A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Drifts na chuva, decolagens e toda a insanidade da V8 Supercars

Ah, a V8 Supercars! Uma das categorias mais rápidas e emocionantes do mundo, direto da Austrália — onde os rivais locais Ford e Holden acertam as diferenças enquanto brigam por posições com os “visitantes” Mercedes-Benz, Volvo e Nissan. Ao volante alguns dos pilotos mais ousados do planeta, na trilha sonora os motores V8 de 650 cv. A combinação é explosiva — no melhor sentido da palavra.

A corrida do sábado, por exemplo — a Sydney Motorsports Park 400, realizada no autódromo da mais famosa cidade australiana — foi uma das maiores provas de que os pilotos da V8 Supercars são completamente insanos. O fim de semana na Austrália foi chuvoso, e isto significa asfalto molhado. Asfalto molhado, por sua vez, significa pneus de chuva — sulcados, mais aderentes e feitos para que o carro não deslize, correto?

Na maioria dos casos, sim. Mas nesta última etapa da V8 Supercars significou outra coisa: drifting! Ao menos foi o que aconteceu no sábado. Estes carros foram feitos para contornar as curvas no limite, e não para deslizar como drifters — o que torna este vídeo ainda mais fantástico de assistir.

O piloto que está na frente, no carro amarelo e preto de nº 97, é o jovem neozelandês Shane van Gisbergen, que tem fama de especialista em piso molhado. Você pode ver como seu carro escorrega muito mais e ele continua na liderança. Na verdade, depois desta exibição de derrapadas sincronizadas, ele venceu a corrida do sábado (23) e é o quarto colocado no campeonato — atrás de Craig Lownde, Mark Winterbottom e Jamie Whincup.

Agora, esta corrida faz parte do calendário da Super Sprint. A V8 Supercars traz outras categorias — entre elas, a Endurance Cup, com corridas de longa duração de até 1.000 km. A mais famosa delas é a Bathurst 1000, que acontece todos os anos circuito de Mount Panorama e é tão importante que é tratada quase como uma prova separada — ela tem até seus próprios recordes.

O piloto mais rápido a dar uma volta no estreito e rápido circuito de Mount Panorama em uma corrida da Bathurst 1000 foi Jamie Whincup, que percorreu o circuito em 2:08,465. Contudo, as voltas mais rápidas registradas no circuito acontecem durante os treinos de classificação. Desde o início do século, dois pilotos quebraram recordes em Bathurst durante os treinos da V8 Supercars. O primeiro foi Greg Murphy, em 2003, que virou 2:06,859 — sua volta virou um clássico, e é tão rápida e precisa que o vídeo parece acelerado. Sério:

Sete anos depois, Craig Lowndes quebrou este recorde também durante os treinos de classificação. E a margem foi pequena: Lowndes virou 2:06,801. O vídeo de sua volta é um onboard — daqueles bem emocionantes, que te fazem se agarrar na cadeira e se imaginar ali, junto com o piloto:

Mas você sabe de outra coisa legal na V8 Supercars? Os carros voam!

Isto acontece porque boa parte das provas da V8 Supercars é disputada em circuitos de rua — que têm zebras altas como calçadas, a fim de desencorajar os pilotos a usá-las como extensão da pista. Mas exatamente por esse motivo os engenheiros das equipes levam isso em conta na hora de projetar os sistemas de suspensão, e os fazem bem resistentes para que os pilotos não tenham que se preocupar com nada. O resultado são estas decolagens (e alguns acidentes) espetaculares do vídeo acima.

Agora, também acontecem algumas coisas estranhas, quase sobrenaturais — como pneus com consiência própria! Duvida? Então assista a este vídeo:

Na V8 Supercars, os pneus são chamados de control tyres — eles são padronizados e fornecidos por uma única fabricante (no caso, a Dunlop). Só que nesta corrida — a Canberra 400, em 2001, o piloto Marcus Ambrose perdeu uma das rodas em uma curva — e o pneu deve ter sentido saudade de seus amigos e foi direto se juntar a eles na barreira de pneus. Este deveria se chamar self-control tyre (argh)!

Para fechar esta mini-seleção de vídeos para explicar por que a V8 Supercars é fodástica, é impossível não lembrar do tempo em que a Bathurst foi dominada pelos motores V12 — sim, é isto mesmo! Na década de 80, Tom Walkinshaw levou seus Jaguar XJS com motores V12 para a montanha australiana, e virou tempos na casa dos 2:08 segundos — que ainda são a norma hoje em dia durante as corridas. A tocada suave e o ronco do motor com quatro cilindros a mais formam uma combinação épica e nostálgica até para quem não havia nascido.

E é por isso que a V8 Supercars é uma das categorias mais legais do automobilismo. Agora, se você conhecer mais vídeos, a caixa de comentários é toda sua!

Matérias relacionadas

Uma disputa épica entre dois Porsche 911 Carrera RSR e um Shelby GT350 em Road Atlanta

Dalmo Hernandes

Nissan R90CK: domando um protótipo Le Mans de 1.100 cv no Circuito de La Sarthe

Dalmo Hernandes

Em primeira pessoa: comece o dia ao volante de um McLaren P1

Dalmo Hernandes