A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Eis o que acontece quando se coloca Walter Röhrl ao volante de um Audi A1 de 560 cv

Walter Röhrl é uma lenda do rali, com dois títulos (1980 e 1982 — este já no lendário Grupo B), 14 vitórias e 420 estágios vencidos. O Audi S1 EKS RX quattro é provavelmente o Audi A1 mais insano do planeta, feito para disputar provas de rallycross e capaz de chegar aos 100 km/h em 2 segundos cravados. Sim, DOIS SEGUNDOS — na terra (ao menos é o que a EKS diz). O que acontece quando se coloca os dois juntos? Mágica.

Há uma boa razão para que Röhrl tenha sido chamado pela EKS, umas das equipes da Red Bull Racing, para pilotar um Audi S1: o piloto alemão foi um dos responsáveis pelo bom desempenho da Audi no WRC a partir de 1984 — ano em que a fabricante alemã conseguiu seu segundo título de construtores no WRC. Röhrl fazia parte da equipe ao lado de Stig Blomqvist, Michéle Mouton e Hannu Mikkola.

Seu melhor resultado com a Audi foi o terceiro lugar no pódio final em 1985, ano em que venceu o Rally Sanremo, na Itália, ao volante do Audi Sport quattro S1 E2. E foi este carro que Röhrl levou para o circuito de Estering, na Alemanha, por onde passa uma das etapas do Campeonato Mundial de Rallycross.

Dá para ver que Röhrl se divertiu bastante ao lado do sueco Mattias Ekström, piloto principal da equipe de rallycross da Red Bull que terminou o campeonato de 2014 em décimo lugar. Ambos deram algumas voltas com Röhrl no volante, que ficou impressionado com a potência e a leveza do S1 da EKS. Baseado no Audi A1, o monstrinho de rallycross tem um quatro-cilindros de dois litros e 560 cv, acoplado a uma caixa sequencial de seis marchas que leva a força para as quatro rodas, claro.

audi (1)

Pensando bem, não é muito diferente do carro que Röhrl pilotou em 1985 — a configuração mecânica é bem parecida, com um cinco-cilindros turbo de 2,1 litros e 500 cv, tração integral e câmbio manual de seis marchas que também leva a força para as quatro rodas. Não foi à toa que o bicampeão do WRC ficou bem à vontade com o S1 no estreito circuito de Estering. Até imaginamos que ele não faria feio em uma competição de rallycross, mesmo do alto de seus 67 anos.

Infelizmente, a EKS não divulgou cenas do Audi Sport Quattro S1 E2 acelerando em Estering, o que é uma pena. Ao menos sempre existem as filmagens de época…

A EKS diz em seu canal do YouTube que poderá divulgar mais vídeos do encontro entre Röhrl e Ekstrom num futuro próximo. É claro que vamos esperar bem atentos!

 

Matérias relacionadas

É assim que se sobe uma pista de esqui com um protótipo de corridas

Dalmo Hernandes

9,4 litros, dois turbos e 3.400 cv: toda a selvageria do Murder Nova

Dalmo Hernandes

Acredite: isto é um Corvette retrô-futurista feito sob medida – e único no mundo todo

Dalmo Hernandes