A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

Esta é a maior e mais incrível pista de autorama do planeta – e ela está à venda!

Martin Brundle teve uma carreira e tanto nas pistas. Você talvez o conheça como o principal rival de Ayrton Senna na F-3, mas ele também teve uma carreira consistente na F1 entre 1984 e 1996, venceu o Mundial de Carros Esporte (WSC, o “avô” do atual WEC), as 24 Horas de Le Mans e quebrou o recorde mundial de velocidade com o Jaguar XJ220 em 1992.

Desde sua aposentadoria, ele vem se dedicando à atividade de comentarista da Sky Sports, canal que transmite a F1 no Reino Unido. Mas parece que entre uma entrevista e outra, ele arranjou um tempo para o primeiro hobby de muitos gearheads, e construiu a maior, mais desafiadora e mais incrível pista de autorama já feita. Sério, não é exagero.

birds_eye_view_of_the_ultimate_race_track_hr

Tudo começou quando o pessoal da Sky Sports desafiou Brundle dizendo algo como “Martin, como seria o circuito de Fórmula 1 dos sonhos na temporada de 2015?”. Brundle contou ao Top Gear.com que logo de cara pensou em um circuito em forma de 8, como Suzuka, e sempre sonhou com uma série de curvas como a subida da Curva 1 em Austin, seguida pelo S do Senna de Interlagos antes de entrar na temida Copse, de Silverstone. Assim ele foi somando as melhores curvas para fazer o traçado dos sonhos da F1 moderna.

F1DreamTrack

O circuito começa com a reta de largada de Silverstone, seguido da Prima Variante (ou variante Goodyear) de Monza (1 e 2), porém invertida em relação à original. Em seguida, vem a Curva 1 do Circuito das Américas (3), entrando no S do Senna (4), seguido da Curva do Sol de Interlagos (5). Depois temos a Copse de Silverstone (6), Curva do Cassino e Massenet (7 e 8) de Monte Carlo, Eau Rouge (9, 10 e 11) de Spa-Francorchamps, Curva 1 de Suzuka (12), Curva 4 de Sochi (13) e Nordkurve (14) de Hockenheim.

monaco_corner_hr

Dali o circuito chega à Virage du Casino do circuito Gilles Villeneuve, que termina nas curvas do Muro dos Campeões (15 e 16), seguida da Piscine de Mônaco (17 e 18) e da Curva 8 do Bahrein (19). O traçado chega então a Albert Park, em Melbourne, com a saída da Chicane Clark (20), Curva 9 (21) e Waite (22).

O setor seguinte usa a reta maior e as curvas 14 e 15 do circuito de Xangai (23 e 24), voltando para a Variante Ascari de Monza (26, 27 e 28), passando pelas Curvas 11, 12, 13 e 14 de Yas Marina (29, 30, 31 e 32) e pela chicane RACC e a curva New Holland do Circuito da Catalunha (33, 34 e 35). Em seguida vem a Curva 7 de Sepang (36), e a Raffles Avenue de Marina Bay (36, 37, 38 e 39).

cars_racing_the_track_2

O último trecho reproduz a aproximação da Curva 4 de Hungaroring (40) e a sequência de esses do Autódromo Hermanos Rodríguez (41 a 44), antes de voltar para a reta de Silverstone.

Só que o projeto parecia bom demais para ficar no papel: os caras da Sky Sports compraram uma montanha de peças de autorama e chegaram à pista mais legal e mais desafiadora que já vimos — um protótipo do circuito dos sonhos. Foram nada menos que 177 peças e 45 metros de extensão, com direito até mesmo às variações de relevo das pistas reais.

A pista foi usada pela Sky para desafiar apresentadores e pilotos. O vídeo acima mostra Brundle tentando disputar uma corrida com Johnny Herbert, e abaixo você vê Damon Hill e Anthony Davidson fazendo o mesmo.

Agora, depois de alguma diversão nos bastidores, eles decidiram leiloar a pista em um evento chamado CarFest South, que acontece no final deste mês de agosto. A renda será totalmente revertida uma campanha chamada “Children in Need”, algo como uma versão britânica do “Criança Esperança”.

Agora… já que estamos falando em circuito dos sonhos, como seria o seu circuito dos sonhos? Qual combinação de curvas famosas você juntaria em um só traçado?

Matérias relacionadas

Qual foi o primeiro carro do mundo equipado com direção hidráulica?

Dalmo Hernandes

Por que não se fazem mais postos de gasolina estilosos como antigamente?

Leonardo Contesini

Os Ford Mustang da Retrobuilt: quando só “retrô” não é o suficiente

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados