FlatOut!
Image default
Car Culture

Enciclopédia dos graxeiros: a história dos manuais Haynes – e de seu criador

Quem é graxeiro sabe que procurar uma boa oficina e um mecânico pode ser um duro desafio – especialmente para quem tem um project car ou uma lasanha em casa. Por isto, não é incomum que os entusiastas acabem decidindo-se por fazer o serviço por conta, em sua própria garagem. Nesta situação, pode ser uma excelente ideia procurar um manual Haynes – ou, em inglês, um Haynes Owner’s Workshop Manual.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Os manuais Haynes são a verdadeira enciclopédia da manutenção de automóveis. Existem volumes dedicados a vários modelos diferentes, clássicos e modernos. E todos eles trazem informações detalhadas, ilustrações, fotos e diagramas que ensinam a realizar diversos reparos, dos mais simples aos mais complexos, com explicações precisas e de fácil compreensão.

John Haynes, o criador do manual Haynes, morreu no último dia 8 de fevereiro, aos 80 anos de idade. Sua morte foi anunciada ontem (11) através de um pronunciamento oficial da Haynes Publishing. Embora pouco se fale a seu respeito, Haynes foi uma figura importantíssima para toda a comunidade entusiasta.

John Harold Haynes nasceu no dia 25 de março de 1938, no antigo Ceilão (hoje República do Sri Lanka), onde seu pai, Harold Haynes, era gerente de uma fazenda de chá. Aos 12 anos, John mudou-se para o Reino Unido com seu irmão mais velho, David, para estudar em um internato na cidade de Sutton.

Para sua sorte, John mudou-se para um país com imensa tradição na indústria automobilística e no automobilismo – o lugar perfeito para um entusiasta em formação. Em pouco tempo ele descobriu que tinha talento para as artes e para a engenharia. Em determinado momento, ele pediu permissão ao diretor do colégio para faltar aos treinos de rugby e, em vez disto, usar o tempo livre para dedicar-se a seu project car. John Haynes tinha um Austin 7, um dos carros mais populares do Reino Unido durante as décadas de 1920 e 1930, e queria transformá-lo em um esportivo – um Special, como se costumava dizer naquela época. E o diretor deixou.

Depois que o projeto ficou pronto, John curtiu o carro algum tempo e então, decidiu colocá-lo à venda em um anúncio no jornal local. Haynes recebeu mais de 150 propostas e conseguiu vender o Austin Special com um bom lucro – e isto lhe deu uma ideia. Ele resolveu escrever um manual, explicando o passo-a-passo de todas as modificações que fez no carro, a fim de ajudar a quem quisesse construir seu próprio Austin Special. O livreto, intitulado Building a 750 Special (“Construindo um 750 Special”), teve 250 exemplares impressos, e todos eles foram vendidos em dez dias.

Depois de terminar os estudos, John entrou para a Força Aérea Real (a Royal Air Force, ou RAF), onde teve ainda mais contato com máquinas e motores, enquanto nas horas de folga podia dedicar-se a construir e pilotar carros de corrida em circuitos locais. Durante seu período na RAF, Haynes conheceu sua futura esposa, Annette. O presente acabaria servindo pouco tempo depois, em 1960, quando Haynes fundou sua editora, a Haynes Publishing Group, enquanto ainda trabalhava na Força Aérea.

Não demorou muito para que o primeiro manual Haynes fosse publicado. Em 1965, um colega de Força Aérea pediu a John que lhe ajudasse a restaurar um Austin-Healey Sprite – o roadster britânico que ficou famoso por sua dianteira que lembra um rosto sorridente e por sua excelente dinâmica. John aceitou e, ao começar o trabalho, logo se deu conta de que o manual de serviço do carros era voltado a oficinas mecânicas e concessionárias, e não a entusiastas que queriam se aventurar por conta própria.

Lembrando a boa experiência que teve com seu Austin Special, Haynes decidiu ele mesmo criar um manual para o Austin-Healey Sprite. Ele comprou uma câmera e fotografou cada passo da desmontagem do motor, e fez o mesmo para a montagem. Depois, descreveu cada uma das etapas do processo, e também desenhou alguns diagramas vistas explodidas dos componentes do carro. Estas características, somadas à linguagem mais informal e compreensível, formaram a base para o sucesso dos manuais Haynes.

 

Este primeiro livro foi publicado em 1966. A primeira edição, de 3.000 exemplares, esgotou em seis meses. Hoje em dia, mais de 400 modelos de automóveis receberam seus manuais Haynes – todos com a mesma atenção aos detalhes, e todos eles com base na desmontagem e na remontagem do carro em questão. E estamos falando de todos os tipos de carros – populares, esportivos e carros de corrida.

Com o passar dos anos, foram publicados manuais Haynes sobre componentes específicos dos automóveis, como carburadores, caixas de transmissão, motores, sistemas de injeção eletrônica, suspensões e freios – feitos com os mesmos critérios dos manuais para os carros.

Também existem edições para outros tipos de veículos, como aeronaves, embarcações, equipamentos militares e até para satélites da NASA. E, aproveitando o formato, a Haynes também lançou alguns manuais humorísticos, que fazem parte da série Haynes Explains (“Haynes Explica) – é possível comprar manuais Haynes para entender as mulheres, os bebês, os adolescentes e, por incrível que pareça, até mesmo o casamento.

Embora sejam mais sarcásticos e informais, estes manuais Haynes são divertidos e se tornaram populares até mesmo entre quem não conhece sua história com os carros.

Matérias relacionadas

Nove animes de carro que você precisa assistir (que não são Initial D)

Dalmo Hernandes

Os Ford Escort mais incríveis que não tivemos no Brasil

Dalmo Hernandes

R$ 632 mil: é o preço do Bugatti Veyron mais barato do mundo (e um pouco batido). Você pagaria?

Dalmo Hernandes