A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo Car Culture Viagens e Aventuras

Estas fotos dos circuitos da Fórmula 1 foram feitas do espaço por um astronauta

Um dos aspectos fascinantes do automobilismo é a extrema habilidade necessária para chegar às categorias de elite, como a Fórmula 1 – ainda mais com todo o risco envolvido. Mesmo com a evolução dos equipamentos de segurança, é fato que o esporte a motor é perigoso, e só vai deixar de ser caso os pilotos sejam aposentados e as corridas passem a ser realizadas com carros autônomos. E esperamos que nunca aconteça.

Na verdade, o automobilismo é tão fascinante que até mesmo os astronautas são fãs. Sim: os seres humanos criteriosamente selecionados, altamente especializados e rigorosamente treinados que ganham (e arriscam) a vida explorando o espaço também acompanham as corridas. Um deles, em especial, fez mais do que acompanhar – Drew Feustel, que foi comandante da Estação Espacial Internacional (International Space Station, a ISS) entre junho e outubro de 2018. A foto abaixo foi feita por ele em seu último dia como residente da ISS.

Em seus seis meses no espaço, Drew não deixou de acompanhar religiosamente os treinos e corridas da Fórmula 1 – caso você por alguma razão não saiba, os astronautas também têm TV, internet e telefone na ISS. Melhor ainda: de sua casa temporária a 400 quilômetros da Terra, Drew tinha uma visão privilegiada dos circuitos em que eram realizadas as provas – como um Google Earth ao vivo. E o que ele fez? Fotografou cada um deles lá de cima, com sua câmera DSLR, e postou as imagens no Twitter e no Instagram. E todas são sensacionais.

Drew tem doutorado em sismologia – o estudo dos terremotos e demais movimentos que ocorrem na superfície do globo terrestre. A graduação lhe permitiu trabalhar com exploração de gás e petróleo na Exxon, de Houston, no Texas, onde permaneceu até 2000, quando entrou para a NASA. Sua primeira missão  espacial aconteceu em 2009, quando trabalhou no Hubble (Missão de Serviço 4) e a segunda em 2014. Em 2018, a Agência Espacial Norte-Americana lhe ofereceu a posição de comandante da ISS, e obviamente Drew aceitou.

Mas antes de ser astronauta, Drew já era entusiasta. Seu primeiro carro foi um Mustang 1967, que ele restaurou sozinho. E não parou mais: com os anos, Drew aprendeu funilaria, pintura e mecânica, e também reuniu uma bela coleção de automóveis, sendo que o mais novo deles é um BMW M3 E30 fabricado em 1990. Ele também tem, entre outros, um Mercury Comet Cyclone GT 1966 (o carro com o qual ele posa na foto abaixo), uma VW Kombi Westfalia 1966 e um BMW 3.0 CS 1972. Para este, aliás, ele encomendou um motor de partida enquanto trabalhava na ISS –ou seja, de fora do planeta. Isto é que é dedicação.

A paixão pelas corridas de Fórmula 1 foi o que levou Drew a fotografar cada um autódromos da temporada 2018 – e, na ocasião de cada etapa, ele postava a foto da vista aérea (ou melhor, da vista espacial) do circuito onde seria realizada a corrida naquele fim de semana.

Segundo o próprio Drew contou à revista Hot Rod, o projeto foi uma espécie de hobby a que ele se dedicou nas horas vagas, enquanto cumpria sua missão no espaço. E ele se empenhou de verdade. Não era apenas uma questão de esperar a ISS pairar sobre a área do autódromo: ele teve de calcular a trajetória da Estação Espacial e, então, organizar sua agenda para ter uma brecha – na qual ele vestia o traje, saía da estação com a câmera em punho e registrava as imagens.

Spa-Francorchamps

 

Drew usou uma Nikon D5 com uma lente super teleobjetiva de 800 mm e colocou nela um duplicador, também conhecido como teleconverter, para dobrar o alcance e aumentar a profundidade de campo e conseguir imagens nítidas e abrangentes dos autódromos e suas adjacências. Apontando a câmera para a Terra, ele conseguia enxergar pelo visor detalhes que não eram visíveis a olho nu – e só assim ele conseguia encontrar os autódromos para fotografá-los.

Para saber o momento certo de sair da ISS e fazer as fotos, Drew contou com a ajuda dos operadores da missão aqui embaixo – ele mandava as coordenadas dos autódromos para a Terra, que enviava de volta a melhor data e hora para tentar capturar as imagens da melhor forma possível. E era preciso ter timing: não parece, mas a ISS viaja pelo espaço a mais de 28.000 km/h e, por isso, raramente Drew tinha mais que cinco minutos para capturar as  imagens. Não foram poucas as vezes em que ele teve de voltar à ISS sem a foto que queria por um erro de cálculo, ou simplesmente não conseguir encontrar o circuito em tão pouco tempo.

Por isso, cada micro-expedição fotográfica tinha de ser panejada com semanas de antecedência – cada foto era postada no dia da corrida correspondente, e foi assim com cada uma das provas disputadas na Fórmula 1 enquanto Drew estava no espaço: do GP do Canadá, realizado em 10 de junho, ao GP da Rússia, que aconteceu em 30 de setembro.

Autódromo de Sochi, Rússia

Drew retornou da Estação Espacial em 5 de outubro. Mas ele já havia tirado fotos dos circuitos onde seriam realizadas as cinco últimas provas do ano – Suzuka, no Japão; Circuito das Américas, nos EUA; Hermanos Rodriguez, no México; Interlagos e Yas Marina, nos Emirados Árabes — além de imagens dos circuitos da Indy e da MotoGP. Estas últimas fotos foram postadas por Drew do conforto de seu lar aqui na Terra, mesmo.

Autódromo de Interlagos
Yas Marina

Por enquanto, o astronauta está curtindo um merecido descanso, mas não vai demorar para que ele volte ao trabalho. Quem sabe se ele não vai tirar novas fotos?

Sugestão do camarada Chris Reid

Matérias relacionadas

Top Xuning, parte 2: os piores acessórios e modificações que alguém pode instalar em seu carro

Dalmo Hernandes

Lamborghini Aventador SV completa volta em Nürburgring Nordschleife em menos de sete minutos

Leonardo Contesini

Conheça a maior coleção de carrinhos em miniatura do mundo

Leonardo Contesini