A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Sessão da manhã

Esta Ford F-100 1969 é um monstro com motor de Cadillac CTS-V e 800 cv

Talvez você olhe para esta Ford F100 e pense que é só mais uma picape antiga restaurada e rebaixada — elas são bem comuns e antigomobilistas mais radicais costumam torcer o nariz. De qualquer forma, este não é só mais um destes projetos: trata-se de um verdadeiro canhão, equipado com um V8 derivado do CTS-V (incluindo o compressor Eaton de 1,9 litro), novos cabeçotes e outros upgrades para entregar mais de 800 cv.

O cara por trás desta picape se chama Tommy Pike e sua oficina, Tomy Pike Customs. O negócio é dele desde 2000, e começou como uma oficina de funilaria e pintura onde Tommy trabalhava na década de 90, quando havia acabado de sair do ensino médio. Na virada da década ele comprou o lugar e o transformou em uma oficina de restauração e customização.

A TPC faz de tudo quando o assunto é estética de carros antigos, de restaurações completas, parafuso a parafuso, passando por restomods e customizações completas. “Somos uma companhia de lifestyle automotivo”, ele contou ao Hagerty.com. “Fazemos qualquer coisa que nossos clientes quiserem.”

De fato, há alguns carros no portifólio da oficina que não agradariam a todo mundo (cores berrantes demais, cromados demais, rodas grandes demais) mas, de qualquer forma, gosto é subjetivo, pessoal e intransferível. Até porque o foco aqui é o seu projeto mais incrível: a tal Ford F100 com motor do Cadillac CTS-V, que só levou seis meses para ficar pronta.

f100-cts-v (23) f100-cts-v (24)

Começou como uma picape em pedaços, com chassi de um lado, carroceria do outro e nenhum motor, mas Tommy queria transformá-la em algo único. Sua esposa, que ele conheceu em um evento no circuito oval de Charlotte Motor Speedway e hoje cuida de boa parte dos negócios, o ajudou a firmar uma parceria com a Quaker State, que fabrica lubrificantes automotivos — e é a razão para a pintura verde e dourado, cujo resultado estético é meio chocante no início, mas depois a gente se acostuma.

cts-v

De qualquer forma, o foco aqui é o que tem por baixo do capô da picape: um V8 com bloco LSA de 6,2 litros e compressor mecânico Eaton de 1,9 litro — os mesmos usados no Cadillac CTS-V —, porém com cabeçotes LS3 usinados em CNC. Com novas polias, novo comando de válvulas e um sistema de alimentação Aeromotive, a picape entrega mais de 800 cv, moderados por uma caixa automática Ford C-6 reforçada, de três marchas.

f100-cts-v (21)

As fotos mostram um pouco do processo de recuperação e modificação: o chassi foi recuperado e repintado, recebendo reforços estruturais e um suspensão totalmente nova, independente com braços sobrepostos na dianteira e na traseira vindos de um Ford Crown Victoria e de um Lincoln Mark VIII (este último também cedeu o diferencial traseiro). As rodas originais deram lugar a um jogo de rodas feito sob medida pela TPC, de 20 polegadas, com pneus Michelin Super Sport de medidas 265/35 na dianteira e 335/30 na traseira.

O interior recebeu um novo painel de instrumentos personalizado, um banco inteiriço restaurado e novos revestimentos nas portas — visual tipicamente hot rodder e, se nos permitem, mais bonito do que o lado de fora. Dados de desempenho não foram divulgados, mas Tommy diz que “é um monstro, de verdade, e não dá para descrever com palavras como é dirigir esta coisa”. Pelo ronco produzido pelo escape de 3”, dá para acreditar nele.

f100-cts-v (6) f100-cts-v (5)

Matérias relacionadas

Salão de Tóquio: os principais destaques e um passeio fotográfico pelo evento japonês

Leonardo Contesini

O DeLorean DMC-12 vai voltar em 2017 com um motor de até 400 cv – e agora é para valer

Dalmo Hernandes

O dicionário Inglês-Português de termos automobilísticos do FlatOut – Parte 3 de 3

Leonardo Contesini