrecht, entre as árvores.

Era um acervo interminável de Impala, Corvette, Os carros foram leiloados em 2013, depois de dezessete anos parados, arrecadando US$ 2,8 milhões – cerca de R$ 9 milhões, em conversão direta.

 

Restos de um conflito

Cyprus-UN-Buffer-Zone-Toyota-Corolla

Não é muito comum falar sobre o Chipre em um site sobre carros. Eles não têm fabricantes de automóveis, e a gente nunca ouviu falar de um encontro de carros famoso acontecendo no Chipre. No entanto, a ilha no Mar Mediterrâneo guarda um belo tesouro sobre rodas: uma concessionária Toyota abandonada na cidade de Varocha.

Cyprus-UN-Buffer-Zone-Toyota-Corolla-TE27-640x421

Na verdade, toda a cidade – que já foi um dos destinos turísticos mais glamurosos do planeta – foi abandonada quando os turcos invadiram o Chipre. Até hoje o lugar, que foi completamente desocupado pelas Nações Unidas, é vigiado pelas autoridades, e as imagens foram feitas por fotógrafos que correram o risco de ser presos ou até mesmo mortos pelos guardas.

Cyprus-UN-Buffer-Zone-Toyota-dashboard

Não são muitos carros (e nem muitas fotos), mas o que se vê é interessante, especialmente para quem curte os JDM da década de 1970: Corolla, Corona, Celica e Mark II – alguns, com menos de 40 km marcados no hodômetro.

Matérias relacionadas

Subaru Impreza STI 22B: a história do mais lendário dos WRX

Dalmo Hernandes

Por que o Rodoanel não tem postos de combustível?

Leonardo Contesini

A história da menina de 12 anos que decidiu construir seu próprio carro

Leonardo Contesini