A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #413

Construindo um Shelby Cobra na garagem: o revestimento do chassi e o novo sistema de escape

Fala, galera. De volta aqui para continuar a história do PC 413 – construindo um Shelby Cobra na garagem.

Depois da instalação do motor, câmbio e caixa de direção decidi  fazer a parte dos coletores de escapamentos, já que nem que eu quisesse conseguiria usar os originais de ferro fundido direcionados para a traseira pois o Cobra possui escapamentos laterais.

Consegui encomendar as extremidades externas em aço inox pela internet, mas os coletores teriam que ser feitos no carro porque cada projeto Cobra sempre varia a posição do motor no chassi e carroceria, então tirei umas fotos e mandei para algumas empresas de escapamento personalizado aqui no RJ para ter uma idéia do orçamento e os valores que recebi foram na casa dos 3, 4 mil pra cada lado — isso mesmo: mais uma vez a famosa escassez de mão de obra no ramo da customização aqui no RJ joga os preços lá na pqp!

Decidi que eu mesmo ia fabricar, dai fiz uma pesquisa sobre fabricação de escape (YouTube) e como ja tinha experiência com solda de carbono (até aqui nunca tinha soldado inox) acabei pegando mais essa empreitada.

Fui até um ferro velho de aço inoxidável para comprar o material: 1 tubo novo de 6 metros, 16 curvas de 90º, retalhos de chapas grossas para as bases e 2 kg de eletrodo. Gastei uns 600 reais e ainda me sobrou mais da metade do tubo. Primeiro furei e cortei as bases usando a junta como molde (lixadeira e furadeira manual) prendi as bases no motor e fui soldando as curvas e pedaços dos tubos. Pode não ter ficado tão bonito quanto uma solda TIG mas depois do acabamento eu fiquei bem contente com o resultado final, principalmente no custo. E o som também ficou incrível! Só meus vizinhos que não concordam.

 

Aproveitando a onda da fabricação e de que eu não estava muito contente com a aparência da parede corta fogo em fibra e a falta de rigidez dos assoalhos em fibra, levando em conta que eu tinha pouco trabalho pela frente (mentira, o trabalho nunca acaba) , resolvi fabricar uma estrutura toda de ferro soldada ao chassi e cobrir tudo com chapas de alumínio.

Então arranquei toda a parte interna da carroceria de fibra deixando apenas a bolha externa, criando assim um chassi totalmente independente, que pode até ser dirigido (sim, já saí na rua com ele algumas vezes).

21

Quem quiser conferir mais só seguir la no instagram @diegojacobini

Bom… por hoje é isso, espero que tenham gostado. No próximo vou tentar falar da parte elétrica e outras coisas que tive que fazer pelo caminho.

Obrigado e até!

Por Diego Jacobini, Project Cars #413

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Começando a restauração do meu Chevrolet Opala 1978, o Project Cars #424

Leonardo Contesini

Project Cars #338: turbo instalado, hora de pegar a estrada (e o dinamômetro)

Leonardo Contesini

Project Boat: a construção do veleiro Samoa e os desafios de todo projeto

Leonardo Contesini