A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo

Eis o novo carro de Fórmula 1 para a temporada de 2021

Dentre as inúmeras reclamações que os fãs da Fórmula 1 têm em relação à atual configuração da categoria, uma das mais frequentes diz respeito ao design dos carros. Fala-se que eles cresceram demais; critica-se a complexidade dos componentes aerodinâmicos, que priorizam o aspecto técnico sem dar a devida importância à estetica; condena-se a adoção do halo, que protege o piloto mas ainda causa estranhamento; e, claro, denuncia-se a falta de ânimo e personalidade do ronco dos motores V6.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Os monopostos da maior categoria do automobilismo dificilmente voltarão a ser as máquinas esbeltas, elegantes e barulhentas do passado, isto é fato. Mas a FIA já está preparando novas diretrizes para a Fórmula 1, que serão adotadas a partir de 2021. E elas prometem um novo padrão de design para os carros, com o intuito de torná-los mais bonitos, sim, mas também mais competitivos.

Agora, a organização divulgou um vídeo dando alguns detalhes sobre o novo projeto. Infelizmente a incorporação foi desativada, mas você pode assisti-lo aqui – e recomendamos fortemente que o faça antes de continuar lendo.

Pronto? Vamos, então, aos comentários.

Embora seja um modelo em escala, o carro que aparece no vídeo é a primeira versão física do novo projeto – até agora, a FIA havia divulgado ilustrações e projeções computadorizadas, apenas. O que se vê é algo menos conceitual e mais concreto, com elementos que provavelmente estarão nos carros das equipes.

Segundo a FIA, os testes no túnel de vento com um modelo físico só acontecem após uma intensa bateria de simulações computadorizadas, a fim de refinar as formas do carro.

O intuito principal da FIA é facilitar ultrapassagens e permitir que os carros que estão na frente sejam seguidos mais de perto pelos carros que vem de trás. Para isto, o novo regulamento definirá componentes aerodinâmicos que gerem menos turbulência na traseira. Com o design atual, a turbulência gerada faz com que o carro que vem atrás perca até 50% da downforce, o que dificulta a aproximação e, consequentemente, a ultrapassagem. Essa era uma das principais críticas dos fãs, que sentem falta das ultrapassagens “no vácuo”.

Simulações computadorizadas mostraram que a nova proposta pode reduzir esta perda de downforce para algo entre 5% e 10%, e isto foi confirmado nos testes em túnel de vento. Como eles conseguiram?

Embora a FIA ainda não dê muitos detalhes, há alguns elementos-chave que contribuíram para isto. O primeiro é o novo formato dos sidepods, que agora ficaram muito mais limpos, assim como novas as extensões do assoalho – as “saias laterais”, que agora têm formato de “U” e vêm com dutos Venturi na parte posterior.

O desenho da asa traseira também é novo, e radicalmente diferente do que se vê nos carros atuais. Com formas mais orgânicas e um novo defletor na parte superior, a asa foi criada para desviar o fluxo aerodinâmico para cima, afastando a turbulência do carro que vem atrás.

Outra mudança importante, que já havia sido anunciada antes, está nas rodas: a partir de 2021, a Fórmula 1 adotará rodas de 18 polegadas no lugar das rodas de 13 polegadas que são usadas desde a década de 1970. Segundo a FIA, o principal intuito é obter um visual mais atual, ao mesmo tempo em que se consegue mais espaço para os discos de freio. Os pneus de perfil mais baixo manterão o diâmetro do conjunto inalterado, e as novas rodas exigirão que as equipes reformulem por completo a geometria de suspensão para compensar a mudança. Serão adotadas calotas para controlar o fluxo do ar que passa pelas rodas, em mais uma maneira de reduzir a turbulência.

A FIA ressalta, porém, que o carro em escala é um modelo genérico, e que ainda existem ajustes a ser realizados – em especial na frente do carro. Isto posto, a miniatura já traz uma asa dianteira de desenho mais limpo e simples, e seu design é um bom indicativo do que podemos esperar para a temporada de 2021.

A prioridade no momento, segundo a FIA, é procurar brechas em seu próprio regulamento, a fim de evitar que as equipes as encontrem e as explorem. Para isto, novos testes em túnel de vento estão marcados ainda para este ano. O primeiro acontecerá em outubro, depois do qual serão publicadas as novas regras técnicas e administrativas que entrarão em vigor em 2021. Então, será feito outro teste em dezembro, mas os resultados serão utilizados apenas para pequenos ajustes no regulamento, sem mudanças nos fundamentos.

Matérias relacionadas

Sim: nós temos (e tivemos) circuitos de rua no Brasil

Leonardo Contesini

O Legado Lauda: a Ferrari 312 arrepia Monaco a 12.500 rpm para o cinema

Dalmo Hernandes

Mazda RX-7 254: o monstro com motor Wankel que correu em Le Mans nos anos 80

Dalmo Hernandes