A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Mercado e Indústria

Conheça os carros mais vendidos do Brasil por motorização em 2014

A consultoria JATO Dynamics divulgou recentemente um levantamento interessante do mercado brasileiro. Ele foge às análises comuns e pergunta: quais são os carros mais vendidos do país em determinadas motorizações? Isso ajuda a traçar tendências, como a perda da liderança de mercado do Gol no ano passado. Considerando que a empresa fez o levantamento também em 2004 e em 2009, as tais tendências ficam ainda mais evidentes, mas só saltam aos olhos com um pouco de contexto histórico.

Em 2004, foram licenciados 1.503.225 veículos. Destes, 742.005 (49,4%) eram 1.0. Não encontramos dados das demais motorizações.

Em 2009, as vendas de carros novos, incluindo importados, foram de 3.008.742 unidades. Destes, 1.302.989 eram 1.0 (52,7% do total), 1.139.685 eram acima de 1.0 até 2.0, incluindo estes (46,1%) e só 31.599 (1,3%) eram superiores a 2.0.

Em 2014, os licenciamentos foram de 3.498.012. Cerca de 40% (1.002.669) eram 1.0; 59,3% (1.484.721) ficavam acima de 1.0 até 2.o e 0,7% (16.771) acima de 2.0. Com isso em vista, vamos ao ranking criado pela JATO:

 

Motor 1.0
Posição 2004 2009 2014
1º lugar VW Gol (143.822) VW Gol (252.284) VW Gol (146.399)
2º lugar Fiat Palio (127.108) Fiat Palio (177.475) Fiat Palio (145.188)
3º lugar Chevrolet Celta (115.067) Fiat Uno (168.329) Fiat Uno (98.539)

VW-gol-2014

O Gol 1.0, em 2004, tinha 9,6% do mercado. Em 2009, 8,4%. Em 2014, 4,2%. O Fiat Palio 1.0, que sempre esteve em segundo lugar, ficou com uma diferença de apenas 1.211 unidades, algo que ele compensou de sobra com suas demais motorizações. O Gol, antigo líder também do segmento dos motores 1.6, perdeu espaço não só para os concorrentes, mas também para o fogo amigo do Fox.

 

Motor 1.3
Posição 2004 2009 2014
1º lugar Honda Fit (29.529) Honda Fit (35.701) Toyota Etios (20.062)

Mas o Honda Fit tinha motor 1.4, não é? Não. A cilindrada do motor era 1.339 cm³. Para ser um verdadeiro 1.4, ele tinha de ficar acima dos 1.350 cm³, o que permitiria arredondar a cilindrada para cima. A mesma tática usa a JAC Motors até hoje, com o J3, que também é um 1.3. Neste caso, a liderança do Etios, com vendas bem abaixo das obtidas pelo Fit em 2009, mostra que faltam concorrentes com esse tipo de motor. Além do Etios, só nos lembramos de Chery Face.

 

Motor 1.4
Posição 2004 2009 2014
1º lugar Peugeot 206 (24.791) Chevrolet Corsa (61.478) Chevrolet Onix (70.747)
2º lugar Fiat Siena (22.118) Fiat Palio (45.627) Chevrolet Prisma (55.212)

Chevrolet-Onix-2014

O domínio dos Chevrolet em 2014 mostra a boa fase do Onix e do Prisma no portfólio da marca. A Fiat, que também oferece a opção de motor 1.4 (no Uno, no Palio, no Punto, na Palio Weekend, no Siena e no Grand Siena, além do 500), não chega a emplacar nenhum modelo nos calcanhares da dupla dinâmica. Peugeot e Citroën tinham bons motores 1.4, mas abandonaram o segmento com a criação do novo 1.5.

 

Motor 1.5
Posição 2004 2009 2014
1º lugar Fiat Siena (191) Honda City (14.630) Toyota Etios (46.357)

Aqui não faltam concorrentes. Vamos entrar em contato com a JATO para entender por que foram divulgados apenas os líderes, neste segmento. Até lá, vale repassar os 1.5 do mercado: Ford Fiesta, Ka, Ka+ (estes dois últimos lançados perto do final do ano passado), Peugeot 208, Citroën C3, C3 Picasso, Honda Fit e City. O Etios fez volume com bom preço e também pelo sedã, um modelo muito espaçoso para sua faixa de preço.

 

Motor 1.6
Posição 2004 2009 2014
1º lugar VW Gol (33.626) Ford Fiesta (53.968) Hyundai HB20 (96.166)
2º lugar Ford Ecosport (31.790) VW Gol (50.778) Ford Fiesta (66.747)
3º lugar VW Polo (23.837) VW Fox (33.849) VW Fox (60.084)

Note como o Gol desaparece da lista dos mais vendidos entre os 1.6, numa queda nada gradual, especialmente de 2009 para 2014, quando ele desaparece da lista dos três mais. Também vale perceber como os 1.6 representam boa parte do crescimento da faixa entre motores acima de 1.0 que a Anfavea calcula. E também qual é a faixa forte de vendas do Hyundai HB20, líder do segmento em 2014.

 

Motor 1.8
Posição 2004 2009 2014
1º lugar Toyota Corolla (28.567) Toyota Corolla (52.823) Chevrolet Cruze (41.557)
2º lugar Chevrolet Meriva (20.700) Honda Civic (50.031) Chevrolet Spin (36.797)
3º lugar Fiat Palio (13.984) Fiat Palio (24.051) Chevrolet Cobalt (25.412)

2014-Chevrolet-Cruze

Uma trinca da Chevrolet domina o filão dos motores 1.8, mas, em boa medida, porque não tem nada acima disso para oferecer entre modelos produzidos no Brasil. Enquanto Corolla e Civic têm motores 1.8 apenas em suas versões de entrada, o Cruze só tem esse tipo de motor, o que explica sua liderança. Já Spin e Cobalt, ambos sobre a mesma plataforma GSV do Onix, se valem de seus perfis para vender bem nessa faixa. A Spin porque é uma das únicas opções de minivan que ainda restam no mercado, ao lado de C3 Picasso e Nissan Livina. Já o Cobalt foi muito procurado entre os taxistas, que, com os descontos para compra, acabam optando pela versão mais forte.

 

Motor 2.0
Posição 2004 2009 2014
1º lugar Chevrole Astra (32.720) Chevrolet Vectra (35.420) Toyota Corolla (53.029)
2º lugar Chevrolet Zafira (12.155) Chevrolet Astra (35.519) Honda Civic (36.675)
3º lugar Citroën Xsara Picasso (11.829) Hyundai Tucson (29.057) Renault Duster (21.518)

Se o sucesso da marca da gravatinha dourada é total entre os modelos 1.8, a ausência da empresa entre os 2.0 mostra que a GM dormiu no ponto enquanto Honda e Toyota percebiam uma demanda do consumidor de sedãs médios por motores mais fortes. Prova disso é que Toyota e Civic lideram em 2014. Exatamente como faziam em 2009 entre os 1.8 e com volumes muito parecidos. Correndo por fora aparece o Renault Duster, que emprestará seu motor ao Sandero RS em breve.

E você? Qual o seu modelo preferido por motorização?

Matérias relacionadas

Confira os 17 novos modelos que a Volkswagen irá lançar no Brasil e no mundo até 2020

Leonardo Contesini

Os cinco carros zero km que eu compraria em 2017

Leonardo Contesini

Volkswagen paralisa produção de up!, Voyage e Gol, e dá férias coletivas a 4.200 funcionários

Leonardo Contesini