FlatOut!
Image default
Car Culture

Duro de matar: todas as versões do Zonda feitas depois do fim do Zonda (wat?)

Está lá na linha do tempo da Pagani Automobili: o Pagani Zonda C12 foi lançado em 1999 no Salão de Genebra e foi produzido até 2011, quando finalmente saiu de linha para dar lugar ao Huayra. O problema é que, desde então, a fábrica italiana continuou lançando versões especiais e exclusivas feitas por encomenda, deixando o universo automotivo, no mínimo, confuso: como um carro que saiu de linha pode ganhar tantas versões depois do fim de sua produção?

Isso é explicado pelo contrato que Horacio Pagani fez com a Mercedes-AMG para o Huayra. O acordo prevê apenas o fornecimento de 100 motores M158 V12 turbo de seis litros — um para cara exemplar da série prevista para o Huayra. Assim, a única forma de comprar um Pagani zero-quilômetro atualmente é encomendando um Zonda, que usa o velho motor M120 V12 aspirado de 7,3 litros. É por isso que a Pagani lançou tantas versões especiais do Zonda desde o fim de sua produção em série. A seguir vamos ver cada um deles:

 

Zonda MD

Pagani-Zonda-MD-26

O mais recente da lista foi apresentado nesta semana: o Zonda MD. Batizado com as iniciais de seu proprietário anônimo, ele usa carroceria de fibra de carbono exposta com uma fina camada de tinta azul, e interior de couro marrom, com detalhes em alumínio anodizado e bancos de Alcantara bege. Visualmente ele é inspirado no Zonda 760, mas sem os apêndices aerodinâmicos e barbatana central. O motor é o mesmo 7.3 V12 aspirado de 760 cv combinado com câmbio manual de seis marchas.

 

Zonda 760 RS

1a6540ef-aa40-d26e-dc9e179de0bec33a

Concluído em 2012, foi o primeiro Zonda feito por encomenda após o fim da produção. Seu proprietário é um executivo chileno amigo de Horacio Pagani. É basicamente um Zonda R adaptado para ser licenciado e rodar nas ruas. Por isso ele tem aquela barbatana longitudinal centralizada na traseira do carro e câmbio sequencial no lugar do manual de seis marchas para controlar os 760 cv do motor 7.3.

 

Zonda 760 LH

lewis-hamilton-zonda-3

Sendo um piloto milionário da Fórmula 1, Lewis Hamilton pode ter qualquer carro que desejar. Talvez buscando algo mais exclusivo que seus AMG Black Series (um SL e um SLS), mas mantendo a relação com a Mercedes, o britânico tenha chegado à Pagani. E foi lá que pediu sua versão de rua do Zonda R, com pintura roxa, interior roxo, motor V12 de 760 cv, mas com câmbio manual em vez do câmbio sequencial — afinal, de sequencial já basta seu carro de trabalho.

 

Zonda 764 Passione

Pagani-Zonda-764-Passione-front-three-quarter1

Este não é exatamente um Zonda “pós-produção”, mas como voltou à fábrica para ser modificado em 2012, resolvemos incluí-lo na lista. Trata-se do chassi #83 do Zonda F modificado com elementos estéticos/aerodinâmicos do 760 RS (barbatana, tomada de ar sobre o teto e asa traseira mais elevada), fibra de carbono exposta com dois tons de cinza e faixas com o tricolor italiano no bico do carro. Por dentro ele buscou inspiração no 760 LH, e tem revestimento roxo e rosa com volante de madeira. O motor é o 7.3 V12 de 760 cv e, como o 760 LH, também tem câmbio manual. Foi entregue ao seu proprietário em Tóquio, em dezembro de 2012.

 

Zonda 760 Fantasma

5f1314fc-0e5e-4131-82f0-27271c85316b

Este é outro Zonda F que voltou para a fábrica, mas neste caso, após um grave acidente ocorrido em Hong Kong em 2012. O carro foi comprado pelo empresário britânico Peter Saywell, que o vendeu para um executivo chinês de Hong Kong que acabou batendo o carro. O chassi #53 então foi enviado à fábrica onde foi reformado e recebeu os upgrades para se tornar um 760 — incluindo a nova dianteira, elementos aerodinâmicos e, claro, o motor V12 de 760 cv. A pintura é vinho com a porção central do carro em cinza escuro. Os tons são separados pelo tricolor italiano como no Passione. As rodas são as originais do Zonda F, assim como seu interior.

