A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Esta rara pick-up Willys “Bicudinha”,sob medida para ser restaurada, está à venda

Ainda é comum vê-la em plena atividade nas cidades do interior do País: a Willys Rural, derivada do Jeep Willys que oferecia uma carroceria mais cômoda e tradicional, mas era montada sobre a mesma plataforma do 4×4 e compartilhava de sua capacidade de enfrentar terrenos difíceis.

Agora, o que se costuma ver com mais frequência é o modelo com a dianteira desenhada especificamente para o mercado brasileiro, com capô mais largo e para-lamas mais integrados à carroceria. Exemplares como o nosso Achado meio Perdido de hoje, com o visual inaugurado nos EUA e trazido para o Brasil na virada dos anos 50, são muito mais raros. Esta pick-up Willys 1951 está anunciada no GT40, e nós vamos dar uma olhada nela com mais detalhes a partir de agora.

img_216404_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

Como já mencionamos por aqui outras vezes, o Jeep chegou ao Brasil como veículo militar já na década de 1940, quando serviu ao exército do País – fazíamos parte dos Aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Logo após o fim do conflito a Willys-Overland percebeu que havia demanda da população por aquele veículo compacto, robusto e confiável, tanto por quem buscava um veículo de trabalho que também pudesse ser usado na cidade (diferentemente de um trator, por exemplo) quanto por quem só queria encarar trilhas por diversão. E foi assim que o Jeep ganhou as ruas e estradas.

Já em 1946 a Willys decidiu usar o Jeep como base para um veículo de carroceria fechada, com mais conforto e espaço para até sete pessoas. Era a primeira vez que uma station wagon norte-americana tinha a carroceria toda feita de metal, e não adaptada com painéis de madeira – as famosas woodies, que eram estilosas e práticas, mas não exatamente duráveis. Em 1947 foi introduzida a versão pick-up. A nomenclatura era simples até onde podia ser: a station wagon se chamava Willys Jeep Station Wagon e a pick-up, Willys Jeep Truck.

img_216400_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

Já em 1948 as versões civis do Jeep começaram a ser importadas para o Brasil – foi assim que alguns exemplares da station wagon e da pick-up desembarcaram por aqui. A Willys-Overland do Brasil foi fundada em 1952, e o Jeep começou a ser montado no Brasil em regime CKD (completely knocked-down, com componentes importados) dois anos depois. Em 1956 a Rural, tanto na versão perua quanto na versão pick-up, também começou a ser montada por aqui. O visual abrasileirado foi inaugurado em 1960 para os dois modelos. A Rural foi fabricada no Brasil até 1982.

O exemplar anunciado no GT40, importado e com o visual antigo, é de fato um achado. A dianteira é semelhante à do Jeep, porém com a grade mais protuberante, formando um bico atravessado por cinco barras cromadas horizontais. Não por acaso, a Rural com esta dianteira ficou conhecida como “Bicudinha”.

img_216412_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

img_216384_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

O Jeep está aos cuidados da Poaparts, de Porto Alegre, é bastante original e aparenta muito bom estado de conservação para um veículo fabricado em 1951, 67 anos atrás. A estrutura e a carroceria estão íntegras, sem pontos graves de corrosão, ainda que seja possível ver algumas marcas de uso especialmente na parte inferior dos para-lamas e na tampa da caçamba. Dito isto, a caçamba de metal é a original de fábrica – geralmente ela é substituída por uma nova justamente por conta da corrosão. O interior tem bancos, revestimento das portas, volante e instrumentos originais.

img_216428_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

Originalmente o motor da pick-up era um quatro-cilindros de 2,2 litros e 63 cv com cabeçote em “F” (isto é, com as válvulas de admissão no cabeçote e as de escape no bloco), mas este exemplar recebeu um motor BF-161 de seis-cilindros e 2,6 litros capaz de entregar 90 cv – é o motor mais comum de se encontrar nas picapes e peruas Willys vendidas no Brasil. O câmbio manual de quatro marchas com overdrive e a tração é traseira.

img_216392_4_31eecf63-1b22-4b3c-928d-be2329805c55

Ainda que não esteja impecável, a pick-up está em bom estado de conservação geral e pode ser uma boa base para um projeto de restauração. Considerando a raridade deste modelo e a atual situação do mercado para carros antigos, o valor também está interessante.

Se ficou interessado, clique aqui para acessar o anúncio, onde você encontrará os contatos do vendedor.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Este cara gastou R$ 20.000 para ter um Tesla Model S 100% funcional. Mas como?

Dalmo Hernandes

Kia Stonic será apresentado no Salão do Automóvel, nova geração do BMW Série 3 vazou antes do lançamento, Volvo S90 chega ao Brasil por R$ 366.000 e mais!

Leonardo Contesini

Loja de carros de luxo em SP aplicava golpes em clientes, novo Porsche Panamera será mais rápido que Carrera GT, um filme na Nascar e mais!

Leonardo Contesini