A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Don’t Crack Under Pressure: o vídeo completo com Alonso, Button e o McLaren MP4/4 de Ayrton Senna

Na semana passada  a McLaren publicou um teaser de 30 segundos com Fernando Alonso, Jenson Button e o McLaren MP4/4, o carro que deu a Ayrton Senna o título de 1988 — o primeiro de sua carreira, logo em seu ano de estreia pela equipe britânica. Agora o vídeo completo, produzido em parceria com a Tag Heuer, está disponível. É curto, porém intenso e, com os 21 anos da morte de Ayrton ainda frescos na memória, chega a emocionar.

O vídeo começa com o famoso relato de Senna sobre a volta de classificação no GP de Mônaco em 1988, a fatídica corrida que Senna perdeu por errar sozinho (e jamais se perdoou por isso, como contamos aqui), mas que tinha tudo para ser dele — afinal, ele havia sido quase dois segundos mais rápido que o segundo colocado, Alain Prost. Com carros idênticos, Senna conseguiu a pole com 1:23,998, enquanto Prost virou 1:25,425. Ao lembrar do feito, Button e Alonso ficam impressionados. “Quando você vê Ayrton dando a volta em Mônaco, 1,5 segundo mais rápido que todo mundo, é absolutamente insano”.

E é insano mesmo. Nem o próprio Senna conseguia explicar totalmente.

Quando estou competindo contra o relógio e contra os rivais, o sentimento de expectativa, de ir lá e fazer o melhor e ser o melhor, me dá um tipo de poder que, em alguns momento quando estou pilotando, literalmente me desprende completamente de qualquer outra coisa enquanto eu piloto… curva após curva, volta depois de volta. Eu posso até relatar para você um exemplo real que vivi.

A última volta de classificação para o GP de Monaco em 1988, extraída do filme “Senna”. Sim, você vai ver de novo

Monte Carlo, 1988, último treino de classificação. Eu já estava na pole e cada vez mais rápido. Uma volta depois da outra, mais, mais e mais rápido. Primeiro eu estava na pole com vantagem de meio segundo, depois um segundo… e continuei indo. Então, de repente, eu estava quase dois segundos na frente de todo mundo, incluindo meu colega de equipe, com o mesmo carro. E então eu percebi que não estava mais pilotando de forma consciente.

O carro usado por Senna e Prost, o McLaren MP4/4, era o primeiro com motor Honda utilizado pela equipe, e foi um dos carros mais importantes da Fórmula 1. Com aerodinâmica acertadíssima graças ao trabalho de Steve Nichols e Gordon Murray (este, um dos pais do McLaren F1), centro de gravidade baixo, transmissão manual feita sob medida e um V6 biturbo de 1,5 litro e 650 cv, o MP4/4 era o carro perfeito, tanto que venceu 15 das 16 corridas da temporada de 1988.

Mais do que isto: o MP4/4 liderou 93% de todas as voltas disputadas na temporada. Isto significa que, em todas as corridas disputadas em 1988, em apenas 27 delas um MP4/4 não estava na ponta.

Sendo assim, nada mais apropriado para relembrar a memória de Senna do que colocar o carro que ele usou nesta experiência transcendental ao lado do atual carro da McLaren para a Fórmula 1. Apesar de não ter adotado a clássica combinação de vermelho e branco, decepcionando os mais nostálgicos, o MP4-30 marca a volta da parceria entre Honda e McLaren. E, como você certamente já sabe, novamente o motor é um V6 turbinado — desta vez, de 1,6 litro, com injeção direta e capacidade para girar a até 15.000 rpm.

O carro não está se saindo muito bem na temporada — 2015 está sendo, mais uma vez, o ano de Lewis Hamilton na Mercedes-Benz, enquanto a McLaren está apenas na nona posição. Nada disto, porém, torna inválida a homenagem da McLaren a seu maior piloto, com um de seus melhores carros.

 

Matérias relacionadas

É assim que se sobe uma pista de esqui com um protótipo de corridas

Dalmo Hernandes

Seria o GT2 993 o melhor Porsche 911 já feito?

Dalmo Hernandes

Nismo 400R: o Skyline GT-R mais famoso de Gran Turismo ainda é incrível mesmo depois de vinte anos

Dalmo Hernandes