 

Zonda 760 Roadster

Foi o primeiro 760 Roadster produzido e o primeiro 760 de 2015. Embora alguns fóruns digam que este 760 Roadster seja um Zonda F reconstruído, ele na verdade foi fabricado do zero com o novo chassi de carbono titânio. A carroceria é pintada com uma camada fina de tinta azul para manter a fibra de carbono exposta. Por dentro ele usa couro preto a Alcantara, e tem com detalhes exclusivos uma pequena faixa tricolor com as cores da Itália na asa traseira, parafusos de roda azuis e pinças de freio pretas como as rodas.

 

Zonda 760 Kiryu

Blue hypercar roadster Pagani Zonda Kiryu races at Fuji Speedway in Japan (1)

O segundo Zonda de 2015 é também o segundo roadster 760 (e o segundo da série feito para um cliente japonês). Sua carroceria usa fibra de carbono tingida de azul combinada com fibra de carbono natural envernizada. Como os demais 760, o Kiryu usa o V12 de 7,3 litros e 760 cv.

 

Zonda 760 LM e 760 LM Roadster

Outro modelo derivado do 760 RS, desta vez como homenagem às 24 Horas de Le Mans. É o único Zonda com faróis diferentes e equipado com uma asa traseira ainda maior que a original do 760 RS. O LM também usa faixas tricolores, mas desta vez com as cores da Itália de um lado e da Alemanha de outro lado. Todo o restante segue o padrão do 760 RS, exceto o motor V12, que foi modificado para produzir 800 cv. Ah, e ele também tem uma versão roadster:

Pagani-Zonda-760LM-Roadster

O LM Roadster tem as mesmas configurações e características da versão fechada, porém no lugar das faixas de três cores, ele tem um filete verde fluorescente no bico, nas laterais e nas bordas das rodas.

 

Zonda ZoZo

Captura de Tela 2016-06-30 às 20.35.40

O nome ZoZo não é um apelido carinhoso para o Zonda, e sim uma referência a uma das maiores lojas de roupas japonesa Zozotown, fundada por Yusaku Maezaw, dono do carro. O Zonda ZoZo é um Zonda R misturado com protótipo do Grupo C, com suas rodas traseiras parcialmente cobertas e asa traseira fixa. O motor é o mesmo V12 7.3 de 760 cv de quase todos os demais desta lista.

 

Zonda 760RSJX

Captura de Tela 2016-06-30 às 20.32.25

Foto: Ron Alder

Encomendado por um cliente de Hong Kong, o modelo é um 760 RS com pintura azul e porção central em fibra de carbono envernizada, decorada com a faixa tricolor italiana.

Captura de Tela 2016-06-30 às 20.32.46

Foto: Ron Alder

Outro detalhe exclusivo do modelo é o painel das lanternas traseiras pintado na cor do carro. Também é equipado com o 7.3 V12 de 760 cv.

 

Zonda 760 VR

11162190_869580869769683_5085773006543169088_n-640x400

Este 760 VR originalmente era um F Roadster (chassi 22 de 25) e, apesar do nome 760, ele combina a asa traseira e a barbatana do 760 com os respiros e dutos de ar do Zonda Cinque. Ele também não tem os para-lamas parafusados nem o splitter frontal do 760, e seu difusor foi feito especialmente para este exemplar.

 

Zonda PS

Image00010

O Zonda PS foi encomendado pelo milionário britânico Peter Saywell (o mesmo que vendeu o 760 Fantasma para Hong Kong) em 2009. Ele era originalmente branco e tinha um arranjo de escape oval com as quatro saídas lado a lado em vez dos pares sobrepostos.

O carro reapareceu em 2013 totalmente modificado com os elementos do 760, além da asa traseira e do scoop do Zonda R. Há quem diga, contudo, que trata-se de um carro totalmente novo, e não um remake.

 

Zonda JC

Pagani-Zonda-760-JC

O JC é um Zonda 760 com algumas modificações estéticas como o LM. Ele traz duas saídas de ar no capô e conjunto óptico próprio. Foi feito em 2014 para o chinês Simon Yin, que tem em sua coleção um Huayra de carbono roxo, o Bugatti Veyron Merveilleux, um Koenigsegg One:1 de carbono rosa, um McLaren P1, um Porsche 918 com pintura da Martini e uma LaFerrari branca.

Além das modificações estéticas, ele também usa a asa traseira do Zonda Revolución e o motor 7.3 V12 recalibrado para produzir 780 cv.

Matérias relacionadas

Concessionárias-fantasma: as cápsulas do tempo do mundo automotivo

Dalmo Hernandes

Um cara salvou este VW Golf Harlequin do ferro-velho e agora está cruzando seu país com ele

Dalmo Hernandes

Rubbish! Os piores carros de 2015 e 2016, segundo Jeremy Clarkson

Dalmo Hernandes