A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo Carros Antigos Vídeo

Esta briga entre um Alfa Romeo 1600 GTA e um Mini Cooper no Goodwood Revival é nada menos que épica

Em um mundo com hot hatches com motores turbinados e mais de 300 cv (Honda Civic Type-R e Focus RS, é de vocês mesmos que estamos falando) e hipercarros disputando ferozmente no reino dos 1.500 cv, é sempre bom parar para apreciar o automobilismo de raiz. Ainda mais se os carros clássicos em questão forem dois verdadeiros heróis da velha escola que mostram que rios de potência não são a única forma de ser rápido: bastam uma carroceria peso-pena, dinâmica acertada e um grande piloto para garantir o espetáculo.

Os dois carinhas aí em cima, um Alfa Romeo 1600 GTA e um Mini Cooper clássico, são nosso argumento de hoje. Isto porque eles protagonizaram os melhores dois minutos e quarenta segundos de automobilimo que vimos em dias — podem confiar no que estamos falando.

Aconteceu durante o Goodwood Revival 2015, em setembro do ano passado, mas só agora o vídeo foi publicado no site do evento — que, aliás, sempre resgata momentos bacanas de edições passadas. A única pergunta é: por que diabos eles demoraram tanto para nos presentear com esta beleza?

O Goodwood Revival traz diversos carros de corrida antigos disputando na pista e é, de certa forma, um esquenta para o Goodwood Festival of Speed, evento de proporções muito maiores que envolve, além das provas históricas, exposições, leilões, estreias de carros conceito e subidas de montanha.

do

Uma das provas mais aguardadas do Goodwood Revival é o St. Mary’s Trophy, que reúne carros de turismo europeus da década de 1960 — clássicos como BMW 1800, Lotus Cortina, Ford Anglia e  Jaguar Mk2, além dos já citados Alfa Romeo Giulia e Mini Cooper, que foram os astros da corrida.

Isto porque estamos falando de dois carros que trazem a mesma filosofia básica, mas são diferentes nos detalhes. Ambos são leves e têm motores que não são exatamente fortes. Ambos competem na categoria abaixo de dois litros — o Alfa Romeo tem um quatro-cilindros de 1,6 litro preparado para render algo entre 150 e 170 cv, enquanto o Mini Cooper usa um motor de 1,3 litro com cerca de 120 cv. E ambos mostram que não é preciso muito mais do que isto para proporcionar uma verdadeira batalha na pista.

grrc (2)

Com tração traseira e um pouquinho mais de potência, o Alfa Romeo do italiano Alex Furiani defende sua posição das investidas do britânico Nick Swift. No entanto, a tração dianteira do Mini não representa exatamente uma desvantagem: o entre-eixos mais curto e as rodas nas extremidades o tornam praticamente invencível em termos de agilidade — especialmente nas entradas de curva. No vídeo onboard (que traz a corrida toda) abaixo dá para ter uma boa noção de como Swift precisava brigar com o carro a todo momento.

Por outro lado, a menor potência fazia com que o Mini perdesse fôlego no meio das curvas e o Alfa Romeo conseguisse segurar-se à frente. Os dois carros se beneficiam de suas características naturais, como a inércia polar reduzida (o carro muda de direção com mais agilidade graças ao entre-eixos reduzido), mas a vantagem dinâmica do Mini acaba sendo superada pela potência extra do Alfa Romeo.

Independentemente de tudo isto, porém, também devemos parar uns instantes para admirar o espetáculo em si. Como se trata de um evento voltado a gentlemen drivers — caras experientes ao volante, que costumam dirigir esportivos clássicos em eventos como o Goodwood Revival —, vemos uma disputa acirrada, porém respeitosa: nada de pegar leve, mas também nada de manobras sujas e desnecessariamente agressivas.

Tem até o vídeo da corrida toda, para quem estiver interessado. E a gente sabe que você está!

[ Dica do leitor Helder Rueda ]

Matérias relacionadas

N-Attack! Como a Nissan transformou o GT-R em um monstro de Nürburgring

Leonardo Contesini

Norman Dewis: o maior piloto de testes do mundo – que você não conhecia

Dalmo Hernandes

As subidas de montanha da Polônia devem ser as corridas mais insanas do planeta

Leonardo Contesini